domingo, 1 de abril de 2018

Memória da TV: 11 anos da frustrada "arrancada da vitória" do SBT


Em março de 2007, o SBT fazia uma grande mudança em sua grade de programação. Vivendo maus momentos no Ibope, num contexto em que a Record investia pesado e tirava a vice-liderança do canal de Silvio Santos, o SBT contra-atacou, programando uma série de estreias e mudanças, que ficou conhecida como a “arrancada da vitória”. As chamadas anunciando as novidades ficaram marcadas pelo tom agressivo, que dizia: “novos programas, novas novelas e novas contratações; em março, a arrancada da vitória do SBT”. A chamada era encerrada com “a concorrência vai tremer de medo”.

As mudanças começaram no domingo, dia 4 de março. Naquela época, Silvio Santos havia deixado o domingo para Gugu Liberato e seu Domingo Legal, e comandava seus programas nas noites de quarta-feira. Pois naquele dia, Silvio Santos voltou ao dia que o consagrou, comandando seus programas entre 13h e 17h. No pacote, a volta do Tentação, a segunda temporada de Rei Majestade (programa lançado em 2006 e que trazia uma competição entre cantores das “antigas”), o game Topa ou Não Topa e o 1º Campeonato Brasileiro de Dança, uma nova versão do Bailando por um Sonho, desta vez apenas com competidores anônimos.

Mas as grandes mudanças na grade começaram mesmo no dia 26 de março de 2007. Naquela segunda-feira, o Bom Dia e Cia, que começava às 9h, passou a entrar no ar às 7h, extinguindo a Sessão Desenho e A Hora Warner, que ocupavam o horário anteriormente. Neste novo horário, a atração apresentada por Priscila Alcântara e Yudi Tamashiro passou a ser exibida ao vivo, com a promoção de jogos por telefone, formato que segue até os dias de hoje, com Silvia Abravanel.

Às 17h, estreava a trama mexicana Mundo de Feras. Depois, na faixa das 18 horas, o SBT abria um novo horário de novelas com a mexicana Destilando Amor, num horário em que, até então, exibia desenhos animados. Outra novidade foi a estreia da novela Maria Esperança, na faixa das 19 horas. Adaptação nacional de Maria Mercedes, a trama era o início de uma estratégia da emissora, que previa reeditar as três novelas protagonizadas por Thalía que fizeram sucesso no Brasil. Além de Maria Mercedes, deviam vir as versões brasucas de Marimar e Maria do Bairro. Bárbara Paz foi a escolhida para encabeçar o projeto e protagonizou Maria Esperança, tendo inclusive soltado a voz na trilha de abertura da trama.

No mesmo dia, o jornal SBT Brasil, que era exibido às 21h15, foi completamente reformulado. Cynthia Benini, afastada do jornalismo da emissora desde o fim do clássico “jornal das pernas”, voltava à bancada ao lado de Carlos Nascimento na nova versão do jornal, que retomava alguns quadros do antigo Jornal do SBT, como a participação de espectadores por telefone dando opiniões sobre os temas apresentados. O noticioso também passou a contar com a presença dos comentaristas Joseval Peixoto, José Neumanne Pinto e Denise Campos de Toledo.

O SBT também lançava uma nova linha de shows na faixa das 20 horas. Na época, a Record estava consolidada com suas novelas neste horário, e o canal de Silvio Santos resolveu combater os folhetins da concorrência com seus programas de auditório e reality shows. No cardápio das 20 horas, estreava a segunda temporada de Supernanny, exibida às segundas-feiras; às terças, começava um novo programa de calouros, Você É o Jurado, com a apresentação de Ratinho; às quartas e quintas, era exibida a segunda temporada de Ídolos; às sextas, Celso Portiolli reeditava o Curtindo uma Viagem no novo Curtindo com Reais; e aos sábados, Ratinho apresentava reportagens curiosas e quadros de humor numa nova versão do Jornal da Massa.

Ainda no dia 26, Ana Paula Padrão estreava seu novo programa de grandes reportagens, o SBT Realidade. E na madrugada do dia 26 para o dia 27, Adriane Galisteu também iniciava uma nova fase no SBT. Seu programa Charme foi transformado num talk show de fim de noite, onde a loira recebia convidados para entrevistas descontraídas. Na quarta-feira, dia 28, estreava o humorístico Sem Controle, uma espécie de versão tosca do Zorra Total. No elenco, a desconhecida Dani Calabresa, que assinava Daniela Giusti. No final de semana, Celso Portiolli comandava o Namoro na TV e Etc nas tardes de sábado, enquanto a cantora Gilmelândia estreava como apresentadora na nova versão do Viva a Noite, que estreou no dia 31 de março.

Apesar dos investimentos e da agressiva campanha, a concorrência não “tremeu de medo”. A volta de Silvio Santos aos domingos não fez frente ao Tudo É Possível, que Eliana comandava nas tardes de domingo da Record. Destilando Amor registrou baixos índices e saiu do ar no capítulo 20, deixando o espectador a ver navios. Maria Esperança se revelou um fiasco (curiosamente, ela fez sucesso mais tarde, nas reprises), fazendo com que os projetos de remakes das outras “marias” fosse cancelado. A linha de shows das 20 horas também não fez frente às novelas do canal de Edir Macedo e foi extinta quando Supernanny e Ídolos encerraram suas temporadas, culminando com o cancelamento de Você É o Jurado, Curtindo com Reais e Jornal da Massa. O Viva a Noite também não foi bem, e logo migrou da faixa das 22h30 para o esquisito horário das 18h30, onde conseguiu sobreviver até o início de 2008. Já o Charme foi até bem, mas Silvio Santos não aprovou o novo formato e tratou de trazer o programa de Adriane Galisteu de volta para as tardes poucos meses depois de sua estreia na madrugada. E o Sem Controle enfrentou mudanças de horário, até sair do ar em novembro daquele ano.

Da “arrancada da vitória”, sobreviveram apenas o SBT Realidade, que ficou no ar até 2009, e o novo formato do Bom Dia e Cia (que voltou a ser exibido a partir das 9h, e a faixa entre 7h e 9h passou a ser ocupada pelo Carrossel Animado, que nada mais era que o Bom Dia e Cia com outro nome). Mesmo com o fracasso inicial de seu retorno aos domingos, Silvio Santos continuou a ocupar o horário anterior ao Domingo Legal trazendo novas atrações, como o game Vinte e Um e uma nova temporada do Qual É a Música. No ano seguinte, o apresentador retomaria no horário o seu Programa Silvio Santos, adotando o formato de variedades que segue até hoje nas noites de domingo.

André Santana

2 comentários:

  1. Se fosse hoje em dia, o pessoal diria que a "arrancada da vitória" flopou!

    ResponderExcluir