quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Curiosidade da telinha: em 1996, SBT quase exibiu "Maria Mercedes" em capítulos semanais

Em abril, o TELE-VISÃO resgatou o curioso caso da novela Na Própria Carne, trama mexicana que o SBT exibiu em capítulos semanais, aos sábados à tarde, entre março e maio de 1997. Na época, com o fim do Show de Calouros, a emissora escalou uma novela para tapar buraco na grade de sábado, e exibia capítulos enormes, das 15h30 às 19h15. Para lembrar deste resgate do blog, clique aqui.

No entanto, o TELE-VISÃO descobriu que a ideia do SBT de exibir novelas aos sábados é mais antiga. No dia 6 de maio de 1996, a emissora fazia uma grande mudança em sua grade e lançava nada menos que três novelas nacionais diárias ao mesmo tempo: Colégio Brasil, às 18h30; Antônio Alves, Taxista, às 20h; e Razão de Viver, às 21h. O jornal Folha de S. Paulo, no mesmo dia, fez uma grande matéria sobre as estreias da emissora. O curioso é que o texto da matéria, assinado pela repórter Mariana Scalzo, dizia que o SBT não estava lançando “apenas” três novelas, e sim quatro. Além das três nacionais, o jornal noticiava que Maria Mercedes, mexicana, estrearia no sábado seguinte, ou seja, 11 de maio de 1996.

O jornal não dava qualquer destaque à informação, apenas citava que Maria Mercedes seria a atração de sábado do SBT. No entanto, provavelmente após divulgar à imprensa, a emissora desistiu de promover a estreia da trama estrelada por Thalía. Isso porque na programação que a mesma Folha de S. Paulo divulgou na edição do dia 11 de maio, a grade do SBT indicava uma reprise das novas novelas que estrearam naquela semana: Colégio Brasil, das 13h às 14h30; Antônio Alves, Taxista, das 14h30 às 16h; e Razão de Viver, das 16h às 17h30. Em seguida, seguia a programação normal da emissora, com Aqui Agora às 17h30, os capítulos de sábado das novelas, e os programas A Praça É Nossa e Sabadão Sertanejo. Nem sinal de Maria Mercedes.

Já no sábado seguinte, 18 de maio, a programação do SBT divulgada pelo jornal era a seguinte: filme às 13h; a série Dra. Quinn – A Mulher que Cura, às 14h40; e Show de Calouros às 15h30. Para não termos dúvidas de que Maria Mercedes realmente não deu as caras nos sábados do SBT, conferimos o arquivo do jornal no dia 25 de maio, com a mesmíssima configuração do dia 18. Filmes, Dra. Quinn e o Show de Calouros seguiram normalmente nas tardes, enquanto Colégio Brasil, Antônio Alves, Taxista e Razão de Viver eram exibidas normalmente à noite.

Assim, Maria Mercedes acabou não sendo a primeira “novela de sábado” do SBT, e sim foi escalada para ser a substituta de Antônio Alves, Taxista, que fracassou e saiu do ar no dia 10 de agosto de 1996. Exibida diariamente na faixa das 20 horas, Maria Mercedes não apenas elevou os índices do Ibope do SBT no horário como credenciou a exibição das outras “marias” de Thalía, Marimar e Maria do Bairro, que vieram na sequência. Já a faixa de “novelas de sábado” do SBT só vingou mesmo em 1997, quando o Show de Calouros chegou ao fim, com a exibição de Na Própria Carne. A trama foi exibida até 3 de maio de 97. Na semana seguinte, o horário foi coberto com o Programa Livre, das 15h30 às 17h30, e o Festival de Filmes, das 17h30 às 19h15.

O TELE-VISÃO virou livro! Compre agora! CLIQUE AQUI: http://bit.ly/2aaDH4h


André Santana

2 comentários:

  1. Respostas
    1. Não é? Descobri por acaso, fazendo uma pesquisa pra uma matéria do Observatório da Televisão.

      Excluir