sábado, 3 de novembro de 2018

"Superpoderosas" chega ao fim sem ter dito a que veio

Superpoderosas, agora,
só o desenho do SBT

Nesta semana a Band anunciou o fim do feminino matinal Superpoderosas. A atração de Natália Leite ficou no ar pouco mais de seis meses e nunca disse a que veio. Além da baixa audiência, o programa não soube diagnosticar suas falhas e buscar mudanças no sentido de alcançar o público da emissora. Por conta disso, sua extinção já era uma tragédia anunciada.

Idealizado por Ana Paula Padrão a partir da plataforma Escola de Você, Superpoderosas tinha a melhor das intenções. Era um programa voltado para a mulher contemporânea, abordando assuntos da atualidade sob o ponto de vista feminino. A ideia era oferecer informações para que a espectadora pudesse tomar para si e mudar de vida. Para isso, promovia debates diários com convidados e especialistas acerca dos mais variados temas.

Entretanto, Superpoderosas tinha uma falha grave para uma atração de TV aberta. O programa era segmentado ao extremo, voltado a uma fatia muito específica de público. Assim, ele não alcançava grande parte do público do canal. Sempre teve cara e jeito de programa de TV paga.

Curiosamente, o programa tinha um formato flexível, que poderia perfeitamente se adequar às demandas da TV aberta. Superpoderosas poderia ter tentado ampliar a pauta, investindo em entrevistas, jornalismo ou outros quadros que pudessem abarcar um público maior. Mas não fizeram isso. Superpoderosas foi fiel à sua proposta inicial do início ao fim. Com isso, não agregou público e acabou encontrando seu fim.

Mas Superpoderosas não está sozinho na lista de cortes da emissora. O programa de culinária Cozinha do Bork, que o antecede na grade, também teve sua produção suspensa. Mas, ao contrário do programa de Natália Leite, que sai do ar em definitivo, Cozinha do Bork segue no ar com reprises. No entanto, segundo fontes diversas, o programa realmente não volta mais. Assim, o “intocável” Daniel Bork finalmente deixará a grade da emissora depois de quase 20 anos. Bork, que é cunhado do dono da Band, esteve à frente do Receita Minuto, Bem Família e Dia Dia antes de assumir o Cozinha do Bork, que foi lançado este ano no pacote de novidades da emissora. Quem diria, hein?

A partir da próxima segunda-feira, 05, o horário ocupado pelo Superpoderosas passará a ser ocupado por uma faixa de desenhos. Com isso, a Band muda de foco em suas manhãs, “abandonando” o público feminino e investindo no infantil. Trata-se de uma mudança interessante, já que o canal costumava registrar audiência satisfatória quando dedicava suas manhãs aos pequenos, com o extinto Band Kids.

Além disso, o público feminino e adulto já está mais do que contemplado na TV aberta. Globo, Record e RedeTV já têm seus programas no segmento. Já o público infantil tem como opção apenas o SBT. Ou seja, a emissora pode ser uma alternativa ao Bom Dia & Cia, com boas chances de ampliar sua audiência no horário.

Aliás, muitos acreditam que a nova faixa de desenhos servirá como “esquenta” para uma parceria com a Disney, aos moldes do extinto Mundo Disney, do SBT. A Band estaria prestes a fechar com a gigante do entretenimento mundial, que exibiria seu conteúdo em diversos horários do canal aberto. Seria, sem dúvidas, um bom negócio para a Band, que receberia para exibir um conteúdo que tem suas qualidades. Neste momento de crise, é algo bem melhor que voltar a locar horários para igrejas e jogos de cavalinho sem pata.

PS: peço desculpas pelo sumiço nesta semana. Estou à frente da comunicação de dois grandes eventos culturais e não consegui aparecer por aqui. Mas semana que vem tudo volta ao normal. Agradeço a compreensão.

André Santana

2 comentários:

  1. O facão deve passar na Bandeirantes para acomodar os programas da Disney. Não é bom e é sempre triste para os profissionais, principalmente de trás das câmeras, que podem vir a perder seus empregos, temos sempre de lembrar. Mas a saída do ar de programas como aquele do Neto são coisas que a gente tem de celebrar. Pelo visto vão passar também partes de noticiários do Bandnews no lugar dos jornais da manhã e da noite. E só vai ficar o programa de domingo do Datena pois ele "se paga" e também é uma baita propaganda para os possíveis sonhos políticos do "apresentador".

    Sobre os programas em questão, concordo sobre o Superpoderosas; pena realmente a Natália Leite sair do ar, muito linda. Acho também que o programa tinha um ar de Encontro com Fátima Bernardes e hoje em dia existe uma rejeição ao programa global (ainda que muita gente veja só para poder falar mal,rs...), ou seja, ele foi contaminado por um discurso antifeminista.

    Sobre o Bork sair da Bandeirantes, vou emular SS: SÓ ACREDITO, VENDO! Não duvido que o encaixem em outro programa por lá, vamos esperar,rsrs...

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem? Superpoderosas foi um programa extremamente segmentado que não combinou com a imagem da Band. Abs, Fabio www.blogfabiotv.blogspot.com.br

    ResponderExcluir