terça-feira, 4 de setembro de 2018

Sem igreja, emissoras passarão por mudanças


Sabe-se que a locação de horários para igrejas é fundamental para a saúde financeira de várias emissoras brasileiras. Canais como a RedeTV e Gazeta revendem algumas horas de sua programação para programas religiosos em troca de uma boa quantia, com a qual investem em outros horários de suas respectivas grades. Para alguns canais, no entanto, a prática vai além da locação de alguns horários: CNT e Rede 21 são praticamente 100% ocupadas com atrações das mais variadas igrejas.

Por isso mesmo, a notícia de que a Igreja Universal do Reino de Deus está revendo sua estratégia de compras de horários em canais do Brasil é significativa. Sem os programas da igreja de Edir Macedo, várias emissoras terão que modificar suas programações. Uma delas é a Gazeta, que já anunciou a saída da igreja de seu horário nobre. A emissora avisou, em nota oficial, que o horário passará a ser ocupado por programação própria, incluindo aí o Gazeta Shopping, programa de varejo da emissora que rende um bom dinheiro.

Outro canal que terá que rever sua grade de programação é a RedeTV. Atualmente, a Igreja Universal ocupa duas importantes faixas da emissora: do meio-dia às 15 horas, e das 17h às 18h. Se a gente fosse mais otimista, acreditaria que este seria o momento ideal para a RedeTV voltar a investir nestes horários. Já faz tempo que o jornalismo da emissora quer emplacar um novo jornal, na hora do almoço, mas encontra resistência do departamento comercial, que prefere vender horários. Além disso, sem igrejas “ensaduichando” o A Tarde É Sua, era bem provável que o programa de Sonia Abrão fosse ainda melhor em audiência do que é hoje. Totalmente mal encaixado na programação, Sonia faz um verdadeiro milagre (sem referências) ao pontuar tão bem ali.

Quanto à faixa das 17 horas, muitos têm associado o projeto de um novo programa de fofocas ao fim do contrato com a igreja. Mas não é bem assim. A nova atração, que pode se chamar Tudo em Um (segundo o Notícias da TV) ou Tricotando (Segundo Ricardo Feltrin, do UOL), vem sendo formatada para o horário entre 18h e 19h30, substituindo os jornalísticos Bola na Rede e Denúncia Urgente, que devem acabar logo depois do período eleitoral. Ou seja, quando a igreja sair da faixa das 17 horas, haverá um vácuo por ali.

Mas, imaginando como funciona a cabeça do pessoal do comercial da RedeTV, o mais provável é que a emissora venda estas faixas horárias para outras igrejas, ou para os famigerados games do cavalinho sem pata. O que é uma pena. São horários que poderiam ser ocupados por jornais, séries, desenhos animados ou novos programas. Já imaginou como seria mais rica a grade da emissora com um jornal ao meio-dia, animações entre 13h e 15h, e Sonia Abrão entregando para o novo programa às 18h? Mas, infelizmente, é bem pouco provável que isso aconteça.

André Santana

5 comentários:

  1. Gazeta: Poderia investir em séries antigas ou até expandir o espaço de programas para ocupar a sua noite, tanto seus noticiários quanto seus programas; teve uma época que o canal colocou alguns programas interessantes na faixa das 23 horas, mas pelo visto a ideia ficou pra trás, infelizmente.

    Rede TV!: A Rosana Jatobá deve apresentar o programa "híbrido" do início da noite (dizem que não será só de fofocas...). Chama a atenção como essa moça estava bem na Globo e acabou saindo...Claro, cada um sabe da sua vida, mas é algo realmente chamativo, tinha a impressão de que ela ficaria anos na Globo...Como você disse, o canal poderia, de modo geral, investir mais em programação; não deve ter tanto $ também, mas acho que devem ter mais condição que a Gazeta para investir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela fazia outra coisa na Globo a não ser garota do tempo??

      Excluir
    2. Boas sugestões, Alexandre! Ed, a Rosana Jatobá foi apresentadora do Globo Rural. Ela saiu da Globo porque quis, e já faz um bom tempo isso. Ela não trocou a Globo pela RedeTV.

      Excluir
  2. Não entra na minha cabeça que a rede CNT está há 4 anos alugando sua programação a igreja universal por muitos milhões mensais ,e é incrível que com esse dinheiro a emissora não investe pelo menos umas 4 ,5 horas no horário nobre pelo menos ,com um jornal descente ,uma parceria com alguma produtora de filmes ,esse dinheiro vai todo unicamente para os bolsos dos donos ?? Já que a emissora não tem funcionários e poucos estúdios e muitos sucateados ,e pensar que essa rede em 1996 a 1999 tinha filmes ,novelas da televisa enfim era uma alternativa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa pergunta, Caio! Se o dinheiro da igreja não serve nem para investir na própria programação, então esta concessão está muito, muito errada! Pena que os nossos "representantes" políticos fazem vista grossa à prática.

      Excluir