terça-feira, 29 de maio de 2018

História da TV: em 2000, Sula Miranda foi a Ana Maria Braga da RedeTV

"Além de caminhão, eu também
 já pilotei fogão!"
Com a exibição do reality show Os Gretchens, mostrando a vida de Gretchen e sua família no Multishow, a apresentadora e cantora Sula Miranda, irmã dela, voltou aos holofotes. Considerada a “rainha dos caminhoneiros” (em tempo: esta pauta foi pensada antes da greve), Sula fez sucesso cantando aventuras na boleia e também apresentando programas sertanejos na televisão, sobretudo nos anos 1990, com passagens pela Record, SBT e Manchete. O que poucos se recordam é que Sula também teve seu tempo à frente de um típico programa feminino. Tratava-se do Elas, apresentado pela RedeTV de segunda a sexta-feira, das 12h30 às 14h30, entre 2000 e 2001.

Elas surgiu quando a RedeTV nem ao menos tinha completado um ano de vida. Naquela época, Sonia Abrão começava a despontar como um nome forte das tardes da televisão brasileira no comando do vespertino A Casa É Sua. O programa, originalmente, havia estreado em novembro de 1999, pelas manhãs e com a apresentação de Valéria Monteiro, mas migrou para a tarde pouco tempo depois, abrindo o espaço matinal para concessionários. Na época, Valéria Monteiro morava nos EUA, e aceitou o convite para comandar o programa ao fazer um acordo no qual ficaria apenas três meses no Brasil. Depois disso, passaria a ser correspondente internacional do canal, enquanto a emissora devia procurar outra apresentadora para o A Casa É Sua.

Mas, três meses depois, a RedeTV optou por terceirizar o A Casa É Sua, entregando sua produção à Câmera 5, que escalou Meire Nogueira, Castrinho e Sonia Abrão para a apresentação. Logo, o jornalismo de celebridades de Sonia se destacou, e ela passou a comandar o programa sozinha. E os resultados agradaram a direção da RedeTV, ao ponto de o canal considerar buscar novas parcerias para a realização de programas. Na época, em entrevista à Folha de S. Paulo, o então diretor artístico da emissora, Rogério Gallo, afirmou que pretendia fazer mais programas terceirizados, mas que mantivessem “a cara” do canal. Neste contexto, surgiu a necessidade de fazer um novo programa matinal, e a Câmera 5 entrou em cena com um novo projeto. Surgia o Elas.

Elas foi concebido para ocupar a faixa matinal, das 10h ao meio-dia. Já que o A Casa É Sua tinha uma pegada mais “jornalística”, o Elas deveria ir na contramão: seria um feminino bem tradicional, com dicas de saúde, moda, culinária e artesanato. A Câmera 5 cogitou vários nomes para comandar o programa, como o de Aparecida Liberato, mas acabou optando por Sula Miranda. Na época, a cantora e apresentadora era casada com Osmar Gonçalves, sócio da produtora. A estreia do programa foi adiada algumas vezes, até que a RedeTV desistiu de exibi-lo pelas manhãs, optando por seguir vendendo o horário. Assim, Elas foi realocado para a faixa das 12h30, ocupando o horário anteriormente destinado à sessão de filmes TV Magia. Elas, então, passou a anteceder o A Casa É Sua na grade da emissora. O programa estreou no dia 21 de agosto de 2000.

Enquanto ficou no ar, Elas não fugiu da fórmula clássica dos femininos, com muita conversa ao vivo e receitas. Mas o programa não decolou. Saiu do ar no ano seguinte, sendo substituído pelo Altos Papos, um programa juvenil apresentado por Nani Venâncio, que tinha acabado de deixar a Record, onde comandava o Questão de Opinião no mesmo horário. Assim como Elas, Altos Papos também era uma produção da Câmera 5. E, assim como Elas, também teve vida curta. Saiu do ar pouco tempo depois da estreia, tendo seu horário ocupado pelo A Casa É Sua, que foi espichado e passou a ir ao ar das 13h às 18h.

Reveja trecho do Elas:




André Santana

4 comentários:

  1. Nessa época programas de culinária estavam muito alta
    Sempre tem público feminino que gosta deste gênero de entrevistas ,culinárias etc falando nisso ....
    A Rede mulher apesar de pequena fez uma história simples ,honesta e de qualidade ,pena que o grupo Record a transformou na Record News canal sem expressão nenhuma ,acho que se até hoje tivesse a rede mulher teria .aos audiência e me arrisco a dizer que seria o canal de UHF mais assistido
    Gostaria que se possível vc contasse a história e destaques da Rede mulher ,eu era pequeno mais lembro do leão lobo ,Solange Frazão (ginástica ) mãe de gravata ,nany Venâncio com uma espécie de Silvia Popovick muito bem feito o programa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caio, mais uma ótima sugestão! Estou te devendo a trajetória da Rede Mulher e da CNT, hehehe! Logo logo eu faço algo nesse sentido. Abraço!

      Excluir