sábado, 12 de agosto de 2017

Troféu Santa Clara: menções honrosas

Num ano com muitas novelas meia-boca, A Lei do Amor sagrou-se campeã da categoria em 2017. Mas a briga com Sol Nascente, outra trama insossa, foi forte. “Foi uma novela difícil de assistir do começo ao fim”, disse Guilherme, sobre a história de Walther Negrão, Julio Fischer e Suzana Pires. As novelas da Record também foram lembradas, sinalizando um desgaste da temática bíblica. Enquanto A Terra Prometida foi a escolha de João Paulo, e O Rico e Lázaro levou o voto de Augusto Vale, Rodrigo Albuquerque resolveu votar em todas de uma vez.

E ainda, Rodrigo foi mais além ao não indicar nenhum nome em específico na categoria pior atriz, e sim indicar as atrizes das novelas bíblicas. “Acho que o texto as deixa sempre sofredoras demais e isso é irritante. Eu quase não vejo as novelas bíblicas e sempre quando estou zapeando me sinto revendo a mesma cena vista meses atrás. Uma lástima!”, justificou.

Um estreante levou o Troféu Santa Clara de pior apresentador. E olha que Sérgio Marone enfrentou a concorrência pesada de nomes como Dudu Camargo e Marcão do Povo, também estreantes no Troféu. Guilherme Beraldo, por exemplo, escolheu o jovem apresentador do Primeiro Impacto. “Entra como o pior do ano e da década. O 'pupilo' do Silvio Santos é forçado demais. Não convence”, justificou. Mas a votação teve espaço até mesmo para veteranos, como Rodrigo Faro, escolha de Augusto Vale. “Entra ano, sai ano e Rodrigo Faro continua o mesmo apresentador chato e forçado de sempre. Ultimamente, observa-se até uma megalomania na maneira como ele conduz seu programa. Quem aguenta?”, perguntou.

Enquanto Rodrigo Faro levou um voto na categoria apresentador, seu programa Hora do Faro foi lembrado como pior programa de auditório. “Tem muito a ver com o apresentador do programa: não é autêntico. Força simpatia e descamba para a caricatura da alegria constante ou da emoção pautada pela exploração de pessoas simples. O típico programa de domingo 'vale tudo' por uns míseros pontos de audiência. Apenas para efeito de comparação, prefiro a verdade do Márcio Garcia. Faro é um fanfarrão”, analisou Isaac.

Já na categoria pior apresentadora, a família Abravanel compareceu em peso. Silvia Abravanel foi a escolha de Augusto Vale, enquanto Rebeca Abravanel ficou com a medalha de prata, votada por Endrigo, Fabio Maksymczuk e por mim. Já Jurandir votou em Patrícia Abravanel, a “preferida” de Silvio Santos. “Acho a apresentadora desnecessária na maioria das vezes. Tem muito o que aprender e amadurecer para estar à frente de um programa de televisão”, afirmou.

Mesmo comandado pela festejada Fátima Bernardes, o matinal Encontro foi apontado como pior programa de variedades por Jefferson Balbino. “Tenho achado tão sem graça o Encontro da Fátima Bernardes. Pois, há um excesso de pautas sem originalidade e que não instiga o telespectador. Não é à toa que o Mais Você, muitas vezes, supera a audiência do programa, pois está sempre renovando, sempre trazendo pautas variadas e de grande interesse do público”, comparou.

Enquanto A Casa despontou como pior reality show, o Big Brother Brasil correu por fora. “A edição desse ano poderia ser a pá de cal no programa. A direção errou o elenco e capengou a temporada inteira tentando aquecer um jogo que já começou frio”, disse Augusto Vale sobre a mais recente edição do BBB. Já a outra novidade no segmento este ano, À Primeira Vista, foi a escolha de Guilherme. “Numa tentativa de resgatar o 'namoro na TV' o programa À Primeira Vista foi a pior aposta do ano da Band. Que aliás, já errou no X Factor Brasil e desistiu na primeira temporada. O canal do Morumbi precisa enxergar que existem outros formatos”, disse.


Fiasco do ano, a categoria mais “livre” do Troféu Santa Clara, também trouxe ótimas menções e lembranças. Enquanto Endrigo apontou o remake de Os Trapalhões, Guilherme preferiu lembrar o péssimo momento do Domingo Legal. Já Jurandir preferiu eleger como “fiasco” um apresentador. Nada menos que Dudu Camargo. “Após ser ‘engolido’ por Maísa no Programa Silvio Santos, Dudu Camargo se envolveu em situações patéticas. O desespero do apresentador em aparecer rendeu piadas machistas e momentos vergonhosos. Um circo de horrores!”, exclamou. 

2 comentários:

  1. A Patrícia abraçando ainda passa.mtalvez não pra ter dois programas mas bem evoluindo agora o tal do Dudu naobe jornalista e acha que sp precisa saber onitas Silvio Santos para fazer sucesso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dudu anda fazendo muita coisa errada. Não vai muito longe.

      Excluir