quinta-feira, 22 de junho de 2017

Celso Portiolli pede mudanças, mas não sai do lugar

Está difícil defender Celso Portiolli. O apresentador, tempos atrás, reclamou bastante da falta de estrutura e liberdade de seu Domingo Legal. Segundo a imprensa especializada, tal reclamação levou à queda do diretor Roberto Manzoni. Depois disso veio a promessa de que o apresentador teria mais liberdade de criação no programa que assinava.

No entanto, nada aconteceu depois disso. Já se passou muito tempo desde que o Domingo Legal ganhou nova direção, e nada de muito significativo aconteceu com a atração. O dominical tenta seguir os passos do Domingo Show, da Record, que sobrevive na base de “histórias emocionantes”. E dá-lhe mais chororô nas tardes de domingo. Além disso, Domingo Legal também ganhou alguns quadros sem muita expressão, e só. Na audiência, segue patinando.

Além disso, em recente entrevista, Celso Portiolli afirmou querer trabalhar mais. Ele, novamente, lamentou a perda de espaço do Domingo Legal, que, desde 2015, foi reduzido em duas horas por causa da estreia do Mundo Disney. Segundo o apresentador, que chegou a ganhar mais espaço com o Sabadão (extinto este ano), trabalhar duas horas por semana é pouco para ele.

Celso Portiolli é um excelente animador, sem dúvidas. Mas não há demérito em comandar um programa de duas horas, muito pelo contrário. Até porque, quando acumulava as apresentações do Domingo Legal com o Sabadão, ele tinha em mãos as almejadas quatro horas semanais, mas pouco fazia com elas. Afinal, o Sabadão ocupava boa parte de seu espaço exibindo vídeos da internet, tal qual o Encrenca, da RedeTV.

Por isso mesmo, Celso Portiolli não devia reivindicar mais espaço na programação, e sim reivindicar mais investimentos no Domingo Legal. O problema do programa não é o tempo de duração, e sim a falta de investimento e de criatividade para produzir um conteúdo verdadeiramente interessante. Até porque não há problema nenhum em comandar um semanal de duas horas, se ele tiver um bom conteúdo. Pelo talento e pelos ótimos serviços prestados nestes anos todos de SBT, Celso Portiolli merece um programa à sua altura. E o Domingo Legal, definitivamente, não é.

O TELE-VISÃO virou livro! Compre agora! CLIQUE AQUI: http://bit.ly/2aaDH4h

André Santana

6 comentários:

  1. Concordo! Pra que 4 horas de nada? 2 horas já é muito.

    ResponderExcluir
  2. O Domingo Legal dele já tentou de tudo dentre as cópias: festival de humor, melodrama e games. Será que um pouco de música ao vivo não daria certo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Diz a lenda que música não dá mais audiência na TV. Sei lá.. ainda sonho com o fim do Domingo Legal e a volta do Curtindo uma Viagem!

      Excluir
  3. Se tem 2 grandes profissionais que são desvalorizados infelizmente é Celso e Angélica
    Ambos são grandes profissionais com históricos na tv porém merecem algo melhor

    ResponderExcluir