Ticker

6/recent/ticker-posts

Lançamentos apressados e pouco expressivos agravam situação da RedeTV

Shark Tank Brasil
Shark Tank Brasil (divulgação)

A RedeTV nunca foi uma emissora de grandes audiências, salvo um ou outro acerto isolado, como foram os casos da novela Betty, a Feia, do fenômeno Pânico na TV, ou até mesmo de surpresas como o Encrenca original. Mas, no geral, a emissora se mantinha na quinta colocação no ranking das abertas, com boa parte dos programas na casa do 1 ou 2 pontos de audiência.

No entanto, de uns tempos para cá, a audiência da emissora caiu ainda mais. A maior parte da grade de programação do canal começou a dar menos de 1 ponto no Kantar Ibope. Como se não bastasse, a RedeTV assistia a esta queda passivamente, sem demonstrar grande preocupação. Passou a impressão que a sua direção havia desistido de fazer TV e operava no modo automático.

Mas, no ano passado, a RedeTV ensaiou uma tímida retomada, com a reformulação (equivocada) do TV Fama, ou o lançamento de novos programas na linha de shows (que também se mostraram inexpressivos). Neste ano, com uma nova direção artística, o canal, mais uma vez, anunciou um pacote de novidades.

Entretanto, algo muito estranho acontece na RedeTV mesmo quando a emissora resolve investir. O canal lança novos programas, mas parece não considerar o que, de fato, o público quer ver, apostando em novidades que já nascem com selo de prazo de validade. Além disso, parece não haver um esforço de comunicação. Não há ações integradas de lançamento, nem qualquer mínima divulgação. Parece que esperam que os espectadores cairão ali por mágica.

A reformulação das manhãs, no ar há duas semanas, é um exemplo claro disso. A emissora lançou o Bom Dia Você, que, mesmo sendo um formato batido, é uma novidade. Mas não investiu numa campanha de lançamento para o programa. O programa tem Eri Johnson como um de seus apresentadores, um artista popular e que está no ar na Globo, na reprise de O Clone. Porém, em nenhum momento, utilizaram isso para divulgar o matinal.

A RedeTV também promoveu mudanças sem sentido na linha de shows. Trouxeram Shark Tank de volta para TV aberta, um formato interessante, sim, mas que não tem o perfil da emissora. Para exibi-lo, optaram pela noite de quinta, onde o Sensacional era exibido há anos e ia até bem (para os padrões da emissora, bem entendido). Aí, remanejaram os programas de Daniela Albuquerque e o Agora com Lacombe para as noites de terça, sem qualquer explicação, e a audiência caiu mais ainda. Dá pra entender?

Outra aposta esquisita: após mais de um ano na gaveta, a emissora lança Operação Cupido, novo programa de Luciana Gimenez. O game show de namoro estreia neste sábado, 14, a partir das 18h30. O anúncio da estreia foi feito nesta semana mesmo, de supetão. O dia e horário escolhidos são questionáveis. Por que manter uma linha de shows inexpressiva de segunda a sexta e esconder um produto que parece ter potencial nas tardes de sábado? E por que não divulgá-lo adequadamente? Operação Cupido já nasce com desafios imensos.

Isso sem falar no “novo” Encrenca, que só durou algumas semanas. Contrataram nomes de apelo, como Gretchen e Narcisa Tamborindeguy, mas as lançaram numa arena esquisita, onde nada combinava com nada. Acreditaram que apenas a capacidade das duas de virar meme resolveriam um problema. E, mais uma vez, a divulgação foi parca e inexpressiva. Tudo muito amador.

Grande parte destas mudanças foram creditadas a Juliana Algañaraz, diretora artística e de programação da RedeTV. A ex-executiva da Endemol chegou à emissora tanto para atuar na consultoria da programação, como também propor novos modelos de negócios (como a locação dos estúdios da emissora para produções independentes e streaming - o que, aliás, é uma ideia e tanto, já que a RedeTV tem bons estúdios, muito mais do que sua programação precisa).

Não dá pra saber se Juliana pecou pela inexperiência em artístico de uma TV aberta, ou se foi a própria RedeTV quem não ofereceu condições para a executiva implantar seus projetos. Mas os parcos resultados das “novidades” fez com que Algañaraz deixasse a direção para se dedicar exclusivamente à área de desenvolvimento de facilities, produtos e serviços para o mercado de produção e publicitário. 

Segundo a RedeTV, um dos projetos da executiva nesta área é a implantação, já em curso, de um novo complexo de estúdios adjacente ao CTD - RedeTV. Ou seja, investir em novos estúdios. O que faz sentido, se considerarmos que a produção independente está aquecida por conta dos serviços de streaming, e há dificuldades de produtoras brasileiras de encontrar estúdios para realizar suas produções.

Talvez seja este mesmo um caminho mais auspicioso para a RedeTV. Com um complexo de estúdios tecnológicos, a emissora parece ter uma vocação maior para oferecer estrutura para produtoras do que atuar produzindo seus próprios programas de TV. O fato de a RedeTV estar cada vez mais distante do público e pouco fazer para mudar isso demonstra que ser um canal de TV tradicional não é bem o que a emissora faz de melhor.

André Santana

14/05/2022

Postar um comentário

2 Comentários

  1. Olá, tudo bem? Eu questiono se os diretores da RedeTV! assistem televisão. Sério isso. Esse horário e dia de exibição do Operação Cupido simbolizam o meu questionamento. Abs, Fabio www.blogfabiotv.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Assisti o operação cupido, fraco desempenho da apresentadora, luz e cenário fora do contexto ,horário ruim....mais um programa sem futuro

    ResponderExcluir