terça-feira, 3 de novembro de 2020

Valeu, Louro José!

“Gente, corre aqui! Tem uma mulher de cabelo verde na TV!”, gritou minha prima, ao ligar o aparelho, num desses dias em que a família se reunia na casa da minha vó. Corri e dei de cara com Ana Maria Braga, com um penteado estranho na altura dos ombros, ostentando madeixas verdes. Descobrimos depois que era um defeito no aparelho, e os cabelos de Ana eram louros. Este foi meu primeiro contato com Ana Maria Braga, então à frente do Note e Anote, na Record. O ano? 1994 ou 1995, não me lembro bem.

A partir daquele dia, ver Ana Maria na TV se tornou uma constante, já que minha mãe costumava acompanhar as receitas e, principalmente, as aulas de artesanato que a apresentadora comandava. Nunca me interessei em assistir com ela, já que eu achava aquela mulher meio estranha. Mas me lembro de dar risada ao vê-la passar por debaixo da mesa a cada garfada num novo quitute.

Minha “relação” com Ana Maria mudou totalmente a partir de 1997, quando Louro José surgiu em cena. Aquela parceria que nascia ali era tão inusitada que chamou minha atenção. Nesta época, o Note e Anote já bombava e ocupava a tarde toda da Record. E o Louro, sempre divertido, se tornou o alívio cômico da atração. Aos poucos, foi instituído a ele a missão de contar uma piada, ou fazer uma charada. Afinal, quem melhor para contar uma anedota que um papagaio?

Deu tão certo que o campeonato de charadas se tornou um quadro fixo do Note e Anote. Ana e Louro chamavam as perguntinhas espertas de pegadinhas, e o duelo de pegadinhas passou a abrir o Note e Anote. Os espectadores, por meio de cartas e e-mails, mandavam pegadinhas para a dupla, que fazia a lição de casa na tentativa de “pegar” o adversário. Ganhava quem chegava aos 10 pontos primeiro. Quando Louro ganhava, tocava um “uh tererê, ô ô ô ô!” característico. Quando a vitória era de Ana, ela “nocauteava” o papagaio ao som do tema de Rock – Um Lutador

O quadro tinha meia hora. Depois, o tempo dobrou. Às vezes durava até duas horas. Sempre abrindo o Note e Anote, por volta das 13 horas. Foi nesta época que eu “abandonei” o hábito de assistir Chaves na hora do almoço, quando eu chegava da escola. Passei a acompanhar as pegadinhas de Louro José e Ana Maria Braga. Eu e minha mãe. Minha saudosa mãe, que tinha frouxos de risos com as “papagaiadas” de Louro José. Ela insistia que assistia ao programa apenas “por causa do Louro”.

Eram momentos hilários! Os dois levavam a disputa muito a sério, e chegavam a discutir quando discordavam se uma pegadinha tinha valido ou não. Por várias vezes, Louro ficava tão revoltado com o fato de Ana acertar suas perguntas, que começava a jogar os papéis com as pegadinhas recebidas pela porta de sua casinha. Ana rolava de rir, enquanto folhas e mais folhas de papel iam caindo pelo cenário. 

Me lembro de uma ocasião em que Ana Maria foi ao estúdio do Cidade Alerta, que sucedia o Note e Anote na grade, para levar um prato a José Luiz Datena, então apresentador do policial. Ao receber Ana, ele gritou: “vem cá também, Tom! Vocês conhecem o Louro José? Vem, Tom!”, disse, chamando o produtor de palco escondido nos bastidores. Mas Ana tratou de interrompê-lo e decretou: “não pode mostrar”. Tom Veiga já era um nome conhecido de quem assistia ao programa, já que estava sempre no palco, e Ana costumava chamar todo o seu staff pelo nome ao longo da atração. Mas, salvo engano, era a primeira vez que alguém na TV relacionava o nome do produtor à identidade do manipulador do Louro, que, naquela época, era um segredo absoluto. Foi apenas na transferência para a Globo que o nome de Tom ganhou mais visibilidade, já que a abertura do Mais Você destacava “Tom Veiga como Louro José”, tal qual um nome de destaque numa abertura de novela.

No Note e Anote, Louro José abria o programa com Ana e, depois, aparecia esporadicamente. Mas isso mudou com a mudança para a Globo. Louro tornou-se co-apresentador do Mais Você, ficando ao lado de Ana todo o tempo, interagindo com convidados e até salvando a loira de qualquer gafe. Ver a dupla em ação no Mais Você era sempre uma delícia, um deleite, um claro sinal de que estávamos no conforto de nosso lar. E isso acontecia não apenas pela química surreal esbanjada pela dupla, mas pela genialidade de Tom Veiga que, com raciocínio rápido e certeiro, criou uma personalidade única para Louro José. Foi esta personalidade que deu alma ao bichinho, fazendo todo mundo acreditar que aquele fantoche era, verdadeiramente, um ser vivo.

Olha só que coisa, ver Louro José sempre me fazia lembrar de minha mãe. Mesmo depois que ela partiu, era inevitável ver Louro em cena e não se lembrar das gostosas risadas que ela disparava ao assisti-lo. Perdi minha mãe em agosto de 2018, vítima de um AVC hemorrágico causado por um aneurisma. Foi um susto: num dia ela estava normalmente conversando com a gente, e no outro já não estava entre nós. Ela tinha 58 anos. Tom Veiga, o intérprete de Louro José, partiu exatamente do mesmo jeito. Um AVC que pegou todo mundo de surpresa. Triste coincidência.

As homenagens vistas desde a partida de Tom são mais que merecidas. Tom Veiga era genial, e isso precisa ser reconhecido. Fazer o público acreditar na vida de um personagem por 23 anos foi um feito que merece ser reverenciado. Obrigado Tom Veiga, obrigado Louro José, por ter divertido a mim (e a minha mãe) por todo este tempo. Valeu!

André Santana

11 comentários:

  1. Olá, Andrezito! Confesso que ainda não caiu a ficha. Foi um acontecimento muito impactante e que por algum tempo ainda vai mexer com nós, telemaníacos. Abraço!
    www.cascudeando.com

    ResponderExcluir
  2. 2020 tá pesado além da conta e como será nossas manhãs daqui pra frente sem o Louro José fazendo companhia pra Ana Maria Braga?

    ResponderExcluir
  3. O louro era o último resquício de programa infantil na Globo ..algo ligado a uma tradição Hã a infância ele e Ana. .e como se ela tivesse perdido um braço mesmo...eu lembro dele segurando o programa quando o carro aatropelou uma vez ..participou do sítio do piacapau amarelo, do vídeo show. .aliás o Chico Barney até sugeriu ele pra apresentar o programa que tinha um monte de apresentador sem carisma..uma pena mesmo .era uma estrela

    ResponderExcluir
  4. Belíssimo post, André. A despedida inesperada do Tom Veiga foi um grande baque, tanto para a Ana Maria Braga quanto para os telespectadores, especialmente os mais antigos como eu que viram o Louro José nascer ainda na Record e formar com a "Namaria" a dupla dinâmica mais bem sucedida da televisão. Não tinha como dissociar a Ana Maria do Louro. Eu cresci vendo esses dois e me lembro que as gargalhadas eram garantidas, inclusive quando rolavam algumas gafes da apresentadora. O Louro/Tom já fazia parte do nosso quotidiano e era como se fosse um parente. Como o Miguel falou no comentário aí em cima, o Louro era a última flor do Lácio em matéria de atração infantil, e com o seu passamento, ficou um grande vazio no Mais Você. Entretanto, eu acredito que a Ana Maria vai superar logo essa perda e dar conta do recado sozinha, porque ela é guerreira e superou vários percalços ao longo da carreira. Além disso, ela é dona de uma descontração incrível - é só lembrar das gafes que ela protagonizou e que até hoje são motivos de risadas no Youtube, sendo considerada uma diva dos meses. Quanto ao substituto do Louro José, a ideia não é má, mas eu duvido que outro fantoche vá substituir o legado do Louro, porque quem nasce pra ser único, assim será. Saudades eternas Tom/Louro e força Ana Maria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele era um fantoche de humor adulto...parecia realmente ter vida não alguém fazendo uma cozinha fofa difícil mesmo

      Excluir
  5. Fiquei bem triste mesmo , loro José era incrível, um grande vazio
    Desde minha adolescência assim como você André, eu o acompanhava
    Era o papagaio mais querido ,com humor, carismático ,boas sacadas
    Se eu fosse ao programa da Ana com certeza ia pedir uma foto e um abraço do lorinho rs
    Loro jose era um comunicador genial de raciocínio rápido
    Vi uma foto de Tom veiga e Loro José indo para o céu de maos dadas que me fez arrepiar e olhos lacrimejar
    Obrigado Tom Veiga !, obrigado Loro jose! olhem por nois aqui na terra , a coisa não anda fácil! Deus os receba de bracos abertos

    ResponderExcluir