quinta-feira, 21 de maio de 2020

Quarentena de Silvio Santos está afundando o SBT

Ninguém entendeu nada quando a coluna do Leo Dias, no UOL, antecipou que o SBT programou uma reprise do Primeiro Impacto na hora do almoço. E entendeu menos ainda quando a tal reprise entrou no ar não na segunda, 18, como previsto, e sim na terça, 19. E foi muito, muito esquisito, ver no ar uma reprise de jornal na hora do almoço, repleto de notícias velhas e desinformação.

Mas aconteceu. Entre terça e quarta-feira, 20, o SBT pegou o mesmo Primeiro Impacto exibido pela manhã e o reexibiu na hora do almoço, entre meio-dia e 15 horas. Assim, foram ao ar entradas ao vivo que não eram ao vivo, informação de um trânsito que já não mais existia e uma Márcia Dantas repetindo que eram “nove e pouco” quando já passava da uma da tarde. Foi bizarro, foi muito bizarro!

Trata-se de mais um episódio que mostra a “paixão” que Silvio Santos tem pelo Primeiro Impacto. O dono do SBT tanto fez que até conseguiu fazer o noticiário interminável, exibido das 4h às 10h30 diariamente, registrasse bons índices de audiência em sua faixa original. Porém, Silvio Santos quer porque quer que seu produto, já que tem apresentadores controversos e muito conteúdo reciclado, seja uma resposta de seu canal ao Balanço Geral, da Record. E quando o patrão cisma com uma coisa… sai de baixo!

Ou alguém se esqueceu que, há uns três anos, Silvio Santos exigiu que o Primeiro Impacto deixasse as manhãs do SBT e fosse exibido ao meio-dia? Sim, essa mudança já aconteceu. E afundou o SBT! Afinal, a emissora tem tradição em programação infantil neste horário, e nenhuma tradição em jornalismo na faixa. Assim, o espectador que busca informação não vai procurar o SBT neste horário. Vai procurar na Globo e na Record, que exibem noticiários no horário há anos. E noticiários de tradição e com investimentos, ao contrário do Primeiro Impacto, que sempre operou precariamente. Isso ficou tão claro que o Primeiro Impacto da hora do almoço não durou uma semana. Logo, os desenhos do Bom Dia & Cia voltaram.

Mas desta vez, a coisa foi pior. Tentar conter um jornalismo fortalecido da concorrência com uma reprise é o cúmulo do amadorismo e do mau gosto. Durou dois dias apenas, e foi muito! Isso jamais deveria ter acontecido. Porém, Silvio Santos na quarentena não parece disposto a deixar de brincar com seu brinquedo preferido, que é o SBT. Vem mais loucuras por aí! Aliás, dizem que ele voltou a cismar com um jornal policial na faixa das 18 horas. Cantaram até a bola da volta do Aqui Agora. Mas vale lembrar que o Aqui Agora já voltou, em 2008, e durou um mês. Outros noticiosos foram exibidos ali, como o Boletim de Ocorrências e o SBT Notícias com Neila Medeiros (a única capaz de bater no Datena etc). Nada deu certo. E não vai dar. Afinal, o SBT não tem nem estrutura para abastecer um novo jornal. E não vai investir. Desgaste desnecessário.

André Santana

17 comentários:

  1. A surpresa disso tudo é zero. Silvio Santos nunca deu valor para o jornalismo e sempre deixou claro que só o fazia (e faz) por obrigação de cota de tempo na concessão da emissora. Ainda alimenta a chance de desenvolver algo no jornalismo policialesco e sensacionalista, mas a Record, como você bem lembrou, conseguiu, justiça seja feita (ainda que o conteúdo seja péssimo), estabelecer uma estrutura nacional de equipe que o SBT nem chega perto hoje em dia.

    A ideia do SBT ser a "TV mais feliz do Brasil" fez o canal voltar a brigar com a Record, no fim da década passada depois de ter perdido a vice liderança e acho que deveriam investir nela; quem quer ver jornalismo dificilmente vai procurar ver o SBT e o investimento em reality shows e programas como os de sábado à noite fariam muito mais sentido para o canal, além de manter a opção de passar desenhos de manhã, mesmo que o SBT não possa lucrar tanto pelas restrições de publicidade.

    Tem um tempo já que eu te sugeri fazer um texto sobre a Record News, uma ideia boa que a Record jogou fora por amadorismo e falta de vontade de fazer algo sério. Agora você tem um subsídio a mais para escrever sobre, e gostaria de ver sua opinião sobre a chegada da CNN que, em MUITOS momentos, parece ser o que a Record News queria (ou poderia) ser. Parece tanto que até parece que a Record participa do negócio,rs...Sei que o foco é amplo para você escrever sobre outros temas, mas fica a sugestão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Mister!

      Excluir
    2. Alexandre, disse tudo! O texto da CNN Brasil tá chegando, com dois meses de atraso, rs! E o da Record News chega em breve! Obrigado pela colaboração e pela análise impecável!

      Excluir
    3. Obrigado André! Agora que vi sua resposta aqui! Já vi o texto sobre a CNN, concordo com alguns pontos e discordo de outros, mas sempre no bom nível que você coloca aqui no blog. Nem falei da Record lá, pois fico no aguardo do texto sobre a Record News, rs...Me chama muito a atenção termos alguns canais meio largados em nossa TV, como também a CNT e mesmo o canal Futura que, obviamente, tem um conteúdo muito melhor, mas que poderia ser mais bem aproveitado pela Globo. Agradeço o espaço para o debate e para as sugestões!

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. E olha que no texto do dia 09 de maio eu levantei essa bola kkk
    Eu disse que silvio Santos colocaria uma nova edição do Primeiro Impacto com o sem talento Dudu Camargo

    ResponderExcluir
  4. Triturando, Fofocalizando, Fofocando, WWE, Alarma TV... enfim, esse monte de programa só demonstra pra mim que Silvio Santos tem um péssimo gosto quando o assunto é televisão.

    ResponderExcluir
  5. Bom lembrar de outras apostas dele que tentou e deu certo....jornalismo na madrugada foi ideia dele, mesmo com jornal gravado e reprisado nas madrugadas.
    Sem falar nas apostas tipo Maísa, Celso Portiolli, Gugu, novelas mexicanas a tarde, além do já falado aqui agora...
    SS pode não estar nos melhores dias, mas ainda é uma cabeça pensante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo, ninguém aqui quer apagar os acertos de Silvio. Realmente, em sua longa carreira, ele teve apostas certeiras e se mostrou visionário em muitas ocasiões. Isso não se apaga. O que estamos reforçando neste texto é que ele não está numa boa fase, e está afundando sua emissora com tantas ideias estapafúrdias ao mesmo tempo. Acho que a boa fase do Silvio como "diretor de programação" já foi.

      Excluir
  6. Será que o SBT vai quebrar como a Tupi quebrou em 1980?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho que não quebra, já que o SBT, nos últimos anos, adotou uma gestão economicamente sustentável. Suas apostas são mais "seguras" comercialmente. Mas, como disse o Chico Barney do UOL, o canal pode caminhar para uma total irrelevância. O que seria muito triste.

      Excluir
  7. É chover no molhado falar da atual conjuntura do SBT, mas verdade seja dita: o Silvio não tem mais a mesma lucidez de antes para estar no comando do canal, e enquanto estiver vivo o SBT vai estar de pernas pro ar... Acredito que só depois que o SS partir é que a emissora vai ser obrigada a se reinventar, mas eu duvido que o SBT vá conseguir sobreviver sem seu fundador porque ele é o pulmão da emissora. A falência do SBT é uma questão de tempo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. João Paulo, eu não sou tão pessimista. Se o Silvio não destruir o SBT agora, eu acho que a emissora sobrevive sem seu criador. A emissora possui bons diretores no comando, e quando o artístico foi comandado pela filha Daniela Beyruti, ela fez coisas muito boas! Hoje ela se tornou consultora, mas quem sabe ela não retoma estas atividades depois? Pode render.

      Excluir
    2. Verdade, eu ia falar da Dani que é a única que tem competência para administrar o SBT, num possível falecimento do Silvio. Eu não vejo a Patrícia Abravanel no comando do canal, ela tem mais jeito pra apresentadora do que diretora do canal. Ocorre que a teimosia do Silvio é tanta que enquanto estiver vivo, faz questão de continuar no comando da programação. Tá na hora de preparar a herdeira pra assumir as funções e quanto ao SS, como o próprio disse uma vez pro Roberto Marinho "já está mais pra eternidade do que pra vida"

      Excluir