sábado, 30 de maio de 2020

Bastidores agitados e cobertura da pandemia marcam primeiros meses da CNN Brasil


Desde que foi anunciada sua chegada, a CNN Brasil começou a render notícias. Mas não notícias como matéria-prima, e sim notícias sobre si mesma. Isso porque o canal teve todo o seu processo de implantação amplamente repercutido pela imprensa especializada, e também pelas redes sociais da emissora, que anunciavam cada passo dado. Das grandes contratações ao anúncio de seus programas, tudo o que acontecia nos bastidores da ainda inexistente CNN Brasil repercutia.

Isso rendeu muitas expectativas e, claro, muitas desconfianças. Afinal, a emissora não economizou e atraiu para seus quadros nomes muito conhecidos do telejornalismo nacional. De Evaristo Costa a William Waack, primeiros nomes anunciados, a emissora arrematou ainda Reinaldo Gottino (que acaba de sair), Phelipe Siani, Mari Palma, Cassius Zeilmann, Luciana Barreto, Daniela Lima, Carol Nogueira e Monalisa Perrone, entre tantos outros. Ou seja, com tantas figuras conhecidas, o processo de montagem do canal se tornou praticamente um reality show, onde o público acompanhava os passos dos jornalistas que tanto conheciam, e que migravam para este novo canal.

Em meado de março, com meses de atraso, a CNN Brasil entrou no ar. E já estreou com um grande desafio pela frente. Afinal, o canal entrou em cena na mesma semana em que a Organização Mundial de Saúde declarou a pandemia de coronavírus. Era o início da quarentena e de um trabalho árduo para o jornalismo brasileiro, como um todo. Com estúdios fechados, os canais de TV se viram praticamente sem produção de entretenimento, e o jornalismo, naturalmente, se tornou o protagonista. Assim, os canais de notícia ganharam mais visibilidade. E isso rendeu pontos positivos e negativos para o canal.

O ponto positivo foi o fato de a CNN Brasil ter se abastecido de âncoras com ampla experiência em coberturas ao vivo. Reinaldo Gottino, com dois jornais diários, e Monalisa Perrone, além de vários outros companheiros, se mostraram preparados para a constante atualização de informações que a pandemia provocava (e ainda provoca). Porém, o lado negativo deste contexto é que a CNN não conseguiu estrear reforçando as diferentes propostas de seus programas. O Live CNN, por exemplo, nasceu com a proposta de ser um noticioso jovem e muito calcado nas redes sociais. Mas a cobertura da pandemia fez com que ele se mostrasse como um jornal tradicional. E todos os outros jornais também se dedicaram a esta cobertura (acertadamente), o que fez com que eles se tornassem todos parecidos uns com os outros. Ou seja, a proposta de cada jornal ter um foco e uma identidade ainda não foi totalmente reforçada ao público da emissora.

Além disso, a pandemia e a crise política brasileira que se instalou logo depois também não permitiram a CNN Brasil mostrar outras novidades preparadas, como o CNN Séries Originais, de Evaristo Costa. Anunciado desde a estreia, o programa acabou suspenso para dar espaço ao Breaking News, com as atualizações das informações da pandemia (e da crise política) no fim de semana. Com isso, a primeira estrela anunciada pelo canal foi vista pelo público apenas na estreia. Evaristo vai estrear só agora, dois meses depois do previsto. CNN Séries Originais estreia neste domingo, 31, às 19h.

E se a agitação nos bastidores ditou os rumos da “pré-estreia” da CNN Brasil, ela seguiu intensa com a emissora no ar. O canal mostrou que nenhum âncora é intocável, e segue promovendo constantes trocas e danças de cadeiras em seus jornais. Neste contexto, a emissora alçou dois novos nomes: Elisa Weeck, inicialmente contratada para comandar boletins, foi efetivada no CNN Novo Dia; e Caio Junqueira, inicialmente nos bastidores, se tornou companheiro de Monalisa Perrone no Expresso CNN, enquanto Carol Nogueira passou para o Jornal da CNN, que tem Waack como titular, mas que atualmente aparece remotamente, já que faz parte do grupo de risco do covid-19. A saída de Gottino e a chegada de Rafael Colombo também devem promover novas mudanças.

Tudo isso rendeu à CNN muita atenção desde a estreia. A emissora viralizou na web com o lançamento do quadro O Grande Debate, inicialmente no CNN Novo Dia e, atualmente, com duas edições, uma no matinal e uma no Expresso. A ideia do quadro é debater temas gerais sob os pontos de vista de debatedores com diferentes opiniões. Apesar de repercutir bastante, o quadro é um dos erros da nova emissora, já que aposta no “duelo” entre “direita” e “esquerda” de maneira pouco produtiva. Os debates não fazem ninguém pensar e apenas reforçam as ideologias já enraizadas no espectador. Tanto que o Noticias da TV revelou que a versão estadunidense do quadro nem sequer existe mais, pois provocou vários problemas nos EUA. Aqui, ele colabora perigosamente para a polarização política cada vez mais violenta do país. É quase um desserviço.

Porém, no geral, o saldo da nova CNN é positivo. A emissora possui um bom quadro de profissionais e faz um jornalismo quente e bastante honesto. Havia a desconfiança de que a emissora poderia ser escancaradamente pró-governo, já que seus sócios são considerados simpatizantes do presidente. Mas a emissora vem se mostrando bastante equilibrada neste ponto. Ela não é crítica, como a GloboNews, por exemplo, mas também não se mostra subserviente. Com isso, ela segue os moldes da matriz americana, que é bastante quadrada, tanto na forma como no conteúdo. Mas, num momento em que informação de qualidade nunca foi tão imprescindível, a CNN Brasil veio em boa hora. E os eventuais erros devem ser reparados com o tempo.

André Santana

16 comentários:

  1. Ei, André! Penso que o atual momento não permitiu que a CNN Brasil mostrasse 100% sua identidade. Acredito que isso só vá acontecer no ano que vem quando, se Deus quiser, a vida estará voltando ao normal. Me parece que o jornalismo imparcial tem sido a marca do canal de notícias, o que é muito bom. É ótimo ver jornalistas já consagrados dando show de profissionalismo (Monalisa Perrone, eu te venero!) e novos rostos idem como a Carol Nogueira, acho que ela era da Band, se não me engano. Já sobre O Grande Debate, concordo com o que você disse, porém acrescento que, pelo menos, o quadro nos agraciou com Gabriela Prioli, que tem tudo pra ser um dos grandes nomes da CNN. Ela não é jornalista, mas deve continuar agregando positivamente nos produtos do casa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mister Ed, concordo com você! Apesar de eu achar O Grande Debate um desserviço, a presença de Gabriela Prioli foi um achado! Excelente colaboradora.

      Excluir
  2. Olá, tudo bem? Confesso que sou viciado na GloboNews. E não sai da emissora para acompanhar a CNN Brasil que aparece com linguagem mais pesada no vídeo... Abs, Fabio www.blogfabiotv.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ebem chapa Branca a emissora e soaram verdes entrevistando a Regina Duarte ..os três poderiam ter a jantado com opiniões

      Excluir
    2. Oi Fabio! Eu também prefiro GloboNews, que vive uma ótima fase! Mas tenho espiado a CNN, que faz um trabalho correto. Miguel, não achei a entrevista com a Regina tão chapa branca não... tanto que ela não gostou e "pediu pra sair", rsrs! Abraços!

      Excluir
  3. A CNN chegou chegando no cenário com profissionais gabaritados, achei legal ver uma outra face da Monalisa Perrone e o surgimento da Gabriela Priolli como debatedora e de tanto jantar o Caio Coppola saiu cedo do Grande Debate. O Live com o casal de namorados Mari Palma e Phelipe Siani se tornou uma extensão dos outros jornais. Em apenas dois meses a emissora mostrou ser equilibrada e ainda repercutiu com entrevistas comprometedoras como a patética entrevista que a Regina Duarte deu e que deu chilique no fim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kleber, pelo fato de a CNN ainda ser nova, acho que ela está indo muito bem. Tem conquistado o seu espaço.

      Excluir
  4. Eu concordo qdo você coloca que a pandemia atrapalhou a identidade dos programas, até porque o assunto principal é (ou deveria ser, porque no Brasil não tem sido bem assim) a situação de saúde no mundo. De fato, teremos de esperar quando tudo isso passar para ver se uma identidade própria e mais ampla do canal pode surgir ou não, ainda que até as artes dos jornais é bem modesta para um canal que surgiu com tanto investimento. Também assino embaixo qdo você diz sobre os debates serem quase um desserviço pois, além de pregarem para convertidos, são feitos com pessoas que na verdade não deveriam receber, em muitos casos, o espaço que recebem, pois muitas são contumazes e conhecidos propagadores de mentiras.

    O problema para mim é que o canal vem fazendo uma cobertura com praticamente nenhuma diferença significativa em relação ao que a Globonews já faz; os nomes contratados não têm lá grande destaque, salvo poucas exceções. Além disso, o fato do canal praticamente fechar as portas às 23 horas denota alguma preguiça e falta de conteúdo, pois se baseiam praticamente apenas nesses debates com o princípio de gerar mais polêmica do que real discussão. A cobertura sobre os protestos nos EUA foi ridícula de modo geral.

    Soma-se a isso o viés, pelo menos para mim, claramente governista do canal. Não vou nem entrar em discussão se é bom ou ruim, não é o fórum para esse debate, ainda que seja clara a situação lamentável que o país passa. O que me incomoda é a tentativa de se passarem por imparciais, o que é um problema do jornalismo como um todo no Brasil. Só que no caso da CNN o pior é o fato de virem com um discurso diferente e não terem, de fato, trazido quase nada de positivo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. *até as artes dos jornais são bem modestas (corrigindo)

      Excluir
    2. Alexandre, realmente é incompreensível o canal parar às 23h. Bom ponto! Sobre o fato de a emissora ser governista, eu não vejo assim. Eu vejo um esforço enorme de isenção, o que pode parecer governista. E esta isenção nem sempre é uma qualidade, já que, num momento como o que vivemos, não se posicionar leva a distorções narrativas, como dar espaço a lunáticos com opiniões sem qualquer embasamento apenas para "ouvir o outro lado". Não. Não se ouve o outro lado quando o outro lado não tem dados concretos e se baseia em mentiras e opiniões despropositadas. Mas digo que não vejo como governista porque já vi vários dos comentaristas do canal fazendo críticas duras e contundentes ao governo. Então, resumindo, não acho o canal governista, mas acho que esta tentativa de imparcialidade leva à distorções graves. Neste momento, um posicionamento crítico, como o da GloboNews, é fundamental.

      Excluir
  5. A CNN BRASIL exibe em um único jornal 4 , 5 debates , acho muito cansativo
    SERA que depois que passar essa fervura em Brasília isso ocorrerá?
    Acho que aqui no Brasil, na nossa cultura de noticiários, gostamos de reportagens com entrevistas, reportagens com vários assuntos..só política e econômica num jornal de 4 horas cansa muito
    Sei que a cnn americana é muito quadrada , será que aqui conseguiremos uma flexibilização de assuntos?
    A emissora é boa, porém acho que muito debate e entrevistas bemmmm longas são pra encher os jornais, deveria ter mais reportagem de rua, fica menos maçante
    As vezes parece mais a TV Câmara, tv senado..sabemos que no Brasil não temos muito a audiência dessas emissoras
    Torço muito pela cnn Brasil

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caio, na verdade, eu vejo essa característica que você aponta como uma consequência das duas grandes coberturas atuais, que são a crise de saúde e a crise política. Tanto que até a GloboNews tem passado mais tempo com debates, e menos com matérias de rua. Creio que é o momento. Mas concordo que deveria ter equilíbrio.

      Excluir
  6. A CNN continua bem agitada, segundo o site Notícias da TV, Cassius perdeu o posto de âncora e Evandro cini assume
    Rafael ex band com Dani Lima farão o 360
    Pela manhã Carol Nogueira apresentará sozinha o Cnn novo dia
    Mesmo pouco tempo de existência o canal sempre está fazendo alterações, na internet é chamado de SBT Gourmet , devido às suas tanta mudanças na programação

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho estranha esse monte de mudança em tão pouco tempo. Além do troca-troca de âncoras, agora haverá um troca-troca de horários, já que vão aumentar o espaço do Agora e do Novo Dia, e diminuir o Live. Ou seja, começaram a mexer na grade.

      Excluir