terça-feira, 21 de maio de 2019

História da TV: Os 28 anos do lendário "Aqui Agora"

Ivo Morganti apresentava o Aqui Agora
No dia 20 de maio de 1991, o SBT lançava uma nova grade de programação que buscava elevar seus índices de audiência. Naquele dia, a emissora estreava uma nova faixa com novelas mexicanas, a infantil Carrossel, e a adulta Rosa Selvagem, ambas com excelentes índices de audiência. O canal também ampliava sua programação jornalística, levando a figura do âncora, lançada com o TJ Brasil de Bóris Casoy, ao fim de noite, com a estreia do Jornal do SBT com Lilian Witte Fibe. Além disso, os fins de tarde do canal não foram mais os mesmos, com o lançamento do jornal popular Aqui Agora

Inspirado num formato argentino, Aqui Agora era um jornal que tinha a intenção de falar a “língua do povo”. Com o slogan “um jornal vibrante, uma arma do povo, que mostra na TV a vida como ela é!”, o programa era apresentado por Ivo Morganti e Patrícia Godoy, além de contar com vários co-apresentadores e comentaristas. Nomes como Sérgio Ewerton, Christina Rocha, Sônia Abrão, Jorge Helal, Luiz Lopes Corrêa, Sílvia Garcia, Liliane Ventura e Guilherme Contrucci, entre outros, passaram pela bancada. Entre os comentaristas, chamava a atenção a presença de Maguila (ele mesmo, o pugilista) falando sobre economia (!), e Nelson Rubens e Leão Lobo trazendo as notícias das celebridades.

Aqui Agora marcou época ao apostar em reportagens longas, quase sem cortes, mostrando muita correria entre repórteres e cinegrafistas. Essencialmente policial, a atração fazia uso indiscriminado dos caracteres na tela, normalmente com manchetes sensacionalistas. Muitos repórteres marcaram época no Aqui Agora, como Celso Russomanno, Jacinto Figueira Jr (o “Homem do Sapato Branco”), Wagner Montes, Cesar Tralli e o inesquecível Gil Gomes, que fez história com sua maneira de narrar os mais bárbaros crimes.

Com excelentes índices de audiência, Aqui Agora teve sua importância no jornalismo brasileiro. O chamado “mundo cão” ganhou outro status depois da atração, e chegou a influenciar as matérias policiais até dos jornais mais tradicionais, de todas as emissoras. Além disso, Aqui Agora foi o responsável pela proliferação dos jornais policiais. Antes dele, havia o famoso Cadeia, da Rede OM/CNT, mas foi o Aqui Agora quem popularizou o formato. Um dos filhotes mais evidentes do Aqui Agora é o Cidade Alerta, no ar até hoje na Record.

Porém, com o passar dos anos, o Aqui Agora foi mudando. Além de perder fôlego no Ibope, o jornal foi, aos poucos, amenizando seu conteúdo, numa tentativa do SBT de melhorar o seu faturamento. Assim, num determinado momento de sua história, o Aqui Agora se tornou um jornal mais tradicional, chegando a ter na bancada nada menos que Eliakim Araújo e Leila Cordeiro, considerados o “casal 20” do telejornalismo brasileiro. Mas, com audiência em baixa, a atração foi cancelada em abril de 1997, sendo substituída pelo infantil Disney Club. Porém, retornou em julho do mesmo ano, quando o SBT tirou Ney Gonçalves Dias da Record. Na época, Ney era o titular do Cidade Alerta, que registrava bons índices de audiência. O Aqui Agora, então, voltou com o mesmo formato do jornal da Record, mas não deu certo. Saiu do ar em dezembro de 1997.

No entanto, como os jornais policiais seguiram nos demais canais (vieram o Brasil Urgente, da Band, e o Repórter Cidadão, da RedeTV), Silvio Santos sempre acalentou o sonho de voltar a investir no filão na faixa das 18h. Ensaiou várias retomadas: chegou a anunciar a estreia de um programa chamado Jornal Policial, que nunca aconteceu, e lançou o Jornal da Massa, com Ratinho em 2007, que não deu muito certo e se transformou num programa de humor. Mas, em 2008, a coisa tomou forma, com a volta do Aqui Agora. Luiz Bacci, Christina Rocha, Herbert de Souza e Joyce Ribeiro apresentaram a nova versão do programa. Mas a volta não deu certo, registrou baixos índices de audiência, e chegou a trocar seus apresentadores, com as entradas de César Filho e Analice Nicolau. Ficou no ar pouco mais de um mês.

Mas a volta do Aqui Agora nunca saiu do radar do dono do SBT. Entre 2009 e 2010, por exemplo, a emissora apostou no Boletim de Ocorrências, uma versão mais “modesta” da atração. Já em 2013, o canal chegou a anunciar o retorno do Aqui Agora, que seria apresentado por Neila Medeiros (“a única capaz de derrotar Datena e Marcelo Rezende”, dizia a chamada), porém, o nome do jornal acabou alterado para SBT Notícias (e não deu certo). Porém, até hoje, há quem acredite que Silvio Santos está apenas à espera de um grande nome para apresentar e ressuscitar de vez o jornal policial que marcou época.

André Santana

3 comentários:

  1. Aqui Agora era um horror! Não sei como fez sucesso isso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você, Adrian! A primeira versão do Aqui Agora me dava aflição com aquelas câmeras trêmulas e a gritaria dos repórteres.

      Excluir
  2. Acho que o sucesso do Aqui Agora ficou no passado, e mesmo que façam um novo reboot, não vai emplacar, haja vista os fiascos das duas últimas versões. Aliás, o Datena era a opção mor para apresentar a versão de 2008, mas com a recusa desse, Silvio Santos teve que se virar e escalar nomes novatos do jornalismo como Joyce Ribeiro e Luiz Bacci com nomes consagrados como Christina Rocha e Celso Russomanno, e mesmo assim o novo Aqui Agora não engatou. Nem a troca de apresentadores para a dupla César Filho e Analice Nicolau salvou o programa do fracasso. A bem da verdade, o clássico Aqui Agora teve mais repercussão porque foi lançado numa época em que não existia o segmento de programas policiais. Além do mais, o extinto jornal Notícias Populares contribuiu em partes para o êxito do jornal. Há alguns anos atrás o SBT tentou revisitar o também lendário Programa Livre, mas o projeto ficou no papel, e ainda que viesse a lume, teria o mesmo efeito do remake do Aqui Agora. A nostalgia fala mais alto como tenho visto no Youtube que é celeiro do saudosismo televisivo, mas temos que entender que a época muda, bem como o hábito televisivo que anda praticamente em extinção por causa das mídias digitais. O jeito é relembrar o velho AA no Youtube, e se o SBT aposta num novo jornalístico, que seja original, em vez de se apegar a um programa do passado para tentar emplacar na atualidade. A ideia de reviver o passado não é má, mas nem sempre surte efeito.

    ResponderExcluir