sábado, 1 de dezembro de 2018

Qual é o problema das tardes da Globo?

"Como assim vocês
não gostam da gente?"

Na semana passada, falamos aqui sobre o Cidade Alerta, que tem abocanhado a liderança de audiência em diversos momentos. O jornal de Luiz Bacci, porém, não é o único jornal popular da Record a fazer frente à programação da Globo. O Balanço Geral já coloca o Vídeo Show no bolso há tempos, e agora começa a incomodar, também, o Jornal Hoje. Enquanto isso, faixas como Sessão da Tarde e Vale a Pena Ver de Novo até lideram, mas veem suas diferenças com relação à concorrência ficarem cada vez menores. Ou seja, a tarde da Globo como um todo vem vivendo uma crise de audiência inédita.

Já falamos sobre o Vídeo Show diversas vezes. O diagnóstico é o mesmo: sobram apresentadores (ruins) e falta conteúdo à atração. Os bastidores da Globo já não parecem uma pauta tão fascinante quanto um dia já foi. Faz tempo que o vespertino parece preguiçoso em forma e conteúdo, e, hoje, o Vídeo Show paga pelo seu tempo de inércia. Está numa situação tão crítica que parece não haver mais uma solução além de sua extinção. Porque mexer mais uma vez parece tão perigoso quanto deixar como está.

Depois de Vídeo Show, entram Sessão da Tarde e Vale a Pena Ver de Novo. Duas faixas clássicas da Globo, as duas atrações só não está piores porque a concorrência não exibe nada muito atrativo no mesmo horário. Aqui, o problema parece ser a consequência de uma decisão tomada há quatro anos: a inversão de horários entre as duas atrações. “Colar” Vídeo Show no Vale a Pena Ver de Novo sempre pareceu coerente. Quem gosta de conferir os bastidores da Globo também gosta das novelas da casa. Ou seja, os dois programas têm públicos que dialogam. Ao “separá-los”, a emissora quebrou um efeito cascata que fazia sentido.

Agora, há um filme que separa Vídeo Show da reprise da novela. Um filme que não necessariamente herda público do vespertino. Aliás, um filme que, quase sempre, não desperta grande interesse de ninguém. Não é de hoje que a TV aberta perde cada vez mais público com exibição de filmes. E a Sessão da Tarde raramente exibe filmes de forte apelo. Percebendo o erro, a emissora chegou a trocar a programação da última semana, escalando filmes mais populares. Mas será que reforçar o pacote é a solução?

Além de perder o público do Vídeo Show, o Vale a Pena Ver de Novo também sofre com escalações equivocadas de suas novelas. Os dois últimos cartazes da faixa, Celebridade e a atual, Belíssima, não disseram a que vieram. Arrisco dizer que, neste horário mais tardio, o Vale a Pena Ver de Novo só reage mesmo quando há um “novelão” em cartaz. Basta relembrar dos últimos grandes sucessos do horário: Senhora do Destino, Cheias de Charme e O Rei do Gado. Outras novelas que já fizeram sucesso na faixa, como Anjo Mau, naufragaram em suas re-reprises.

Fechando a grade vespertina, entra Malhação – Vidas Brasileiras. A atual temporada da novela adolescente é uma das piores da história do programa. O formato adotado, de histórias que se encerram a cada duas semanas, não permite ao público se envolver com os personagens e as situações. Tudo é muito superficial e apressado. Adaptar a série canadense 30 Vies revelou-se uma ideia equivocada. Uma pena, levando em consideração que esta Malhação substituiu Viva a Diferença, talvez a melhor temporada da história da atração.

Ou seja, há muitos problemas nas tardes da Globo. Alguns não parecem tão complicados de resolver, como Malhação, que em breve lança nova temporada. Mas outros, como o Vídeo Show, carecem de medidas urgentes. Mariano Boni acaba de assumir a direção dos programas de entretenimento de entrevistas, e caberá a ele resolver a primeira pedra no sapato da grade vespertina: o Vídeo Show. Há muitos boatos em torno disso, como sua extinção e substituição pelo Encontro, ou a estreia de uma nova atração no horário, ou até colocar Fernanda Gentil como nova apresentadora da revista vespertina. Tudo é especulação. Mas espera-se grandes mudanças para 2019, já que a Globo não é de ficar parada diante de problemas urgentes.

André Santana

13 comentários:

  1. Bela crítica. Só discordo que a última Malhação tenha sido a melhor. Foi ótima, mas tem outras melhores, questão de gosto, respeito o seu. O grande problema dessa atual temporada é querer ser como a outra que acabou só que a atual autora não tem o talento que o autor anterior tinha para casar bem entretenimento e causas sociais ou seja sabia divertir e informar. Nesta tentam informar, mas não conseguem divertir e ainda são superficial. A próxima temporada será de João E. Jacobina que escreveu ótimas temporadas de Malhação e que foca mais no entretenimento e talvez o que Malhação precisa agora é dar folga, não abandonar, dar folga às questões sociais e se voltar mais para um folhetim puro, para não cansar o público. Quanto à Vale a pena ver de novo estão errando mesmo na escolha das novelas. A próxima deveria ser um título bem popular, uma rereprise de alguma comédia do Walcyr para estancar a queda. Já o Vídeo Show estava mais ou menos com o Otaviano e aí do nada resolveram mudar e estão pagando caro por isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jacobina fez ótimas Malhações, mas pisou na bola feio em Seu Lugar no Mundo e Pro Dia Nascer Feliz. Vamos ver se a próxima será melhor.

      Excluir
  2. Olá, tudo bem? O Vídeo Show contamina negativamente toda a grade vespertina. É uma maçã podre. A emissora também deveria reavaliar Malhação. Abs, Fabio www.blogfabiotv.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Malhação deve continuar vide o sucesso da anterior o problema está nessa temporada, extinguir malhação seria um erro crasso.

      Excluir
    2. Oi Fabio, tudo bem? Concordo com a Ana, Malhação ainda tem muito a oferecer. Eu não acreditava nisso até Viva a Diferença, que elevou o padrão da produção. O problema, agora, é manter este padrão, coisa que Vidas Brasileiras não conseguiu. Já Vídeo Show, sim, concordo com você. O programa não tem mais jeito e joga a programação pra baixo. A Globo precisava de uma reforma geral nas tardes.

      Excluir
  3. Bom, já tinha falando um pouco do assunto nos outros textos,rs...

    Acho só que não devemos nos esquecer que existe um componente de boicote à Globo, muito pela questão política que vivemos no país neste ano. Não que o boicote por si só encubra os erros da emissora, evidente que não, mas pesa um pouco certamente, principalmente nos casos do Amor e Sexo e do Encontro e acaba influenciando um pouco pelo clima anti-Globo que existe em parte do país.

    Temos sempre que lembrar também para quais programas a Globo tem perdido ibope na parte da tarde; um programa tosco de fofocas em que uma das especialidades é falar mal dos artistas DA PRÓPRIA GLOBO e um programa de violência e policialesco. Acho que, mesmo quem detesta a Platinada, deveria pensar um pouco se estamos melhorando mesmo em termos de qualidade.

    Como disse em um texto seu anterior, se a Globo estender o jornalismo pode estancar um pouco a queda no início da tarde; aumentando jornal local, Globo Esporte e Jornal Hoje, pode obter melhores resultados. Na questão da Malhação confesso que não conheço a fundo para saber como está e como funciona, mas penso que também pode estar afetada pela rejeição a temas ligados à diversidade. Penso que a Globo pode pensar em mudar ou ao menos variar o que é exibido no horário; as reprises de novelas e filmes da Sessão da Tarde ainda tem boa repercussão, então não penso serem casos perdidos, pelo menos por enquanto.

    Bom lembrar também da questão da audiência na madrugada; o programa do Gentili, mesmo com ele sendo uma figura, no mínimo, controversa, é animado, e tem conseguido usar isso a seu favor, ao contrário do programa do Bial.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só pra completar (já falei demais,rs): Acho a tentativa da Globo em fazer um programa mais sério e com conteúdo com o Bial interessante, porém parece que infelizmente a ideia não caiu no gosto do público; talvez tb porque o Bial tenha um certo desgaste de imagem com o BBB e o contraste de seriedade nesse momento não encontra eco no confronto com o Gentili.

      Excluir
    2. Bial abusa da pauta com viés de esquerda...progressista num país que hoje em sua maioria é conservador e de direita.

      Excluir
    3. Vídeo show deveria ser trocado por um programa que mesclassejornalismo e entretenimento como o estúdio i.Ai seria interessante

      Excluir
    4. Já assisti algumas edições do programa do Bial. É bem interessante, uma pena que não faça muito sucesso. Mas acho que a Globo deveria ser mais cautelosa ao exibir, falar e abordar certos assuntos que são tidos como de esquerda ou progressistas e também ao tomar partido de determinadas causas. Talvez seja esse um dos fatores dessa crise de audiência da Globo.

      Excluir
    5. Ana e Alexandre, mas vocês acham mesmo que este conservadorismo está afetando a Globo ao ponto de ela perder a audiência? Não que eu duvide disso, mas acho que a perda de fôlego tem mais a ver com apostas equivocadas do que pelo conservadorismo. O enfraquecimento das tardes, eu vejo como uma consequência de uma grade falida. Concordo com o Miguel que mais jornalismo à tarde pode ser uma solução. E Jorge, não acho que a Globo tem que tomar cuidados com estas pautas. Claro, ela pode ser mais plural (e eu vejo uma tentativa disso, como a entrevista com o militar chefe de gabinete do futuro presidente nesta semana), mas pautas "progressistas" não são necessariamente partidárias. São, sim, assuntos contemporâneos que merecem ser discutidos.

      Excluir
  4. Eae André. Essa Malhação é tenebrosa, não dá para gostar de nenhum personagem, é tudo forçado... O pior é que vai até meados de abril...

    ResponderExcluir