quinta-feira, 11 de maio de 2017

Há 21 anos, SBT exibia o último "Casa da Angélica"

Hoje estive pesquisando pautas sobre história da TV para escrever uma matéria para o site Observatório da Televisão, do qual sou colaborador. E descobri que, há exatos 21 anos, o programa Casa da Angélica saía do ar pelo SBT. Sim, no dia 11 de maio de 1996, o programa infantil que Angélica comandou nos domínios de Silvio Santos durante três anos chegava ao fim. Fui tomado por um ataque de nostalgia, confesso.

Passei boa parte da minha infância assistindo aos programas de Angélica. Quando ela estourou, era praticamente a única das apresentadoras infantis da época a comandar programas vespertinos. Como eu estudava de manhã, o Clube da Criança, na Rede Manchete, era uma boa opção. E a loirinha estava no auge na TV dos Bloch, pois também comandava o Milk Shake, um musical nas tardes de sábado que também fazia muito sucesso.

Lembro-me bem da expectativa que foi gerada quando ela anunciou que estava se transferindo para o SBT. Na nova emissora, muitos teasers eram lançados anunciando sua estreia, mas era o novo programa era sempre adiado. Isso aconteceu porque sua nova atração enfrentou problemas de formatação. Inicialmente, seria um programa totalmente diferente do Clube da Criança. Mas os primeiros pilotos não foram aprovados, e a atração precisou ser totalmente reformulada, adotando um formato mais convencional. Entrou no ar a Casa da Angélica, com uns três meses de atraso.

Mesmo sendo bem parecido com o Clube da Criança, Casa da Angélica trazia um diferencial. No infantil, a apresentadora protagonizada diversos quadros de humor, vivendo vários personagens. Bernardão, o taxista; Angelicastrid, a “VJ”; Anjólica, uma sátira ao Jô Soares; e tantos outros, cujos nomes não me lembro. Lembro só que havia uma apresentadora de programa de culinária e uma âncora de programa esportivo. Tempos depois, foi lançado o quadro Tempestade de Lágrimas, uma sátira às novelas mexicanas. Otaviano Costa, que fazia uma “voz misteriosa” que conversava com Angélica no palco da Casa da Angélica (e repetia o bordão “ai que meda!”), também participava deste quadro, como o galã da história.

Casa da Angélica até registrava uma boa audiência nas tardes do SBT, mas não chegou a estourar. O sucesso da apresentadora na TV de Silvio Santos viria mais tarde, quando passou a comandar novas versões do TV Animal e Passa ou Repassa, dois programas apresentados anteriormente por Gugu Liberato. Este último explodiu no Ibope, dobrando a audiência das tardes do SBT na época. E, por conta disso, Casa da Angélica foi perdendo força, e acabou sendo transferido para a faixa matinal. Em seus últimos suspiros, ia ao ar das 7h30 às 8h da manhã, antecedendo o Bom Dia e Cia, de Eliana. Tinha apenas meia hora de duração, sendo apenas quinze minutos de arte. Ali, Angélica se despediu do SBT. Quatro meses depois, estreava seus novos programas, Angel Mix e Caça Talentos, na Globo. E o resto é história!

Ah, vale lembrar que, com a saída de Angélica, seus programas vespertinos ganharam substitutos. Eliana passou a comandar o TV Animal, enquanto Celso Portiolli fazia sua estreia como animador assumindo o Passa ou Repassa.

Leia a matéria sobre a Casa da Angélica no Observatório da Televisão aqui: http://bit.ly/2pEu31I

O TELE-VISÃO virou livro! Compre agora! CLIQUE AQUI: http://bit.ly/2aaDH4h


André Santana

6 comentários:

  1. Eu amavaaaaa Casa da Angélica! Nem me lembrava que tinha acabado tão melancolicamente, rs!

    ResponderExcluir
  2. Casa da Angélica marcou minha infância lembro que mandei cartas para os sorteios ,o prêmio era uma bike hehehe
    Aqui em minha cidade interior de sp a Rede Manchete não pegava só em parabólicas ,as vezes ia no amigo próximo bem na hora do clube da criança a tarde só pra assistir ,fiquei muito feliz qdo Angélica foi para o SBT já que era aberto o sinal
    Bons tempos ! Nostalgia

    ResponderExcluir
  3. Casa da Angélica era um sucesso ,o primeiro cenário achei meio pobre para uma apresentadora do porte da Angélica já o segundo aquele que ela saia de um relógio era bem bonito

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu achava o cenário do relógio mais pobrinho do que o primeiro, rsrs! Os dois, na verdade, eram meio estranhos, mas era a prática da época. Olha no Youtube os cenários do programa da Mariane ou Simony, ou Mara Maravilha, eram todos bem tosquinhos, hehe!

      Excluir