Ticker

6/recent/ticker-posts

Publicidade

Top 10 de 2021 – destaques negativos

Em 2021, as emissoras abertas tentaram, na medida do possível, retomar alguma normalidade em suas produções. E o streaming cresceu, ocupando um lugar de destaque em meio ao cenário audiovisual brasileiro, oferecendo mais conteúdo ao público. E, apesar das boas intenções, erros aconteceram. Por isso, o TELE-VISÃO inicia 2022 listando os dez destaques negativos do ano que passou. Trata-se de uma lista baseada unicamente na opinião deste que vos escreve e, portanto, está sujeita a injustiças e esquecimentos. A ordem em que aparecem não é importante. Vamos lá?

- “Zig Zag Arena”

O fiasco do ano. Buscando variar sua programação dominical e bater de frente com o Domingo Legal, do SBT, a Globo criou um game show para chamar de seu. Mas Zig Zag Arena se revelou extremamente pirotécnico e pouco funcional. Não havia qualquer graça ou emoção para quem assistia, apenas uma correria confusa. A Globo precisa parar de colocar Fernanda Gentil em barco furado, ou vai queimá-la de vez.

- “Agora com Lacombe”

Emissora que abraçou o negacionismo para tentar algum crédito junto ao Governo Federal, a RedeTV se jogou no fundo do poço com os programas comandados por Luís Ernesto Lacombe. O jornalista promove “debates” e “entrevistas” que, quase sempre, esbarram em ataques à ciência e profusão de fake news. Um desserviço em forma de programa de TV.

- “Vem pra Cá”

Tentativa do SBT de emplacar uma revista eletrônica matinal, o Vem pra Cá não funcionou. O programa já começou errado com a escolha dos apresentadores: Patrícia Abravanel não tem perfil para a atração, e Gabriel Cartolano ainda precisa de mais experiência. Além disso, o matinal é preguiçoso, aborda pautas batidas e pouco conversa com o público do SBT. Falta alma, falta algo que o coloque como um entretenimento popular, falta a vibração e o diálogo direto com o público que os programas do SBT já alcançaram um dia.

- “Verdades Secretas 2”

Vendida como a primeira novela para o streaming, Verdades Secretas 2, do Globoplay, foi uma grande decepção. A “profecia” deste blog se revelou verdadeira: a primeira Verdades Secretas tinha um excelente e definitivo desfecho e, portanto, reabri-lo seria uma péssima ideia. Deu no que deu. Verdades Secretas 2 contou uma história mambembe, frouxa e que tentou se segurar nas cenas de sexo coreografadas, grande parte delas entediante. Nada funcionou e seu final (ou seus finais?) foi de doer! Menção honrosa do Globoplay: Casa Kalimann! O que foi aquilo, meu Zeus?

- Fim da Loading

A Loading foi uma das melhores novidades da TV aberta em 2020. Infelizmente, durou pouco. Com a proposta de uma programação voltada ao público jovem, com conteúdo nerd/geek, a Loading não aguentou a má gestão de sua alta cúpula e “quebrou” após pouco mais de cinco meses no ar. O canal produziu ótimos programas, como Multiverso, e revelou talentos, como Fernanda Pineda e Fabio Gomes. Foi bom enquanto durou…

- Jovem Pan News

Em 2021, a televisão brasileira ganhou um novo canal de notícias com a chegada da Jovem Pan News. Com a estrutura da rádio Jovem Pan, a nova emissora repete, na TV, o tom conservador e negacionista já conhecido da rádio, abrindo espaço para discursos equivocados e fake news. Mais um desserviço num período tão crítico em que vivemos.

- “Domingão com Huck”

Não apenas o programa em si, mas tudo o que envolve a sua estreia. A Globo resolveu finalizar o Domingão do Faustão com o discurso de renovação da grade de domingo da emissora. Mas não houve nenhuma novidade de fato. Com a antecipação da saída de Faustão, a equipe de Luciano Huck não teve tempo de criar um novo programa do zero, e lançou o tal Domingão com Huck (nem o nome se deram ao trabalho de mudar….) apenas reciclando quadros do próprio Domingão e do Caldeirão. A primeira impressão foi péssima, a mudança pareceu apressada e amadora, e a emissora terá que rebolar para emplacar este programa em 2022.

- “A Bíblia”

O sucesso de Gênesis deu um up que a Record buscava há tempos em sua dramaturgia bíblica. Mas a emissora, pra variar, não soube planejar sua substituta para aproveitar o seu sucesso e enfiou goela abaixo do público o compilado A Bíblia, que reúne Gênesis, Os Dez Mandamentos e A Terra Prometida. A “desculpa” é preparar o terreno para Reis. Mas ficou claro que não houve tempo hábil para a produção inédita. No ar, A Bíblia não parece um produto novo, e sim que Gênesis está sendo exibida em looping.

- “No Limite”

Primeiro reality show da TV aberta brasileira, o No Limite estava engavetado há mais de dez anos. Mas alguém na Globo achou que seria uma boa ideia retomar a atração, para tentar manter a boa audiência do BBB. E, de quebra, o elenco era todo formado por ex-BBB's, para que o programa surfasse mais ainda no sucesso do outro reality. Mas nada deu certo. O elenco não funcionou, as provas decepcionaram e André Marques parecia querer estar em qualquer outro lugar, menos ali. No Limite é um bom programa, mas talvez tenha que permanecer na memória de quem o acompanhou em 2000…

- “Hora do Faro”

Rodrigo Faro vê seu prestígio em queda livre desde o fatídico dia em que perguntou como estava a audiência enquanto homenageava Gugu Liberato. Desde então, todos os cacoetes e brincadeiras do animador, que antes considerados engraçados, agora soam pedante ou arrogante. Isso se reflete no Hora do Faro, que nunca esteve tão ruim. Rodrigo perdeu o brilho, e seu programa, com quadros batidos e sem criatividade, ficou estacionado. Tanto que há tempos ele não vence Eliana, do SBT, coisa que antes era bem frequente.

E para você, internauta? Quais são os destaques negativos de 2021 na TV? Deixe seu comentário.

Neste dia 1º de janeiro de 2022, o TELE-VISÃO deseja a todos um excelente ano novo! Que este novo ciclo represente um período de renovação de sonhos, esperanças, paz e, principalmente, saúde! No próximo sábado, o TELE-VISÃO apresenta os destaques positivos de 2021. Até lá!

André Santana

01/01/2022

Postar um comentário

5 Comentários

  1. Feliz ano novo André, sei que estava sumido dos comentários aqui, mas vamos lá. Sobre os 10 piores não tenho de discordar em nada. Achei o Zig Zag um tremendo fracasso e a Fernanda Gentil que é muito boa apresentadora poderá ser queimada se a Globo insistir em colocar em roubadas, o No Limite deveria ter ficado na gaveta, já teve seu momento, o Domingão com Huck foi um upgrade malfeito do Domingão do Faustão que agora é passado, Verdades Secretas 2 foi um equívoco e ainda querem fazer a terceira, sobre o fim da Loading não cheguei a assistir o canal, agora a Jovem Pan News, que vexame, praticamente a mesma coisa do negacionismo da rádio e o Lacobme, outro que descamba pro apoio ao Bolsonaro se perdeu depois que deixou o esporte. Pra finalizar o Vem pra cá não sobrevive a esse ano pois falta traquejo pra Patrícia Abravanel comandar esse tipo de programa.

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem? Huck, até aqui, mantém o mesmo padrão de audiência do Faustão. SBT e Record não oferecem opções capazes de tirar o telespectador da TV Globo. Essa é a realidade. Aproveito a oportunidade para desejar um ótimo 2022! Abs, Fabio www.blogfabiotv.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Excelente texto e concordo em gênero, número e grau com tudo o que escreveu! Feliz 2022 e Abraços André.

    ResponderExcluir
  4. Concordo quw vdd secretas foi fraca mas as cenas de sexo foram ousadas
    .ate veteranos se jogarqm como deborah evelyn e as cenas gay ousadas do mateus

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir