sábado, 6 de março de 2021

Enquanto não estreia no horário nobre, Lícia Manzo brilha às seis com "A Vida da Gente"

Os fãs de novelas que valorizam o texto, os diálogos bem construídos e os dramas psicológicos encontraram em Lícia Manzo um bálsamo. A autora, apesar de ter apenas duas novelas como titular no horário das seis, conquistou corações e deixou claro que tem um estilo muito próprio, com novelas que valorizam as relações humanas e as conversas francas. A Vida da Gente (2011) e Sete Vidas (2015) foram duas das melhores novelas da década passada.

Nenhuma delas foi fenômeno de audiência, embora também estejam longe de serem fracassos. Mas as duas foram extremamente bem recebidas pela crítica especializada, e até pelo mercado internacional, além de terem alcançado fãs ardorosos (grupo no qual se inclui este pequeno jornalista que vos escreve). A Vida da Gente, em pouco tempo, se tornou uma das novelas mais exportadas da Globo, levando para o mundo o texto sensível da autora.

Estes feitos credenciaram Lícia Manzo a se tornar um nome festejado dentre os novos novelistas revelados pela Globo nos últimos dez anos. Entretanto, a trajetória da autora é bastante marcada por reveses, cancelamentos e adiamentos. Tanto que emplacou “apenas” duas novelas em dez anos, enquanto vários de seus colegas permaneceram no ar por anos a fio. Lícia viu duas novelas das onze serem adaptadas ou canceladas, e também viu uma minissérie ser engavetada. Por outro lado, foi alçada ao horário nobre, confirmada na concorrida faixa das 21 horas.

Quando parecia que ela, finalmente, conquistaria o espaço que tanto merecia, veio a pandemia da covid-19. Com o fechamento dos estúdios e a escalação de reprises para ocupar os horários de novelas, Lícia viu sua estreia às 21 horas ser adiada constantemente. Em março do ano passado, antes da declaração da pandemia, Amor de Mãe começava a decolar em sua reta final, e Um Lugar ao Sol, trama de Lícia, já estava em gravações para substitui-la entre abril e maio. A pandemia suspendeu as gravações das duas produções.

No segundo semestre do ano passado, os trabalhos foram retomados. Amor de Mãe teve seus últimos capítulos gravados, que serão exibidos a partir do próximo dia 15 de março, e Um Lugar ao Sol voltou a ser gravada já dentro dos protocolos de segurança. A expectativa na Globo era que a novela pudesse estrear em abril de 2021, ao fim de Amor de Mãe. Ou seja, exatamente um ano depois da previsão inicial. Mas, com o agravamento da pandemia no país, uma nova pausa se fez necessária. E Um Lugar ao Sol foi novamente adiada. Uma reprise de Império substituirá Amor de Mãe em abril.

Obviamente, são cuidados que se fazem necessário. O momento é crítico e qualquer tentativa de fazer com que menos pessoas circulem pelas ruas é válida. Sendo assim, a Globo toma uma decisão correta e bastante responsável. E o noveleiro ávido pela estreia de Lícia Manzo no horário nobre precisa segurar mais um pouco a ansiedade. Prudência é a palavra. Esperemos, então, e nos cuidemos.

E há um consolo no ar: A Vida da Gente ganhou uma edição especial às seis nesta semana. Com o atraso nas gravações de Nos Tempos do Imperador, próxima novela inédita do horário, a emissora optou por uma nova reprise. E escolheu justamente A Vida da Gente, uma grande novela, que mostrou ao grande público a habilidade de Lícia Manzo na condução de grandes dramas humanos, no melhor sentido da palavra. Enquanto não vemos Um Lugar ao Sol, ao menos temos o belo texto da autora em outro horário, numa novela acima da média.

A Vida da Gente é uma novela deliciosa. A saga das irmãs Ana (Fernanda Vasconcellos) e Manu (Marjorie Estiano) é de uma beleza difícil de se traduzir em palavras. Além disso, a novela tem uma das melhores performances de Ana Beatriz Nogueira (Eva), Maria Eduarda de Carvalho (Nanda) e tantos grandes nomes. É o melhor momento de Fernanda Vasconcellos, que vinha de uma série de mocinhas fracas. Marjorie Estiano brilha! E Nicette Bruno, como a doce avó Iná... o que é aquela atriz? Revê-la em um de seus melhores papéis pouco tempo após perdê-la para esta doença terrível é uma oportunidade de ouro.

Já que vivemos tempos tão terríveis, ao menos tempos boas opções na TV aberta atualmente. Rever A Vida da Gente e reencontrar Amor de Mãe neste contexto ajuda a nos manter um tanto mais serenos neste momento tão grave e desesperançoso.

André Santana

12 comentários:

  1. Pois e essa civis gostou do Brasil..complicado

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem? Não fiquei envolvido com Sete Vidas, mas A Vida da Gente é uma ótima novela realmente. Já comentei no meu blog. Abs, Fabio www.blogfabiotv.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fabio! Eu fiquei muito envolvido com Sete Vidas! Até hoje não decidi se prefiro esta ou A Vida da Gente. Acho as duas muito, muito boas! Abraço!

      Excluir
  3. Torço para que José Luiz villamarim reveja a decisão de Silvio de Abreu e tire da gaveta a sinopse da novela "Jogo da Memória" que Lícia Manzo escreveu para faixa das onze,achava a ideia muito interessante de contar as história em três tempos simultâneos, pelo que consta já está com seus 57 capítulos escritos, tomara que retomem o projeto após o fim de "Um Lugar ao Sol".

    ResponderExcluir
  4. Ansioso pela estréia de Um Lugar ao Sol e pela volta de Andréa Beltrão e Denise Fraga às novelas

    ResponderExcluir
  5. O que a Globo tá esperando para chamar Fernanda Vasconcellos para voltar a protagonizar novelas, ela deu show em a vida da gente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Engraçado que eu sempre achei a Fernanda fraquinha. Mas em A Vida da Gente ela deu um salto! Ganhou uma maturidade cênica que levou para seus trabalhos seguintes. O que era ela em Coisa Mais Linda??

      Excluir
  6. O mais importante, para mim, eh rever Nicete Bruno talvez no seu ultimo papel importante, que, com todo respeito a dupla Thelma e Duca, as personagens da Nicete em Joia Rara e Orfaos da Terra nao foram do tamanho merecido que essa grande atriz merecia. Outro grande persomagem dela entre inumeros, foi a Ursula, da novela do Alcides Nogueira, uma vila, uma raridade na carreira dela. E fora, a Nicete, eh chover no molhado elogiar A Vida da Gente ne, texto direcao atores. Ansioso pra que no segundo semestre tenhamos Um Lugar ao Sol totalmente gravado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daniel, concordo! Nicette viveu aqui sua última grande personagem! Maravilhosa Iná!

      Excluir