sexta-feira, 9 de agosto de 2019

Jornalismo da Globo vive nova fase de mudanças

"A chuvica agora é no Jornal Hoje!"
Os últimos meses foram realmente movimentados no jornalismo da Globo. Do fim do ano passado pra cá tivemos a transferência de Fernanda Gentil para o entretenimento, mudanças na apresentação do Globo Esporte, demissões e dispensas de nomes como Cris Dias, Mauro Naves, Phelipe Siani e Dony De Nuccio (entre tantos outros), pelos mais variados motivos. E, agora, é o Globo Repórter e o Jornal Hoje que serão os próximos alvos de mudanças.

Hoje, 09, foi divulgado um e-mail assinado por Ali Kamel, diretor-geral de jornalismo da Globo, informando o pedido de aposentadoria de Sergio Chapelin. O veterano, com passagens importantes pelo Jornal Nacional, Jornal Hoje e Fantástico, sempre foi o principal nome do jornalístico das noites de sexta. Chapelin foi o primeiro apresentador do programa e, anos depois, retornou para não mais sair. Até agora. O apresentador, segundo Kamel, solicitou mais tempo para estar com a família e se afastará do vídeo. Kamel disse ainda que Sergio Chapelin não deve deixar a Globo. Deve ficar na mesma posição de Cid Moreira, longe do vídeo e solicitado apenas para ocasiões especiais.

Com a saída de Chapelin, o Globo Repórter mudará seu esquema de apresentação e terá duas jornalistas no comando. Gloria Maria, uma das principais repórteres do programa e substituta imediata de Chapelin, assume em definitivo o jornalístico. Ao seu lado, chega Sandra Annenberg, que também fará reportagens para a atração. Segundo Kamel, o novo formato ainda está sendo definido, mas a ideia é que as duas se revezem nas cabeças ao longo do programa. E, quando a reportagem for de Gloria Maria, é Sandra quem fará a apresentação, e vice-versa. 

Assim, Sandra Annenberg deixará a apresentação do Jornal Hoje, onde esteve nos últimos 15 anos. E quem assume a bancada em seu lugar é Maju Coutinho, a festejada apresentadora do tempo do Jornal Nacional, que já vinha assumindo a apresentação em folgas e férias de titulares. Com a saída de Dony De Nuccio, o Jornal Hoje não voltará a ter um casal na apresentação, e Maju ficará sozinha na bancada. Uma decisão bem interessante. Não há necessidade de ter casal em todos os jornais, e o bom desempenho de Renata Lo Prete à frente do Jornal da Globo mostra isso.

São mudanças positivas. Uma dupla de repórteres mulheres, com a competência já atestada de Gloria Maria e Sandra Annenberg, pode dar ao Globo Repórter um novo e interessante rumo. Quanto ao Jornal Hoje, Maju já mostrou estar mais do que preparada para o desafio de ancorar o jornal da tarde. Trata-se de uma movimentação bastante saudável.

André Santana

8 comentários:

  1. Penso que seria a hora de Zileide Silva a frente do JH.

    ResponderExcluir
  2. Sinceramente, acho que o menor dos problemas do JH era a presença da Sandra. Acho o estilo dela informal demais, faz muitas caras e bocas, mas sem dúvida nenhuma ela casava bem com o jornal, que já tinha a cara dela. O problema maior da audiência era o que vinha depois. Pra mim vão trocar 6 por meia dúzia, já que a Maju virou uma novidade ao estar na Globo (apesar de ter sido apresentadora por anos na Cultura, com competência também) e podem não ganhar tanto na audiência. Pra mim, deveriam ampliar o jornal, ou colocar um outro produto jornalístico para reforçar a presença da Globo com superioridade nas notícias.

    Segundo o Mauricio Stycer, a troca também tem a ver com a idade das âncoras, o que seria um certo sinal de "limite de tempo" na Globo, principalmente relacionado às mulheres. O que você acha?

    Sobre o Globo Repórter, normalmente ele lidera na audiência até por osmose; aliás, ele é um dos programas que lidera em menções nas redes sociais, comprovando que a audiência da internet muitas vezes é para repercutir a TV aberta. Mas será que também não pode ter a ver com o fato do SBT pensar em dar uma mexida nas noites de sexta, com o programa do Tiago Abravanel?

    Discordo só quando você diz que a LoPrete faz o Jornal da Globo tão bem assim; ela pode ser uma boa repórter ou comentarista, mas o carisma dela para apresentação é perto do zero. Acho que deveriam colocar alguém ali no lugar dela (não me vem um nome agora) e deixá-la como analista.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alexandre, não acho que trocar apresentador resolve problema nenhum, então concordo muito quando você diz que o menor dos problemas do JH era Sandra. Aliás, pelo contrário. Eu só acredito que uma mudança de apresentador pode acarretar em mudanças de formato, para marcar uma nova fase. Assim, abre-se uma oportunidade para melhorar. Se trocar e pronto, a coisa vai ficar como está, evidentemente. Li a crítica do Stycer, e, com pesar, concordo com ele. E não só a Globo, mas em todos os canais, as âncoras mulheres são sempre jovens, enquanto os homens podem envelhecer na bancada. É uma realidade triste, que reflete o machismo do país, e que eu espero que melhore. E discordamos quanto à Lo Prete, acho que ela veio para melhorar o JG. Ela começou verde, concordo, mas hoje a vejo madura e o jornal ganhou uma cara bem interessante com ela. Acho-a competentíssima. Abraço!

      Excluir
  3. Eu adoro a Maju, mas o JH tem a cara da Sandra Annemberg, acho uma pena ficarmos limitados a ver Sandra cada vez menos na TV.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mister Ed, a Sandra Annemberg ficou 15 anos ali. É muito tempo, e uma mudança neste sentido sempre causa estranheza.

      Excluir
  4. Algo que nao li em nenhum lugar, mas eh significativo eh a titularidade de duas jornalistas negras ao mesmo tempo. Maju no Hoje, e Gloria Maria no GR.

    ResponderExcluir