segunda-feira, 18 de março de 2019

"Programa da Maisa" rejuvenesce os clássicos "programas de sofá"

"O sofá agora é meu!"

Desde que a TV é TV, sempre houve um sofá no qual um apresentador recebe convidados para um bate-papo. O formato consagrou Hebe Camargo, o maior nome feminino da história da televisão brasileira, que teve suas seguidoras no decorrer dos anos. Adriane Galisteu chegou a dizer que queria ser a nova Hebe quando apostou em seu sofá de couro no primeiro ano do Superpop, da RedeTV. Na mesma emissora, as apresentadoras Luciana Gimenez e Daniela Albuquerque ainda cumprem deste expediente. Na Record, Xuxa Meneghel tentou algo semelhante, mas a coisa não foi adiante. Na Globo, dizem, Angélica pode ser a próxima a adotar o estilo.

No entanto, foi o SBT, mesma emissora que serviu de casa por anos à sala de estar de Hebe, que apostou numa bem-vinda nova versão do formato. Ao invés de uma apresentadora veterana no comando de entrevistas sobre assuntos nem sempre tão convidativos, o canal de Silvio Santos agora aposta em Maisa Silva como anfitriã. Envolta num cenário colorido e teen, e com direito a uma plateia também formada por adolescentes, a estrela da emissora finalmente ganhou um espaço para chamar de seu e, ainda, deu nova direção ao clássico formato de “programa de sofá”.

Na estreia do Programa da Maisa, a apresentadora recebeu Fernanda Souza e Matheus Ceará. À vontade com seus convidados em seu aconchegante cantinho, Maisa conduziu um programa leve, divertido e muito bem-humorado. Além da inspiração em Hebe, o novo talk show também bebe da fonte dos programas de entrevistas comandados por humoristas, apostando na presença de um partner “engraçadinho”. Assim, enquanto Fabio Porchat tinha Paulo Vieira, e Danilo Gentili tem Diguinho Coruja, Maisa tem o auxílio de Oscar Filho. Neste primeiro episódio, a parceria funcionou bem: Maisa adota um estilo amiga e “ponderada”, enquanto Oscar faz seus comentários espirituosos.

Para falar junto ao público-alvo de Maisa, o programa é todo embalado em elementos que caracterizam as redes sociais. A edição esperta, que ainda aproveita cenas de Maisa criança disparando barbaridades, é um dos trunfos do Programa da Maisa. Mas a embalagem modernosa serve apenas para adequar a linguagem clássica a uma nova geração quase desacostumada a assistir televisão. Enquanto isso, seu formato convencional ajuda a fisgar o público habitual do SBT, fazendo do Programa da Maisa uma atração familiar. Ou seja, bastante adequada ao seu horário de exibição.

Assim, o que se viu na tela neste sábado, 16, foi uma série de acertos que fizeram do Programa da Maisa uma boa opção na tela. A atração mostrou que, para fazer entretenimento de qualidade, não é preciso muita pirotecnia. Programa da Maisa não tem quadros mirabolantes e nem tenta ser o que não é. É a vitória do simples e do bem-feito. Há ali uma apresentadora jovem e inteligente, bons convidados e um roteiro que funciona. O resultado é um bate-papo gostoso, bastante adequado ao horário em que a atração vai ao ar.

Deste modo, o Programa da Maisa é uma verdadeira injeção de ânimo na programação do SBT. A emissora não promovia uma estreia de verdade há anos, e, agora, mostrou que, quando quer, sabe criar algo relevante, honesto e divertido. Assim, não apenas deu à Maisa Silva um espaço que ela merecia há tempos, como também revitalizou um horário esquecido da grade de programação. O programa de estreia mostrou potencial. O SBT acertou em cheio com a atração.

André Santana

5 comentários:

  1. Olá, tudo bem? Lá na coletiva de imprensa, achei o cenário com ar infantil, mas isso não transpareceu no vídeo. Finalmente, SBt e Record investiram na faixa horária. Espero que a TV Globo volte a investir tb pq reprise de Sai de Baixo ñ rola.... Abs, Fabio www.blogfabiotv.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Investiu no ta brincando mas não deu muito certo. .na verdade nao e muito a praia da emissora programas de auditórios....so os antigos Faustão hulk do Serginho fixaram

      Excluir
    2. Oi Fabio! Pois é, a reprise do Sai de Baixo já deu. Tava na hora de a Globo voltar a produzir para este horário. Vídeo Show tinha que voltar, hehe! Miguel, a Globo até já teve outros programas de auditório interessantes, mas esta fase meio que passou. O canal investe em formatos que independem de apresentador. Até mesmo o Huck e o Faustão sobrevivem de formatos, o fato de seus nomes estarem no título dos programas é mero acaso. Serginho é o único que tem um programa com a cara dele mesmo. Abraço, Fabio e Miguel!

      Excluir
  2. Assisti o Programa da Maísa no canal do SBT no YouTube e fiquei muito feliz com a proposta simples e bem feita, como dito pelo André. A alma do show é justamente a espontaneidade de Maísa que, apesar de não ser humorista, tem ótimas tiradas. As piadas dela, inclusive, não soam forçadas como as de Oscar Filho em algumas oportunidades. O cenário é bonito e moderno, a mistura de referências atuais, como tela de celular e redes sociais, casou bem com a proposta do programa.

    Vida longa à Maísa na TV!

    ResponderExcluir