sábado, 15 de setembro de 2018

Afinal, a Record está sabendo aproveitar Xuxa e Gugu?

"Em busca de programas
para chamar de nossos!"

Em 2017, Xuxa Meneghel abriu mão do programa que levava seu nome para comandar a competição de dança Dancing Brasil, que estreia sua quarta temporada daqui duas semanas. Neste ano, foi a vez de Gugu Liberato, que deixou de apresentar o Gugu para se dedicar ao Power Couple e o Canta Comigo, que terminou na última quarta-feira, 12. Na próxima semana, é a vez de Marcos Mion assumir o comando de A Fazenda, depois de perder seu Legendários no final do ano passado. Sabrina Sato, dizem, pode ser a próxima. Afinal, a Record está sabendo aproveitar suas estrelas?

A princípio, a estratégia da Record era positiva. No caso de Xuxa, por exemplo, a emissora conseguiu se livrar de um programa que nunca disse a que veio, o Programa Xuxa Meneghel, e utilizar a apresentadora num projeto muito mais interessante. Se em seu extinto talk show, Xuxa tinha conteúdo zero para apresentar, ela agora surge à frente de um programa redondo, com um propósito claro, o que é uma clara evolução. Afinal, nunca fez muito sentido a emissora contratar Xuxa a peso de ouro e entregar-lhe um programa tão fraco. Em recente entrevista ao NaTelinha, o diretor Ignácio Coqueiro explicou os motivos da dificuldade do Programa Xuxa Meneghel: falta de verba. Segundo ele, a verba era curta e ele tinha que se virar para fazer o semanal da maneira mais digna possível. Deu no que deu.

Enquanto isso, o Dancing Brasil é um programa divertido e grandioso, e Xuxa tem ido muito bem na apresentação. O talent show, de quebra, serviu para resgatar a imagem de Xuxa, arranhada após inúmeros insucessos, seja em seus últimos anos na Globo, seja em sua primeira empreitada na Record. No entanto, passados quase dois anos de Dancing Brasil, fica a dúvida sobre quanto tempo o formato irá resistir. E mais: os fãs de Xuxa não a verão nunca mais num programa dela?

Com Gugu Liberato, a mudança também tinha muitos pontos positivos. Isso porque, assim como o Programa Xuxa Meneghel, o programa Gugu tinha um conteúdo muito fraco. O apresentador estava no piloto automático, comandando pautas incrivelmente desinteressantes nas noites de quarta-feira do canal. Neste ano, Gugu ressurgiu no comando do Power Couple e mandou muito bem. Afinal, Gugu deu ao programa toda a sua experiência, fazendo da apresentação da atração algo muito menos engessado do que nos tempos de Roberto Justus. Além disso, no comando das provas do Power Couple, Gugu resgatou seus bons tempos de apresentador de game shows, fazendo uso até do clássico bordão “valendooo!”.

Depois, Gugu apareceu apresentando a competição musical Canta Comigo. Principal novidade da Record este ano, o Canta Comigo apresentou uma bela estrutura num formato muito eficiente. Foi bem divertido ver os “calouros” diante daquele “paredão” de jurados. Tudo funcionou direitinho, do cenário grandioso à mecânica bem trabalhada. Em suma, um programa muito interessante e bem resolvido. O elo mais fraco foi mesmo Gugu. Que foi muito bem no comando, claro, mas ficou mais “apagadinho”. Por mais que Canta Comigo tenha sido muito bom, foi estranho ver Gugu numa posição de coadjuvante tão evidente.

Ou seja, por mais que haja pontos positivos nesta estratégia da Record de transformar seus apresentadores em “mestres de cerimônias”, também há pontos negativos. Xuxa e Gugu, hoje, comandam programas com conteúdo bem mais interessante do que nos tempos de seus próprios programas. Porém, ao mesmo tempo, não têm mais o espaço de antes. E duas estrelas do porte deles mereciam um espaço maior. Por isso mesmo, a conclusão que se chega é a de que os formatos devolveram credibilidade aos animadores, mas deveriam ser tratados como fases de transição, e não planos de carreira. Ao final destes formatos, a direção da Record devia considerar voltar a utilizá-los em espaços próprios. Mas, desta vez, bons espaços, e não programas vazios como os que comandavam antes. O problema é que a emissora não parece disposta a bolar algo novo para eles. Afinal, um formato pronto é muito mais fácil e rápido de ser implantado. Criar dá trabalho, né?

O mesmo há de acontecer com Marcos Mion. O apresentador é um baita profissional e não há dúvidas de que será o melhor apresentador de A Fazenda. Até porque não é nada complicado ser melhor que Britto Jr ou Roberto Justus. No entanto, em A Fazenda, Mion não terá aquele espaço livre que tinha para criar, fazendo seus quadros de humor que tanto divertiam no Legendários.

Conclusão: neste processo, a Record incrementa estes formatos, pois todos têm ótimos apresentadores à frente. Mas, em contrapartida, a emissora os cozinha em banho-maria, pois a verdade é que o canal não sabe o que fazer com eles.

André Santana

10 comentários:

  1. As estrelas dos dois não brilham há muito tempo e a Record é mesmo fim de carreira, pois pensaram em reviver dias de glória, mas ficaram engessados. O Gugu depois do nefasto caso PCC que minou sua credibilidade se perdeu no tempo, a mesma coisa com a Xuxa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sobre isso acho que não pois o brasileiro tem a memória meio curta veja com os políticos sempre perdoados com o tempo

      Excluir
    2. Kleber, eu concordo em termos com você. Porque, ao mesmo tempo em que Gugu e Xuxa perderam fôlego, por vários motivos, eles também tiveram o azar de, nos últimos anos, comandar programas muito ruins. Creio que há uma crise de criatividade nos programas de auditório, que não consegue mais chamar a atenção como antes.

      Excluir
    3. Miguel, realmente o povo acaba esquecendo. Gugu realmente teve sua imagem arranhada depois do caso PCC, mas isso me parece superado nos dias de hoje.

      Excluir
  2. Olá, tudo bem? Eu não vejo lado negativo em Gugu e Xuxa apresentarem formatos na Record. O próprio Silvio Santos já comendou alguns no SBT. Abs, Fabio www.blogfabiotv.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fabio! É verdade, Silvio Santos também já comandou formatos. Mas ele nunca deixou de dar sua assinatura a eles. Ele ainda era o dono de seus programas, mesmo sendo formatos. No caso da Xuxa, ela está bem no Dancing, mas achei o Gugu muito apagado no Canta Comigo. Confesso que isso me incomodou um pouco como espectador, por isso fiz esse texto. Abraços!

      Excluir
  3. A Xuxa deveria ter um musical ..ela ia bem no planeta zuxa um programa adulto que tinha na Globo e fez a transição do infantil quando largou nunca mais foi a mesma

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Miguel! Até esses dias eu achava que os musicais estavam superados. Mas o Só Toca Top está indo bem na Globo, então creio que Xuxa voltar aos musicais poderia ser uma boa ideia. Mas a Record, por enquanto, não está apostando em programas de auditório mais "tradicionais", à exceção de Hora do Faro. O Programa da Sabrina parece caminhar rumo à extinção também.

      Excluir
  4. Creio que a Xuxa poderia ter um programa nos moldes do Planeta Xuxa, com entrevistas nacionais e internacionais. O Gugu deveria ter algo como foi o Domingo Legal no seu ápice: musicais com jogos e entrevistas. Ambos são talentosos e ícones da TV. O problema, como dito por muitos, é mesmo a Record, que sabe pregar bem mas entende bulhufas de televisão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Ed! Fora que a Record anda numa fase "preguiçosa". Não criam nada, compram tudo pronto e botam no ar.

      Excluir