terça-feira, 17 de julho de 2018

História da TV: relembre a “dança das cadeiras” dos programas femininos – parte 2 (anos 2000)

"Vamos abrir a banca de jornal!"
Anteriormente, no TELE-VISÃO: Vimos o surgimento do Mulheres, da Gazeta, e do Note e Anote, da Record, expoentes dos programas femininos das décadas de 1980 e 1990. Porém, quando Ana Maria Braga deixa a Record e assina com a Globo, dá-se início a uma “dança das cadeiras” entre as apresentadoras dos programas femininos: Cátia Fonseca deixa o Pra Você, da Gazeta, e substitui Ana no Note e Anote (1999); Claudete Troiano retorna ao Pra Você (1999); Claudete Troiano retorna ao Mulheres (2000); Claudete Troiano é contratada pela Record e assume o Note e Anote (2000); Márcia Goldschimidt (2000), Christina Rocha e Clodovil Hernandes (2001) passam pelo Mulheres; e Cátia Fonseca assume o Mulheres (2002). Ufa! (se não viu, clique AQUI).

Porém, neste meio-tempo, um novo programa surge: A Casa É Sua, da então novata RedeTV. O programa estreia como um feminino matinal tradicional, comandado por Valéria Monteiro, mas logo se torna um vespertino e ganha três novos apresentadores: Meire Nogueira, oriunda da Rede Vida; Castrinho, que tinha um programa de culinária na Rede Mulher; e Sonia Abrão, que assinava uma coluna sobre TV no Diário Popular e fazia reportagens para o Domingo Legal, do SBT. Meire e Sonia logo se estranham, e a primeira acaba afastada da atração. Já Castrinho fica doente e também se afasta. Sozinha em cena, Sonia Abrão transforma o A Casa É Sua num programa com foco no jornalismo, com destaque às notícias da TV. Pronto! Está criado um formato que passaria a ser utilizado nos demais femininos, incluindo o Mulheres e o Note e Anote.

A Band, então, entra no filão lançando o Melhor da Tarde, apresentado por Astrid Fontenelle, Leão Lobo e Aparecida Liberato, em 2001. Ao mesmo tempo, aproveita Olga Bongiovanni, que se destacava no comando de um matinal que levava seu nome, e entrega a ela o feminino matinal Dia Dia. O formato também interessa a Silvio Santos, que tira Sonia Abrão da RedeTV e lhe entrega o Falando Francamente, em 2002. No mesmo ano, a Gazeta cancela o semanal Ione, e Ione Borges volta aos programas femininos, "ressuscitando" o Pra Você.

Para suprir a ausência de Sonia Abrão em suas tardes, a RedeTV contrata Leonor Correa, que estava há anos afastada da função de apresentadora e se dedicava à direção de quadros do Domingão do Faustão, programa de seu irmão na Globo. Contando com as presenças de Nelson Rubens e Gustavo Baena, Leonor segue à risca a cartilha de Sonia Abrão, lendo revistas e comentando os acontecimentos das novelas. Paralelamente, a RedeTV lança um novo feminino matinal, o Bom Dia Mulher, inicialmente apresentado por Ney Gonçalves Dias, Solange Couto e Solange Frazão. Solange Couto fica pouco tempo na função, passando o bastão para Amanda Françozo.

Depois de um período de calmarias, novas trocas de apresentadoras: no final de 2003, Leonor Correa pede para sair do A Casa É Sua, e é substituída por Clodovil Hernandes. Pouco tempo depois, no início de 2004, a Band dispensa Olga Bongiovanni, entregando o Dia Dia para Viviane Romanelli (que ficou pouco tempo ali). A RedeTV, então, contrata Olga e dispensa Amanda Françozo do Bom Dia Mulher. Mais tarde, novas mudanças: Sonia Abrão deixa o SBT e assina com a Record, passando a comandar o vespertino Sonia e Você. Já o SBT reformula sua grade vespertina lançando o Casos de Família, com Regina Volpato.

Em 2005, mais mudanças: Leonor Correa é convidada pela Band para assumir o Melhor da Tarde, dispensando Astrid Fontenelle. Ao mesmo tempo, a RedeTV dispensa Clodovil e transforma o A Casa É Sua num samba do crioulo doido: Ronaldo Ésper é contratado, mas apresenta apenas quadros de moda; no quadro de fofocas, Joana Matushita e Ofrásia (Vida Vlatt), dos tempos de Clodovil, passam a dividir a cena com Monique Evans; e a jornalista Liliane Ventura entra na atração para comandar um quadro de entrevistas. No segundo semestre, a Record cancela o Note e Anote, lançando em seu lugar o Hoje Em Dia. Com a mudança, Claudete Troiano assina com a Band para comandar o vespertino Pra Valer, no horário do Melhor da Tarde. Leonor Correa, então, deixa a emissora.

Na semana que vem, a “dança das cadeiras” continua! Não perca!

André Santana

6 comentários:

  1. Respostas
    1. Opa, tem razão! Tirei do texto, e ele entrará no "próximo episódio", hehe! Valeu!

      Excluir
  2. Olá, André. Eu fiquei tonto com tudo isso kkkk, mas lembro de algumas coisas como a contratação da Troiano na Band e posteriormente, o programa dela não vingou sendo que nessa época o Hoje em Dia fez um baita sucesso com o trio original !!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim. O Hoje Em Dia, na verdade, foi quem fez com que os femininos tradicionais e os de "fofoca" perderem força pro surgimento das "revistas eletrônicas". Esse será o foco da próxima parte desta série.

      Excluir
  3. Não podemos esquecer do clássico duelo entre Claudete troiano no note e anote João Kleber pela rede TV! Ambos ao vivos trocando maior farpa numa tarde ,após denúncias exibidas pela Claudete
    Clássico da tv kkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahaha, siiiim! Eu assisti esta briga ao vivo, fiquei chocado com a baixaria dos dois. A RedeTV mostrando imagens em tempo real da Record, a Claudete respondendo ao vivo, parecia uma briga de vizinhos, kkkk! Eita!

      Excluir