sábado, 21 de abril de 2018

Record corrige erros em nova temporada de "Batalha dos Confeiteiros"

"Oi, eu sou o Goku!... Não, péra!"

Na última quarta-feira, 18, a Record lançou a segunda temporada do reality show culinário Batalha dos Confeiteiros Brasil, com o “cake boss” Buddy Valastro, após um longo hiato. Mais uma vez, o canal aposta no especialista em bolos estadunidense para comandar uma disputa entre confeiteiros que escolherá um profissional para atuar na filial brasileira da Carlo’s Bakery, famosa doceria do apresentador.

Com a nova temporada de Batalha dos Confeiteiros, a Record corrige alguns dos erros cometidos com a trajetória de Buddy na emissora. Quando estreou no canal, o confeiteiro ocupou as noites de quarta-feira, um dia propício para atrações de entretenimento, em razão da concorrência com o futebol da Globo. E a audiência correspondeu positivamente. Daí, o canal concluiu que Buddy Valastro tinha força suficiente para competir com o consolidado MasterChef, da Band. Então, lançou o Batalha dos Cozinheiros, com os competidores cozinhando pratos salgados, e o lançou nas noites de terça, batendo de frente com Ana Paula Padrão e companhia. Com Buddy totalmente fora de seu universo de bolos, e ainda concorrendo com um verdadeiro hit, o reality da Record acabou levando a pior.

Assim, desta vez, Buddy Valastro volta aos seus bolos megaproduzidos e no dia da semana no qual foi melhor. E tratou de reunir um bom grupo de competidores para a nova temporada de Batalha dos Confeiteiros, garantindo a diversão da audiência. Na estreia, algumas figuras já chamaram a atenção, positiva e negativamente. Um dos destaques foi Elisabeth Teodoro, culinarista do Mulheres da TV Gazeta, que já estreou orgulhosa de sua trajetória e não poupando elogios aos seus doces (que ficaram realmente muito bonitos). Mas seu caminho não será tão fácil, já que uma de suas concorrentes é Alessandra Peruzzo, cuja especialidade são doces finos. Figuras que prometem! Batalha também reúne dois estrangeiros: o italiano Giovanni e o singapurense James Lhu.

A mecânica do programa é simples e funcional. São sempre dois desafios propostos aos participantes. Na estreia, a primeira missão dada aos confeiteiros foi um desafio de sobremesas, no qual todos tiveram que fazer suas especialidades. Já o segundo desafio foi o da eliminação, no qual, divididos em equipes, deviam fazer um bolo confeitado com motivos que remetessem a ritmos musicais preestabelecidos. Buddy, ao lado dos jurados convidados Valesca Popozuda e Rick Bonadio, elegeu o melhor e o pior bolo. E o quitute sertanejo foi escolhido o pior, fazendo com que os quatro confeiteiros responsáveis por ele encarassem Buddy de frente. A reunião, tensa e com direito a cortadas ferinas do apresentador, culminou com uma crise entre Elisabeth e seu parceiro Ícaro Lobo. Mas foi Dominique a primeira eliminada.

Este formato mais enxuto, que contrasta com os episódios longuíssimos do MasterChef, é outro trunfo de Batalha dos Confeiteiros. E o grande diferencial é o fato de que os participantes não são avaliados por saberem cozinhar, e sim por saberem “esculpir” bolos, já que é o doce mais bonito que ganha a competição. Mas, como nem tudo são flores, o grande ponto negativo da atração é a decisão de dublar Buddy Valastro. Ter um apresentador dublado, e ainda por cima com a voz do Goku de Dragon Ball (Wendel Bezerra, dublador de Buddy, também dá voz ao protagonista do desenho japonês), causa desconforto a quem assiste, dando um clima “fake” ao programa. Mas, no geral, Batalha dos Confeiteiros diverte e promete bons momentos.

André Santana

4 comentários:

  1. Olá, tudo bem? Sobre o post anterior: eu DUVIDAVA que a Record produzisse mais uma temporada de A Casa. Aquele reality foi HORRÍVEL. Agora, as peças encaixam. Sobre o Batalha dos Confeiteiros Brasil: não assistirei. Simples assim. Não curto o apresentador dublado. É muito estranho tudo aquilo. Abs, Fabio www.tvfabio.zip.net

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fabio! Também achei esquisito quando anunciaram a segunda temporada de A Casa. Ainda bem que não foi adiante! Sobre Batalha dos Confeiteiros, a dublagem do apresentador também não me agrada, mas ainda assisto o programa porque a competição é muito engraçada! Como disse o Stycer no UOL, é o reality culinário mais surreal e bizarro da TV, e isso me diverte. Abraço!

      Excluir
  2. Acho que o que falta ao batalha dos confeiteiros é um apresentador pra fazer a ponte entre o Buddy e os participantes, como acontece no Batalha dos confeiteiros América latina, sugiro até a Ticiana Vilas Boas ou a Ticiane Pinheiro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa observação, Mateus! Se houvesse um âncora fazendo a ponte, poderiam até dispensar a dublagem do Buddy Valastro.

      Excluir