Ticker

6/recent/ticker-posts

"Tempo de Amar": folhetim clássico ainda tem fôlego


Faltando dois capítulos para a conclusão de Tempo de Amar, o que pode dizer é que a novela de Alcides Nogueira e Bia Correa do Lago, baseada num argumento de Rubem Fonseca, resgatou a essência do folhetim romântico clássico, em todos os sentidos. A trama narrou uma história de amor, encontros e desencontros, com muitas paixões, romances e vilões ardilosos, tudo isso envolto no charme dos anos 1920. No entanto, promete um desfecho diferente do usual clássico, tendo em vista que o casal Maria Vitória (Vitória Strada) e Inácio (Bruno Cabrerizo) não deve ficar junto no último capítulo.

Algo bem fora do comum, já que Tempo de Amar foi toda estruturada em torno do casal de mocinhos e a separação deles, causada pelo destino. O amor arrebatador de ambos foi interrompido pelo pai dela em Portugal, e Inácio acaba partindo para o Brasil. Mais adiante, é a vez de Maria Vitória buscar o amado, fazendo surgir uma série de “quase encontro”.

No entanto, o final não chega a surpreender quem acompanhou a novela, tendo em vista que Vicente (Bruno Ferrari) surgiu para ser um novo pretendente para a mocinha e acabou roubando os holofotes para si. Enquanto Inácio e Maria Vitória seguiam se desencontrando, Vicente foi construindo o seu espaço, e se tornou impossível não torcer para que este novo casal ficasse junto. Consequências de uma obra aberta, sempre sujeita a soluções inesperadas.

Mesmo usando e abusando da fórmula do folhetim tradicional, Tempo de Amar conseguiu chamar a atenção da audiência pelo texto refinado, pela produção impecável e, principalmente, por trazer grandes atores fora de sua zona de conforto. Neste contexto, o grande destaque da obra foi Marisa Orth. Famosa pelas personagens de humor, Marisa vestiu-se de Celeste Hermínia, uma mulher de um passado sofrido, mas que soube dar a volta por cima. Tornou-se uma famosa cantora de fado, assumiu um romance com um homem casado e viveu sempre com dignidade. E a personagem ficou ainda mais interessante quando foi revelado que ela era a mãe de Maria Vitória. O encontro de mãe e filha e a convivência delas a partir dali rendeu cenas incríveis.

Além de conviver com a filha, Celeste Hermínia ainda viveu inúmeros conflitos com seu romance com o Conselheiro Francisco (Werner Schunemann). Um romance que dividia opiniões, pelo fato de a mulher dele estar viva, e presa a uma cama quando a história começa. Quando ela morre e parecia que o caminho estava livre para os dois, segredos do passado culminam com o desgaste da relação e ambos se separam. Neste meio-tempo, ela reencontra José Augusto (Tony Ramos), pai de Vitória, enquanto ele ensaia uma relação com Eva (Julia Almeida). Entretanto, logo fica evidente que o amor entre Celeste e Francisco não morreu. Ou seja, Celeste Hermínia tornou-se a grande protagonista madura de Tempo de Amar, e Marisa Orth mostrou que é uma atriz com recursos que vão muito além da comédia. Marisa imprimiu humanidade è Celeste Hermínia.

Tempo de Amar também repetiu a parceria entre Tony Ramos e Regina Duarte, trazendo esta última num papel coadjuvante que também a tirou do lugar-comum. Lucerne era uma mulher de camadas, um tanto divertida, mas também lotada de defeitos. Ela cresce quando inicia um romance com José Augusto, enganando-o e se fazendo passar por uma mulher correta, quando na verdade é a dona de um cabaré. Foi uma sequência que divertiu muito e rendeu ótimos momentos entre Regina e Tony. Uma pena que o romance entre eles durou pouco dentro da trama. Outros atores que mostraram novas facetas foram Nelson Freitas (Bernardo), Letícia Sabatella (Delfina) e Jayme Matarazzo (Fernão). Além disso, a trama revelou Vitória Strada, linda e muito talentosa.

No fim, Tempo de Amar mostrou que o folhetim tradicional bem escrito e bem temperado ainda tem público cativo. Foi uma obra bonita de se assistir.

André Santana

Postar um comentário

6 Comentários

  1. Tirando a infeliz Sol Nascente, o horario das seis eh a que tem mais presenteado com novelas de boa qualidade. E nesse Tempo de Amar, finalmente, uma novela do Alcides Nogeura que ele pode chamar de seu, e que tenha feito sucesso de audiencia e publico. O autor merece , porque eh um dos melhores dramaturgos teatrais que temos e que bom ver uma novela dele funcionar tanto em audiencia como critica. E essa foi aquela novela em que praticamente todos os atores e personnagens apareceram e brilharam, desde os protagonistas ate os coadjuvantes. O que dizer do seu Geraldo e Dona Nicota, que casal impagave! A familia do Bernardo, todos otmos, Debira Evelyn com sua otima Alzira sempre se atracando com Pepito e a bonita relacao dele com Bernardo mesmo antes dos dois saberem que sao os pais. Os personagens portugueses nao ficaram a dever, Sabatella com sua malvada Delfina, Nivea Maria conseguiu transformar um personagem pequeno como a tia do Inacio , a doceira batalhadora. E apesar de ser uma novela de epoca, tivemos tramas com personagens feminias empoderadas, e atores nebros tiveram otimos papeis que geralmente em historias de epoca so fariam escravos ou empregados. Enfim, todos os personagens e atores brilharam. Ponto pro Monjardim que fez uma direcao coesa e brilhante.
    Uma historia classica, convencional, como disse Nilson Xavier, parece aquelas radio novelas de antigamente, e mesmo assim funcionou tao bem nesse final de decada de 2010 era cibernetica onde web e redes sociais exigem uma trama rapida agil e facil de pensar. Alcides Nogueira e Bia Correia quebraram esse tabu e gracas ao talento e comoetencia deles mais a direcao de nuckeo do Monjardim tivemos uma obra classica da mais altz qualidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também gostei de Tempo de Amar! Valeu!

      Excluir
  2. Olá, tudo bem? Bruno Ferrari foi o maior destaque da novela Tempo de Amar. Ele é um ator que realiza bons trabalhos, um atrás do outro, desde os tempos da Record. Não fico surpreso com a reação do público que torce pelo mocinho Vicente. Abs, Fabio www.tvfabio.zip.net

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bruno é realmente um ótimo ator! Fez bons trabalhos na Record e retornou à Globo por cima!

      Excluir
  3. Eu também adorei tempo de Amar e principalmente o casal Maria Vitória e Vicente que deram um show de Quimica,cumplicidade,amor e torço pro Bruno Ferrari e Vitória Strada fazerem outro casal em outra novela e acho que será na próxima do Alcides nogueira porque ele gostou muito deles e até homenageou o Bruno Ferrari no Final

    ResponderExcluir
  4. André Santana você tem Twitter

    ResponderExcluir