terça-feira, 10 de outubro de 2017

Sem “Estrelas”, Angélica finalmente sairá do comodismo

Não há dúvidas de que Angélica é uma grande estrela da TV. Apresentadora desde criança, a talentosa loira cresceu diante das câmeras, formou uma legião de fãs mirins por conta de seus programas infantis e discos, e fez uma bem-sucedida transição para o público jovem e adulto. Entretanto, não é de hoje que seus fãs reclamam do pouco espaço que a apresentadora ocupa, há anos, na televisão. Escondida nas tardes de sábado com o programa de entrevistas Estrelas, que nunca gozou de grande prestígio na Globo (tanto que só passou a ser exibido em rede nacional nove anos depois de sua estreia), Angélica sempre teve seu potencial pouco aproveitado.

Por isso mesmo, a notícia de que o Estrelas sairá do ar em meados do ano que vem e Angélica ganhará um novo programa, encheu de esperança o coração dos seus fãs. Com a decisão da Globo, a apresentadora terá a chance de comandar um programa que tenha mais a sua cara. Porque, vamos combinar, o Estrelas nunca teve. A atração é boa, tem momentos divertidos e tals, mas, como o TELE-VISÃO já cansou de afirmar, Angélica é animadora de auditório. Colocá-la num programa de entrevistas intimista sempre pareceu um desperdício. É como se cortasse a asa de um pássaro para adequá-lo a uma condição ao qual ele não pertence.

No entanto, tanto a Globo quanto Angélica pareciam acomodadas com o Estrelas. Um programa barato, que fatura e, no geral, registra uma boa audiência, realmente não parecia haver grandes motivos para se mexer em time que está ganhando. Afinal, desde sua estreia, o Estrelas pareceu ter sido criado apenas para que Angélica tivesse um programa para chamar de seu, uma reivindicação da loira, que havia abandonado os infantis e se dedicado ao Vídeo Show e ao Fama. Só o fato de ele ter sido exibido por anos em faixa local, e ter sido o último programa da linha de shows da Globo a ganhar um site oficial (!) já indicava o pouco cuidado que a emissora tinha com o produto.

Ao que tudo indica, a coisa mudou de figura quando a Globo promoveu Boninho e Ricardo Waddington a Diretores de Entretenimento, sendo que o primeiro responderia pelos diários matinais e vespertinos, e o segundo pelos noturnos e programas de final de semana. Assim, Estrelas, que foi criado sob o guarda-chuva de Boninho, passou às mãos de Waddington, que tratou de buscar mexer na atração. Logo de cara, conseguiu finalmente colocá-lo numa faixa nacional. Depois, mexeu na edição e testou formatos, como nos episódios em que Angélica recebia todos os convidados do dia num único ambiente, amarrando a atração, ao invés de fazer um bloco totalmente independente do outro, como sempre foi. Por fim, neste ano, veio a ideia de apostar em temporadas temáticas, com o Estrelas Solidárias e, agora, o Estrelas do Brasil.

A atual temporada fez os índices de audiência de Angélica subirem. Ou seja, novamente, não havia motivos para mexer no programa. No entanto, segundo o UOL, Ricardo Waddington nunca se mostrou plenamente satisfeito com o programa, sempre cobrando mudanças no roteiro e a proposta de novas ideias à equipe do semanal. Sendo assim, parece, o diretor cansou de dar murro em ponta de faca e, finalmente, atenderá aos fãs de Angélica, formatando um programa mais interessante para a estrela. Fica agora a torcida para que a nova atração coloque Angélica diante de um auditório, pois é assim que ela aparece realmente plena e iluminada. A esta altura, sair da zona de conforto parece a sacudida que tanto Angélica quanto as tardes de sábado da Globo estão merecendo há tempos.

O Estrelas, como dito anteriormente, não é um programa ruim, e Angélica o comanda com muita competência. Mas já deu o que tinha que dar. É preciso dar um passo além.

O TELE-VISÃO virou livro! Compre agora! CLIQUE AQUI: http://bit.ly/2aaDH4h


André Santana

5 comentários:

  1. Como comentei outro dia num post seu sobre Angelica, pra mim eh um inidicativo que ela podera nao ter outro programa, ja que as especulacoes sobre o Luciano Huck em se candidatar a presidencia nao cessam e ele nao confirma nem desconfirma. Julho eh o prazo de registro pras candidaturas a cargo majoritario. Como esta confirmado o Estrelas ate o primeiro semestre, dependendo da decisao do Huck, depois da Copa poderemos ficar sem o casal nas tardes de sabado e da tv pelo menos no segundo semestre. Se ele se candidatar e perder, o casal volta em 2019 ou depois de novembro quem sabe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas isso não impede de ela ter um novo programa

      Excluir
    2. Acho que legalmente nao tem impedimento, mas nao vejo a Globo aceitar associar sua imagem com alguem que, caso se confirme, seja um candidato. A Globo vai querer se manter imparcial com os candidatos

      Excluir
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    4. Até que faz sentido, Daniel, mas espero realmente que isso não aconteça. Gosto do Luciano Huck como apresentador, e não quero odiá-lo como presidenciável. E Angélica é uma estrela, não merece ficar à sombra de um marido político.

      Excluir