terça-feira, 26 de setembro de 2017

"Filhos da Pátria", "The Voice", "A Fazenda": as novidades do último trimestre

O final de setembro e o início de outubro já se tornou um novo período de novidades na grade de programação das emissoras brasileiras. A proliferação dos formatos “de temporada”, sobretudo séries e reality shows, fez com que a reta final do ano se tornasse uma nova época de estreias e reestreias. Nas últimas semanas, A Fazenda e The Voice Brasil lançaram suas novas temporadas, enquanto Filhos da Pátria fez sua estreia.

A primeira das novidades foi o retorno de A Fazenda, de volta após um ano sabático na grade da Record. Agora chamada de A Fazenda – Nova Chance, a temporada veio com a proposta de reunir ex-participantes de outros reality shows, como BBB, MasterChef, Power Couple e a própria Fazenda. Até aqui, o reality não esboça voltar a ser o sucesso de outrora, mas sem dúvidas resolveu um problema de cast para a direção do programa. Afinal, o elenco de “subcelebridades” vinha ficando cada vez mais escasso e, na nova proposta, A Fazenda pode repetir figurinhas sem nenhum constrangimento. Mas, por enquanto, A Fazenda só serviu mesmo pra fazer propaganda do BBB, já que Marcos Harter, ex-BBB, não para de falar no programa da Globo.

Falando em Globo, a emissora vem aproveitando o fim de Os Dias Eram Assim para trazer novidades em sua linha de shows. A primeira delas foi a nova comédia, Filhos da Pátria, que estreou na semana passada com um episódio bastante divertido. Ao narrar a saga de Geraldo Bulhosa (Alexandre Nero), funcionário público dos tempos do Brasil Império, a série diverte ao traçar um paralelo entre o ontem e o hoje do país. Muito correto, o pai de família é ridicularizado por todos, começando pela sua própria esposa, Maria Tereza (Fernanda Torres), que não se conforma que o marido não faça parte de nenhum esquema para lhe dar uma vida melhor. Pressionado por todos os lados, Geraldo acaba cedendo à ideia de Pacheco (Matheus Nachtergaele) para participar de um esquema de desvio de verba. Ou seja, esta inversão de valores tão evidente no país, no qual o “espertalhão” é o herói, enquanto o honesto é o bobo, ganha uma moldura histórica em Filhos da Pátria. E este é o grande charme do texto de Bruno Mazzeo, que brinca com os costumes nacionais e evidencia de que o país de hoje, no fundo, é o mesmo desde 1822.

Outra novidade da Globo foi a nova temporada de The Voice Brasil, lançada na última quinta-feira. A nova leva começou muito bem ao fazer uma nova troca em seu cast, substituindo Claudia Leitte por Ivete Sangalo. Como já dissemos aqui anteriormente, a cada temporada os técnicos vão se tornando cada vez mais personagens de si mesmos, tornando-se reféns das personas que assumiram e ficando cada vez mais over. Por isso, trocas no elenco são fundamentais. E Ivete, de cara, imprimiu um novo frescor ao formato. Divertida, espontânea e cheia de tiradas impagáveis, a cantora foi o grande destaque da estreia. Soma-se a isso uma boa seleção de participantes, com boas vozes e histórias (e com direito até a uma aparição de um casal de meninas, com cenas de carinho e tudo), o The Voice Brasil mostrou que ainda tem muita lenha para queimar.

Na noite de ontem, 25, mais novidades. A Record exibiu o último episódio da segunda temporada de Dancing Brasil, prometendo nova leva para o ano que vem, além de um especial de fim de ano em dezembro. O programa de Xuxa teve uma ótima conclusão com a vitória merecida de Yudi Tamashiro e, sem dúvidas, foi o principal acerto da emissora em 2017. Já a Band lançou um novo reality show de aventura, Exathlon Brasil, com apresentação de Luís Ernesto Lacombe. Sobre ele, comentarei em breve. E a Globo ainda prepara mais algumas estreias, como a nova série Cidade Proibida, que substitui a ótima Sob Pressão a partir de hoje, 26; e a nova temporada de Adnight, prevista para outubro.

O TELE-VISÃO virou livro! Compre agora! CLIQUE AQUI: http://bit.ly/2aaDH4h

André Santana

8 comentários:

  1. Sobre A Fazenda, eu penso dessa maneira: por mais que a audiencia suba, por mais repercussao que tenha nada justifica a presenca de um psicota que diante do publico demonstrou desequilibrio, com agressoes fisicas e verbais. Sim, quem decide o que ve, eh o telespectador, mas quem tem a responsabilidade de exibir eh a emissora de uma tv aberta. Porque qualquer produto exibido tem audiencia, nao importa se baixa ou alta, nao importa se bom produto ou um produto ruim. Especialmente que estamos cada vez mais nos afundando em um mar de preconceito, a responsabilidade social do exidor eh muito grande. Nao vale tudo por audiencia nao, desculpa dizer isso, mas eh verdade.
    Adoro The Voice rs. Voce sabe que a Globo pois Ivete no TVB e a Claudia no TVK por causa da gravidez da Ivete nao ? Ja que, em janeiro, seria muito dificil a Ivete estar no ar no Kids.
    Segundo os criticos de plantao, Filhos da Patria esta decepcionando na audiencia, ja que eh menor que Dias Eram Assim . Pra mim, eh a media geral do horario de uma serie. Mas nao sei onde li que a estreia foi menor que a audiencia de Supermax.
    Concordo que a Xuxa se deu bem num formato pronto, mas eu queria ela num programa em que ela estivesse mais solta sem estar escrava do teleprompter.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você, Marcos Hater não devia estar em lugar nenhum da TV, apenas na casa dele. Sobre Ivete e Claudia, por mais que isso da gravidez faça sentido, ainda acho que serviu como uma desculpa para que a Globo fizesse a troca. O formato do The Voice pede mudanças de tempos em tempos no elenco, então estava na hora de Claudia sair. Além disso, a Globo acaba corrigindo uma rota, já que sempre me pareceu evidente que a emissora preferia Ivete, e não Claudia, ali. Lembro que ela era a primeira opção da emissora quando o The Voice Brasil começou, mas ela não pôde, acho que por causa de Gabriela. Aí chamaram a Claudia.

      Excluir
  2. A fazenda : a Record sempre acoberta alguns participantes em todas edições ,parece que o sem graça do Dinei fez carícias em uma mulher bêbada no reality ,e a edição passou nada ,que feio em Record !!!! acho o BBB da Rede Globo com mais credibilidade nesse sentido
    Dancing Brasil formato comprado de sucesso lah fora ,belo cenário , competente parte técnica e jurados bem conhecidos do Faustão ,acho que 6 pontos e terceiro lugar não é tudo isso pra emissora já ficar se achando como é do seu perfil ..a Apresentadora Xuxa ganha milhões apenas para chamar convidados e jurados !
    Sem contar que agora a Record e Xuxa não largar o osso e exibir edições sem parar desse concurso de dança até cansar o telespectador
    The Voice ótimo programa apenas uma ressalva deveria trocar mais o júri ,como o Carlinhos Brown todo aquele carnaval que faz na tv já cansou
    E Ivete Sangalo sempre faz a linha simpática ,fofa com os candidato ,apesar de que eu gosto dela

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, Xuxa não faz nada que outra apresentadora mais barata não faria, mas ter uma estrela à frente de um programa como este agrega valor, ou seja, mais dinheiro no caixa da Record. O salário da Xuxa não é alto à toa, ele está de acordo com o retorno comercial que ela dá à empresa. Ninguém ganha mais do que vale, ainda mais nestes tempos de economia na TV. Realmente a audiência não foi alta, mas a produção foi impecável, sem dúvidas um ótimo programa, e isso também é importante. Sobre o The Voice, Lulu e Carlinhos já se tornaram personagens. Concordo contigo, está mesmo na hora de trocá-los.

      Excluir
  3. O elenco de a fazenda não foi legal já que metade são bem desanimados são eles Conrado ,Fábio ,Dinei ,Rita e nain pois vivem querendo tocar o sino e deixar a atração
    Péssimo elenco ,o programa infelizmente está cheio de erros assim como a credibilidade da Record

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Está bem ruim mesmo. Sempre que tento ver, vejo o Conrado deitado. Rs

      Excluir