Ticker

6/recent/ticker-posts

Publicidade

Top 10 de 2021 – destaques positivos

Em 2021, a televisão brasileira conseguiu driblar a pandemia e investir mais em produções. O avanço da vacinação contra a covid-19 permitiu com que a dramaturgia fosse retomada, assim como os programas de entretenimento, que retornaram aos seus estúdios e até voltaram a receber plateia. Além disso, o ano foi marcado por muitas movimentações, novas contratações e o avanço do streaming, que vem ficando cada vez mais relevante. Tudo isso é levado em consideração na lista dos destaques positivos do ano.

Lembrando que a lista foi elaborada com base em opiniões deste que vos escreve e, portanto, é sujeita a injustiças e esquecimentos. Vamos a ela?

- “Gênesis”

A Record TV se destacou na teledramaturgia, ao ser o primeiro canal a retomar uma novela interrompida pela pandemia, Amor Sem Igual, e por trazer o primeiro título inédito neste contexto, Gênesis. A trama bíblica teve altos e baixos, já que teve sete fases – algumas boas, outras bem cansativas – e trouxe um novo formato à dramaturgia bíblica da emissora. Funcionou, vide os bons resultados de audiência.

- “Um Lugar ao Sol”


Primeira novela das nove inédita da Globo após a pandemia, Um Lugar ao Sol trouxe a excelente Lícia Manzo ao horário nobre da emissora. A autora segue mostrando excelência na construção de dramas humanos, desta vez propondo uma bela crítica sobre os inúmeros contrastes sociais do país por meio de Christian (Cauã Reymond), rapaz pobre que troca de lugar com seu irmão gêmeo rico após a morte dele. A novela também leva a discussão sobre o feminino para um novo lugar através de Rebeca (Andréa Beltrão). Pena a audiência não corresponder, pois Um Lugar ao Sol é uma das melhores novelas da Globo em anos.

- Marcos Mion

2021 foi marcado por um troca-troca de apresentadores, desencadeado pela saída de Fausto Silva da Globo e o consequente fim do Domingão do Faustão. Neste contexto, Marcos Mion saiu ganhando. Herdando o Caldeirão para que Luciano Huck assumisse o Domingão, Mion mostrou porque é um dos apresentadores mais interessantes da TV. Ele resgatou a alegria do programa de auditório simples, apostando em jogos, música e diversão. O Caldeirão nunca foi tão divertido!

- Tiago Leifert

Em tantos anos à frente de tantos programas na Globo, Tiago Leifert nunca teve um ano tão bom. À frente do BBB 21, o apresentador mostrou que tinha o programa nas mãos, entregando sua melhor performance em anos. Depois, segurou uma bucha ao substituir Faustão à frente da Super Dança dos Famosos, e se saiu muito bem. Foi mostrando segurança e versatilidade que o rapaz se despediu da Globo. Pena que seu melhor ano na TV foi ofuscado por toda a celeuma envolvendo ele e Ícaro Silva.

- Band

A saída de Fausto Silva da Globo foi benéfica para a Band. Ao anunciar a contratação do apresentador, a emissora ganhou visibilidade, e aproveitou o bom momento para investir mais em programação. O setor mais bem-sucedido foi o esporte: ao assumir a Fórmula 1, que por anos pertenceu à Globo, a emissora dos Saad conquistou bons índices de audiência e foi elogiada pelos fãs da modalidade. O canal inicia 2022 com muitos projetos e vontade de acertar, o que é sempre louvável.

- “Show do Milhão”

Num ano fraco para o SBT, o resgate do Show do Milhão se revelou uma excelente sacada. Celso Portiolli assumiu a atração e se mostrou à vontade, imprimindo um certo deboche no comando do quiz show que o tornou ainda mais divertido. Além disso, o festival de “pérolas” mexeu com a internet, fazendo a atração ganhar repercussão e garantir uma nova temporada em 2022.

- Adriane Galisteu

Excelente apresentadora, Adriane Galisteu estava fora da TV aberta há anos, e inexplicavelmente. Mas, este ano, foi lembrada pela Record para suceder Gugu no comando do Power Couple Brasil. Pois ela agarrou a oportunidade com unhas e dentes, mostrando um visível empenho. Deu tão certo que ela ganhou um segundo reality para chamar de seu, tornando-se a apresentadora de A Fazenda. Mais uma vez, não decepcionou, mostrando segurança e domínio do jogo em cena. Foi a volta por cima da artista, após anos em barcos furados.

- “Ilha Record”

Em 2021, a Record tratou de juntar vários elementos de outros reality shows, mexeu bem e criou um formato, digamos, “original”, que se revelou um acerto. Ilha Record divertiu ao promover constantes surpresas, reviravoltas e provas malucas. Mas o grande trunfo foi a Caverna do Exílio, onde os eliminados viam o programa e faziam comentários hilários, criando uma “trama paralela” dentro da atração. Foi uma bobagem divertida!

- “Passaporte Para Liberdade”

A excelente coprodução Globo e Sony encerrou a programação da emissora carioca com chave de ouro. A saga de Aracy de Carvalho (Sophie Charlotte) emocionou. Superprodução que fez a gente se relembrar dos bons tempos em que a Globo investia pesado em minisséries históricas. Biscoito fino!

- Streaming

A produção nacional no streaming explodiu com a ampliação da oferta no segmento. Netflix, Disney+, Prime Video, Globoplay e HBO Max aumentam cada vez mais a cartela de produções brasileiras, fomentando o mercado e trazendo novas opções ao espectador. Assim, as plataformas absorvem cada vez mais talentos que estavam sem espaço na TV aberta, como Angélica, que estreou na HBO Max o Jornada Astral, seu melhor programa em anos. A dramaturgia também chama a atenção, em séries como Dom (Prime), Manhãs de Setembro (Prime) e Sintonia (Netflix). Que venham mais!

E para você, internauta? Quais os destaques positivos de 2021? Deixe sua opinião nos comentários! No próximo sábado, 15, daremos início ao TELE-VISÃO 2022! Até lá!

André Santana

08/01/2022

Postar um comentário

2 Comentários

  1. Olá, tudo bem? Não entendi. Quais fases da novela Gênesis foram cansativas? Eu teria esticado as fases iniciais e teria evitado esse buraco na programação. Discordo do seu posicionamento. Abs, Fabio www.blogfabiotv.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. O único pecado de Passaporte para a Liberdade foi ter sido exibida perto da meia noite, quanto à Um lugar ao sol pesa na audiência fraca o fato de ter estreado perto do fim do ano e no verão há poucos televisores ligados. No mais quem se deu super bem foi a Band que mostrou sinais de evolução e isso continuará em 2022 com o Faustão reestreando na emissora, é bom Record e SBT ficarem de olho e finalizando acho que o streaming veio pra ficar mas ainda não tem a mesma força da TV aberta, isso levará alguns anos, sinal dos tempos.

    ResponderExcluir