sábado, 5 de dezembro de 2020

Novelas ganham espaço em CCXP 2020

Pela primeira vez, a CCXP, grande evento de cultura pop que acontece anualmente em São Paulo, está acontecendo de forma virtual. Isso fez com que este pequeno jornalista nerd, que vive longe da capital paulista, pudesse acompanhar a programação pela primeira vez. Uma programação intensa e muito interessante, com tanta coisa acontecendo ao mesmo tempo, que fica até difícil escolher o que ver. É painel de HQ’s, cinema, TV... tudo o que a gente gosta! A CCPX começou ontem, 04, e vai até amanhã, 06.

Apesar de ser a primeira vez que estou acompanhando a programação, sempre acompanhei a cobertura da CCXP pela imprensa. E algo que me chamou a atenção foi o fato de, desde que a Globo passou a promover painéis no evento, o foco maior do canal sempre foi as produções originais Globoplay que a emissora considera de apelo junto ao público jovem. Parecia pouco para um canal cuja obra audiovisual faz parte da cultura brasileira há tanto tempo. Será que a Globo não queria parecer “careta” diante da turma “descolada” que forma a plateia da CCXP?

Acertadamente, este ano as novelas estão tendo um bom espaço na programação do evento. Ontem, 04, no palco principal, a emissora promoveu um painel chamado “Os Vilões que Amamos Odiar”. Com Fabiana Karla, a ação reuniu Claudia Raia, Mariana Ximenes e Alexandre Nero para falar sobre a importância do vilão e relembrar os vilões clássicos da nossa dramaturgia. Mesmo com um elenco duvidoso (todos fizeram vilões ótimos, mas nenhum antológico... ficou faltando uma Renata Sorrah, ou uma Adriana Esteves ali), foi um painel divertido. Um prato cheio para quem gosta do tema.

Logo em seguida, aconteceu outro painel sobre gêmeos na dramaturgia nacional. Christiane Torloni, que viveu papel duplo em Cara & Coroa, esteve ao lado de Tony Ramos, que viveu gêmeos em Baila Comigo, e Cauã Reymond, que foi gêmeo em Dois Irmãos, e será novamente em Um Lugar ao Sol, próxima novela das nove. Mais uma oportunidade divertida e interessante de ressaltar a importância da teledramaturgia nacional.

Fora da Globo, a CCXP também promoveu outro painel que deve ter arrebatado os corações dos fãs saudosos. Trata-se do painel que celebrou os 30 anos da extinta MTV Brasil, com apresentação de Sarah Oliveira. A ex-VJ comandou um bate-papo com a participação de nomes como Luiz Thunderbird, Penélope Nova, Didi Wagner, Marina Person e Marcos Mion, num momento de pura nostalgia. Grande ideia, grande sacada!

É interessante perceber a diversidade de um evento como este, onde cabe o suprassumo da cultura pop, como os quadrinhos, mas também que exalte a TV aberta brasileira e todas as suas caras. Com isso, a CCXP amplia o leque a atrai um público cada vez mais diverso. Que bom!

André Santana

2 comentários:

  1. Olá, tudo bem? É mais um espaço que valoriza a nossa televisão brasileira! Isso é bom. Abs, Fabio www.blogfabiotv.blogspot.com.br

    ResponderExcluir