quarta-feira, 21 de outubro de 2020

Após um tempo adormecida, CNN Brasil volta a agitar o mercado

São tantas notícias sobre cortes e reduções de custos nestes tempos difíceis de pandemia, que qualquer nova contratação no mercado audiovisual torna-se sempre uma boa notícia. E vindo da CNN Brasil, que agita o mercado desde o ano passado, quando ainda se estruturava e anunciava grandes contratações, a coisa fica ainda mais interessante, tendo em vista que o canal de notícias estava numa fase, digamos, “morna”.

Mas a semana começou em polvorosa quando a CNN anunciou a contratação de Marcio Gomes. O âncora da Globo, com mais de 20 anos de casa, estava numa fase “curinga” na programação da emissora, à frente dos boletins noticiosos sobre o coronavírus e cobrindo férias e folgas em vários telejornais. Além disso, estava cotado para assumir, em definitivo, o comando do SP1. Ou seja, era um nome forte da Globo, que agora engrossa as fileiras da CNN.

No anúncio da contratação, a CNN Brasil informou que está destinado a Marcio o comando de “novos projetos multiplataformas” da emissora. Parecia que a CNN falava de sua parceria com alguma rede de TV aberta, uma possibilidade que parece cada vez mais próxima. No entanto, Mauricio Stycer, do UOL, informou que a novidade em questão é o streaming da CNN Brasil, o CNN Brasil +. Stycer disse que o canal de notícias negocia para integrar a Pluto TV, nova plataforma de streaming, que é gratuita e conta com conteúdo da Viacom. A Pluto TV chega ao Brasil em dezembro.

O mais provável é que a CNN Brasil esteja mesmo planejando tudo isso. A emissora já fechou parceria com a Transamérica para levar seu conteúdo ao rádio, e segue em busca de uma TV aberta para se associar e levar seu conteúdo. Segundo Flavio Ricco, o SBT era um canal possível, mas as negociações teriam perdido força. RedeTV teria entrado no páreo, mas há quem diga que pode ser um canal menor. Lembra quando falaram que a CNN chegou a conversar com a Rede Brasil? Além de TV, o canal, acertadamente, deve chegar ao streaming. E chegará reforçado, já que Marcio é um excelente âncora, e a emissora já conta com um time de peso.

Fica a torcida para que a CNN Brasil volte aos holofotes por boas notícias como esta. Porque estava ficando chato a emissora só aparecer no noticiário por conta de polêmicas, como as bobajadas ditas por Caio Coppola ou outros debates que só enfraquecem sua imagem diante do público. Como dito acima, o canal conta com excelentes profissionais, uma bela estrutura e uma grade de programação interessante. Não devia abraçar polêmicas para aparecer. A marca é muito maior do que tudo isso. Que a chegada de Marcio represente uma fase mais auspiciosa, com bom conteúdo e distribuição multiplataforma, pois o público ganha com isso.

E quanto à Globo… bem, perder Marcio Gomes foi um duro golpe. Um profissional competente e versátil como ele sempre faz a diferença. A emissora demorou demais para fixá-lo novamente como âncora, papel que exerceu por uns bons anos no RJ1 no passado. 

André Santana

8 comentários:

  1. Márcio pra mim era o sucessor do William bonner...novos tempos a Globo nao e o destino final dos jornalistas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcio é um baita profissional! Espero que dê certo sua nova empreitada.

      Excluir
  2. Marcio Gomes foi uma grande perda. Gostei muito quando ele apresentou o "Jornal da Globo" durante as férias da Renata Lo Prete. Deu uma outra cara para o telejornal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu jurava que ele seria efetivado no Hora 1 quando a Monalisa saiu.

      Excluir
  3. E a CNN Brasil insaciável já levou mais um jornalista global, a Glória Vanique que fazia o Bom dia São Paulo é outra que ruma pra emissora.

    ResponderExcluir
  4. O Márcio Gomes realmente é uma grande perda, pois se mostrou um bom âncora e com potencial para apresentar um jornal de forma nacional (não só o JN, poderia ser o Hoje ou mesmo JG). A Glória Vanique é mais conhecida em SP, não creio ser tão insubstituível. Mas é preciso lembrar que a Globo está num momento de reestruturação e não vai segurar praticamente ninguém. E o fundamental; tem um potencial de revelar novos nomes que fazem com que muitos que saiam, sejam rapidamente esquecidos. Não digo que toda substituição é fácil, mas a Globo ainda tem um potencial muito mais de audiência e atração que os outros canais; se bobear até deve achar bom não inflar a folha salarial; já pensou se renova com todo mundo que recebe proposta?

    Por outro lado, a CNN terá espaço (e verba) para todo mundo que chega com estardalhaço, sem causar insatisfação com quem já está lá? A grade do canal eu vejo ainda como muito repetitiva (como em parte está a da GNews também). Claro, estamos ainda na pandemia, a tendência de se valorizar a notícia ao vivo faz com que todas tenham semelhanças. Mas o viés extremamente chapa-branca ainda continua na CNN. Será que o manterá com o tempo? E outra, essa coisa de parceria com TV aberta, sendo em qualquer canal abaixo da Rede TV! em audiência, vale a pena?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alexandre, todos nós ficamos muito impressionados com a quantidade de investimentos da CNN, ainda mais neste tempo de crise. É o único canal que está investindo e expandindo. Uma estratégia agressiva, sem dúvidas. Torço pra que não seja suicida...

      Excluir