sexta-feira, 3 de julho de 2020

Globo ainda vai dispensar mais gente


Já faz alguns anos que a Globo adotou a postura de não segurar mais artistas que estejam produzindo pouco. Assim que sua direção avalia que alguns medalhões não rendiam mais tanto quanto antes, ela trata de liberá-lo para o mercado. Claro, isso se intensificou mais nos últimos anos, com o tal projeto Uma Só Globo. Mas, anos atrás, quando nomes como Xuxa e Jô Soares se despediram, já havia um indício de uma nova direção.

Com a intensa movimentação do mercado e as novas estratégias de investimento, a coisa foi ficando cada vez mais evidente. Até chegar aos dias de hoje, quando vemos nomes como Miguel Falabella, Vera Fischer e, mais recentemente, Renato Aragão, deixando a casa. Percebemos que se trata de um caminho sem volta. Mas isso não significa que a Globo não quer mais estes artistas. A emissora ainda os deseja, mas só pagará por eles quando eles estiverem produzindo.

Isso ficou ainda mais claro com o anúncio da renovação de contrato de Thiago Fragoso. Ou seja, contratos longos ainda existem na emissora. E Thiago é um exemplo claro do critério adotado. Trata-se de um ator talentoso, muito bem aceito pelos espectadores e um profissional com o qual se pode contar. Ele não recusa papéis, e circula bem por todos os horários de dramaturgia da emissora. Aceita ser o mocinho, o coadjuvante e vilão de Malhação. Ou seja, é um bom negócio para a emissora mantê-lo, já que ele é um curinga. O canal sabe que pode sempre contar com ele.

Quanto aos que não tiveram o contrato renovado, a emissora faz questão de ressaltar de manter as portas abertas. Talvez o caso mais emblemático seja de Otaviano Costa, que deixou a emissora, mas foi convidado pelo GNT e acertou sua participação na Escolinha do Professor Raimundo. Outro caso que é pouco dito, mas que reflete bem este momento, é o de Angélica, contratada apenas para desenvolver seu novo projeto, Simples Assim. Em suma, atores e apresentadores que atuam por temporadas serão contratados por temporadas. Neste meio-tempo, eles ficam soltos no mercado, e podem voltar. Ou não. Não há mais uma rigidez, com contratos bem amarrados para se manter a exclusividade. Isso passou.

Sendo assim, este estranhamento todo percebido a cada anúncio de fim de contrato parece meio descabido. Não é de hoje que a emissora tem agido assim. Tudo bem que é esquisito ver a Globo abrindo mão da exclusividade de nomes que fizeram a sua história. Mas entende-se que se trata de uma movimentação natural do mercado. E que faz todo o sentido nos dias de hoje.

E pode ser ruim para o artista acostumado à segurança de um contrato. Mas, por outro lado, esta nova etapa resulta numa movimentação muito interessante. Renato Aragão, por exemplo, se mostrou animado com a possibilidade de explorar outros mercados. Miguel Falabella também acenou com o ânimo de poder mostrar seus projetos a outros canais ou plataformas, e não apenas à Globo. Num momento em que o streaming parece ganhar força, ter talentos deste tamanho disponíveis para novos projetos parece bom para o futuro do audiovisual brasileiro.

André Santana

14 comentários:

  1. Renato Aragão faz parte da historia da Globo ha décadas. .além de Deus programas de humor esteve abos ligado com o criança esperança. .vai ser estranho dw lo em outro canal mais pode ser uma chance de renovação. ..o problema que o humor dele não encaixa muito com essa humoristas de hoje a não ser topo e como Rodrigo Santana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Miguel, eu não vejo Renato num outro canal. Mas eu acho muito legal aqueles especiais que ele fazia para a Globo, como telefilmes e microsséries. É um formato que cabe no streaming, por exemplo.

      Excluir
  2. A era da Globo poderosa terminou ...bom eoa está investindo for te no streaming..se realmente por causa de problemas com o presidente preferem a concessao um dia ..devem ficar por ali

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Miguel, o presidente não pode tirar a concessão da Globo. Não é tão fácil assim. A concessão só seria ameaçada se houvesse alguma irregularidade em sua execução, o que não é o caso. E, se houvesse, a cassação teria que ter aprovação da Câmara, do Senado... enfim, é uma operação bem complexa. O presidente ameaça, mas ele não tem esse poder.

      Excluir
  3. O mais engraçado é qdo a Sonia Abrao da essas notícias de desligamentos da Rede Globo , ela e sua trupe fazem até cara de choro rs
    O mais engraçado é que A rede TV! Faz coisa pior ..Não paga funcionários em dia , programação sem qualidade ..e mais ..fizeram aquela demissão no mínimo absurda de Olga bongiovanni e tantos outros casos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Caio! A Globo ainda é a mais correta neste tipo de situação, mas vira notícia nos canais que faz coisas piores, rs!

      Excluir
    2. Canais que vivem da Globo e de seus bastidores ..se a Globo fechar a rede tv ficará sem assunto

      Excluir
  4. Concordo plenamente com o que você e o Caio disseram. A Globo possui um nível de profissionalismo muito maior do que a média dos outros canais. E talvez até tenha demorado para poder fazer essa certa limpeza em longos contratos, abrindo espaço para negociações por obra.

    Claro que talvez alguns ali eu não deixaria que ficassem sem contrato, mais aí é aquela coisa, só estando lá dentro para saber. Se não houve desrespeito aos direitos trabalhistas dos que saíram, então a coisa pode ser bem conduzida, até mesmo com alguns deles voltando lá na frente.

    ResponderExcluir
  5. É uma tendência os contratos por obras, para diminuição dos custos. O mesmo se reflete com os autores de novelas, que já não davam a mesma audiência de antes, enquanto novos nomes surgiram e com salários mais modestos para a mesma função. Afinal, a Globo é uma empresa e tem contas pra pagar...
    Lucas - www.cascudeando.com

    ResponderExcluir
  6. Fala, André! Como já discutimos em outros posts, essa realidade se faz cada vez mais presente na TV brasileira. Concordo com o Alexandre sobre certas escolhas que são feitas, algumas não dá pra entender, mas a Globo tem lá seus motivos.

    Sobre a tendência, não seria estranho, por exemplo, ver a Xuxa comandar o Dancing Brasil na Record e, alguns meses depois, vê-la dando as caras num outro formato na Globo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Xuxa foi uma das primeiras a não aceitar uma redução de salário..nem creio que foi demitida da Globo apenas ia perder o status milionário no salario

      Excluir
    2. Mister Ed, seria uma situação bem inusitada! Uma estrela passar seis meses num canal, e outros seis meses em outro, rs! Será que chegará a tanto?

      Excluir