sábado, 4 de julho de 2020

"Fábrica de Casamentos" não consegue evitar repetição em nova temporada


Na semana passada, o SBT estreou a quarta temporada de Fábrica de Casamentos. Estreando com atraso, e com menos episódios, a atração de Chris Flores e Carlos Bertolazzi tem como grande desafio driblar a repetição. E, a julgar pelo episódio de estreia do último sábado, 27 de junho, não será uma tarefa fácil.

Em seus primeiros anos, Fábrica de Casamentos explorava os percalços que a equipe da atração tinha que enfrentar para entregar uma festa de casamento em tempo recorde. É vestido que não fica pronto, é decoração que cai, é bolo que tem a estrutura comprometida… Tudo isso costurado com reclamações da confeiteira, da decoradora e dos demais membros da equipe.

Tudo soava bastante fake, já que algumas situações eram claramente aumentadas para que o conflito ficasse mais evidente. No entanto, não chegava a comprometer. O fato de a atração revelar os bastidores da produção de um evento cheio de detalhes como um casamento, e num tempo tão restrito, garantia a diversão. Mas, passadas duas temporadas, a fórmula se mostrou cansativa. Os problemas começaram a se repetir, e a equipe começava a ficar over com suas reclamações.

Assim, a terceira temporada de Fábrica de Casamentos diminuiu consideravelmente o tempo em que se mostrava o processo de montagem da festa. O programa passou a dar mais enfoque ao casal participante e sua história. Foi uma mudança de foco que deu fôlego ao formato.

No entanto, na estreia da quarta temporada, Fábrica de Casamentos parece querer voltar às origens. O episódio de estreia não deu muito espaço à história dos noivos, preferindo voltar a apostar nos bastidores da festa.

Boa parte do programa mostrou a noiva fazendo suas exigências, enquanto Lucas Anderi reclamava da falta de tempo, e Beca Milano bolava um plano engenhoso para um bolo apoteótico em formato de carro. O maior desafio da equipe foi a falta de simpatia da noiva com flores, que deixou a decoradora desesperada.

Trata-se de uma volta às origens questionável. Fábrica de Casamentos empolgava mais quando dava o protagonismo aos participantes. Como eles mudam a cada episódio, o programa sempre mostrava algo novo.  Voltando a apostar nos bastidores atribulados, a atração tende a se repetir, e os noivos passam a ser coadjuvantes. Vira uma novelinha.

O ideal seria que o programa dosasse estas duas bases. É divertido ver como a equipe corre contra o tempo para montar uma festa. Mas mais divertido e emocionante é conhecer as histórias de vida dos noivos. É a emoção que garante a atenção do público.

André Santana

6 comentários:

  1. Olá, tudo bem? Esse tipo de programa funciona por três temporadas. A partir da quarta, já inicia o processo de desgaste... E para piorar, o SBT reprisa a reprise dos episódios durante o ano. Abs, Fabio www.blogfabiotv.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fabio! Tem razão! A tendência é o formato se desgastar. Abraço!

      Excluir
  2. Isso acontece na maioria desses "shows de realidade", mas que na verdade têm várias situações claramente forçadas para gerar conflito ou "emoção" (normalmente fazer alguém chorar). Alguns são programas até agradáveis ou aceitáveis, como esse dos casamentos, mas possuem esse problema e, como o Fabio disse, têm também a situação do desgaste.

    ResponderExcluir
  3. Acho que podiam diminuir a duração do programa que, apesar de bem editado, é um pouco longo.

    ResponderExcluir