sábado, 27 de junho de 2020

Em tempo de pé no freio, Band movimenta o mercado


A pandemia do novo coronavírus fez as emissoras colocarem o pé no freio. Planos foram cancelados, ou adiados, e soluções de emergência e reprises surgiram. Neste cenário pouco produtivo, é normal que o mercado dê uma desaquecida. Por isso, chama a atenção a movimentação da Band, que parece estar em pleno funcionamento.

A contratação de Mariana Godoy e a reformulação do Aqui na Band foi um dos principais assuntos da semana no noticiário televisivo, e já repercutimos aqui em duas ocasiões. Estas novidades num período em que pouca coisa está acontecendo ajuda a dar um “up” na programação da TV aberta. Além disso, nos últimos dias, pipocaram informações de que a Band busca mais nomes de peso no mercado. Além dos nomes de Zeca Camargo, Dony DeNuccio e Fernando Rocha, cotados para o Aqui na Band, também surgiram nomes como Rachel Sheherazade, Tom Cavalcante e até Miguel Falabella na bolsa de apostas. José Luiz Datena, no Brasil Urgente, os citou no ar esta semana, comemorando tais negociações.

Claro, o fato de a Band ter interesse nestes nomes não significa que já foram contratados, ou que a recíproca é verdadeira. Mas é um sinal de que a emissora tem pensado em soluções para fazer uma programação mais variada. E isso, por si só, é muito positivo. Rachel Sheherezade, por exemplo, já não esconde sua insatisfação com o SBT. Pois ela seria um reforço interessante para o jornalismo da Band. Com Tom Cavalcante, a emissora voltaria a apostar no humor, segmento sem representação atualmente. Vai se saber o que a Band pensa sobre Miguel Falabella, mas é um baita nome!

Porém, tudo isso ainda está no campo da especulação. Mas já há soluções práticas sendo tomadas. Desde a fracassada reformulação da programação de 2018, quando a Band apostou em programas de pouco apelo, a emissora tratou de se mexer de maneira mais prudente. E, entre 2019 e 2020, tomou decisões mais efetivas. Neste período, o canal parou de apostar em programas que pouco tem a ver com sua vocação, e tratou de investir no que conhece melhor.

O jornalismo, por exemplo. O canal ampliou consideravelmente o espaço para o jornalismo, com os lançamentos de Primeiro Jornal, Bora Brasil e Band Notícias. Além disso, finalmente mexeu no BandNews, canal de notícias do grupo. São movimentações positivas, que se refletiram numa melhora nos números. Claro, o canal ainda tem muito a mexer. Mas só o fato de a emissora ter saído daquela incômoda inércia de antes já é algo positivo.

Fica, agora, a torcida para que o canal tenha pernas para sustentar toda esta movimentação. A emissora já pagou o preço por contratações de peso que não trouxeram nenhum retorno e, ainda, ajudaram a acelerar uma crise que engessou o canal por anos. Movimentação é sempre positiva, desde que feita com responsabilidade.

André Santana

11 comentários:

  1. Uma dúvida: se a Rachel Sheherazade assinar com a Band provavelmente fará dupla com o Oinegue no Jornal da Band fazendo com que a Lana Canepa volte pra reportagem, mas será que ela dará opinião, coisa que o Silvio Santos proibiu?

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem? Gostei do título "Herói da resistência". Para piorar, a TV agora vive de reprises, mas continuo resistindo kkkkkkk Sobre a Band: sou contra a contratação do Zeca Camargo. Apoio a contratação do Dony. Agora é ver se a Band tem recursos financeiros para isso... Abs, Fabio www.blogfabiotv.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Zeca Camargo e bom pra apresentar reality shows e algo sobre entretenimento no geral ...

      Excluir
  3. A Bandeirantes sempre foi aquele canal nacional, mas que parece um canal de bairro e que sempre está aí para levar o empresário tal para fazer um jabá, ter comerciais de 8 minutos entre seus programas ou mesmo algum cara para falar bem do agronegócio (aliás, alguém explica o Grupo Bandeirantes ter DOIS canais para falar do mesmo assunto, Terra Viva e Agro, inaugurado agora?)

    Além disso, sempre investiram tudo em uma coisa só e logo se cansam; antes era só esporte, depois pararam, voltaram, pararam de novo e querem já voltar. Teve a fase do Gilberto Barros todos os dias, ou seja, parece ser uma emissora que não sabe bem o que quer, se ser só paulista (e olha que sou natural do estado...), se quer ter programas populares ou não...

    Mesmo assim é a emissora das grandes que tem a menor rejeição, ou seja, pode vir a ter algum sucesso, desde que tenha um mínimo de ordem na sua programação e consiga ter programas mais interessantes. O novo diretor veio da Globo, pode ser que consiga um pouco dessa ordem nos horários e fazer apostas melhores. Eu discordo do Fabio, acho o Zeca um bom nome para o canal, seria interessante vê-lo por lá. Mas vamos ver se, principalmente, eles tenham um plano e o mantenham, coisa que é um pouco difícil por lá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A band so tem jornalismo e esporte oZeca seria pra alguma alternativas ao masterchef único programa de entretenimento

      Excluir
    2. Alexandre, pelo que entendi, o AgroMais será mais focado em informação sobre o marcado agropecuário, tecnologia do setor, etc. Enquanto o Terra Viva é mais pro criador, leilões...

      Excluir
    3. Obrigado pela explicação Mister Ed, mas ela só corrobora com o que eu penso: não havia a menor necessidade de fazer outro canal para falar de algo que dava para encaixar em um só.

      Excluir
  4. Tenho uma enorme simpatia pela TV Band, já fui espectador assíduo de diversas atrações da emissora. Acho que o canal do Morumbi quando faz televisão, faz melhor que o SBT e Record, por exemplo. Seu jornalismo é muito superior que as duas citadas.

    Lembro-me de uma época em que a Band brigava pela audiência aos domingos com o Jogo da Vid,a com a Márcia Goldsmith (fica a dica pra um post hein, André. Aliás, um puxão de orelha no senhor, cadê os posts nostálgicos?).

    Sobre os possíveis nomes, acho o Dony uma ótima opção. Li no Flávio Ricco que Band pensa em um programa de entrevistas pro fim de noite, Miguel Falabella seria um nome excelente para um talk show, não? Seria o retorno do Agora é Tarde?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Miguel Falabella e três em um ator,autor e apresentador...quem sabe não inventa uma sitcom

      Excluir
    2. Mais um exemplo de algo que a Bandeirantes começou e terminou: tinha o Agora é Tarde com o Gentili. Qdo ele saiu deram o programa para o Rafinha Bastos; na hora em que ele estava começando a dar a cara dele para a atração, tiraram do ar sem mais nem menos. E agora, com Globo e SBT estabelecidas na área vão voltar com um programa de entrevistas? Pode até funcionar, mas será que é algo que teria uma continuidade?

      Excluir
  5. Olá,

    Imagino que Falabella e Zeca seriam trunfos que fariam a BAND dar uma guinada em seu próprio grupo, pois estes podem participar dos vários canais do grupo em diferentes projetos (vejo os dois no Bnews e no arte 1) em que se valorize a versatilidade dos dois. Se essas movimentações da BAND realmente derem certo, vejo boas possibilidades de alcançar o terceiro lugar.

    ResponderExcluir