sábado, 11 de janeiro de 2020

TV aberta não consegue se livrar das reprises de início de ano

"Só sei que foi assim"

Não tem jeito: entra ano e sai ano e as TV’s abertas brasileiras mostram que não sabem lidar com o período de férias. Basta janeiro entrar em cena para os canais usarem e abusarem dos tais “melhores momentos”, enfiando goela abaixo do espectador uma enxurrada de reprises de seus programas. Houve, num passado não muito distante, o cuidado de se deixar programas gravados para o período de férias, ou a substituição de programas de grade por atrações de temporada. Mas isso não existe mais. Em maior ou menor grau, todos os canais recorrem aos repetecos para suprirem suas grades de programação.

A Globo é a que mais investe em estreias no início do ano. Para janeiro, estão previstas as estreias da nova temporada do Big Brother Brasil, do humorístico Fora de Hora e da novela Salve-se Quem Puder. No entanto, até mesmo a “poderosa” não consegue resistir a uma repetição. Há tentativas de “disfarce” como o Lady Night, que é inédito na TV aberta, mas se trata de uma temporada já exibida no Multishow. Ao menos, é inédita para parte da audiência da Globo. Há também a minissérie Chacrinha, que é inédita na TV, mas se trata do filme sobre o apresentador, fatiado em quatro capítulos.

Mas, curiosamente, a emissora não resistiu a uma reprise logo na primeira semana de 2020. A Globo preteriu Hebe, minissérie cotada para abrir o ano, e optou por exibir O Auto da Compadecida, clássica microssérie exibida em 1999, e que foi editada para se tornar um longa-metragem em 2000, resultando numa das maiores bilheterias do cinema nacional. A Globo tratou o evento como uma comemoração aos 20 anos da série. Porém, em 2020, a minissérie completou não 20, mas 21 anos.

O repeteco de O Auto da Compadecida não chega a incomodar, afinal foi exibida há mais de 20 anos. Há uma geração que conhece apenas o filme, e nem sequer sabia que a produção era, na verdade, uma série de TV reeditada. Em razão da importância da obra, sua reprise anos depois foi oportuna, afinal, a qualidade da produção fala por si. E o público reagiu bem, e O Auto da Compadecida praticamente repetiu o sucesso de sua primeira exibição. Mas não deixa de mostrar que até a Globo não está imune às reprises de início de ano.

Na Record, a coisa também não é das melhores. A emissora reservou estreias em sua linha de shows para fevereiro e, assim, vai levando janeiro com reprises e tapas-buracos. Neste contexto, tratou de embalar conteúdo do Domingo Espetacular e criou o especial Mitos e Verdades, que vem sendo exibido às quintas-feiras. Às quartas, enquanto a nova temporada do Troca de Esposas não começa, o canal vem exibindo episódios da temporada de 2019, como um “esquenta”. Vale lembrar que a Record já havia reprisado o Troca de Esposas aos sábados no ano passado. Ou seja, é a reprise da reprise.

Mas, mudando de canal, a tendência é piorar. A RedeTV, que tem uma grade de programas de fofoca ao vivo, vira um “óasis” de reciclagem de conteúdo. É bem ruim assistir às fofocas repetidas de programas como A Tarde É Sua, Tricotando e TV Fama. A emissora costuma dar férias coletivas às suas produções entre o final de dezembro e início de janeiro, e o resultado é uma grade sucateada. Complicado.

E o SBT não fica atrás. TODOS os seus programas de entretenimento, com exceção do Fofocalizando, estão em fase de reprises. Dá-lhe repetecos de Programa do Ratinho, The Noite, A Praça É Nossa, Programa da Maisa, Programa Raul Gil, Domingo Legal, Eliana e Programa Silvio Santos. Há reprises também do Esquadrão da Moda e do Fábrica de Casamentos nas noites de sábado. E até o Topa ou Não Topa, que retornou há poucos meses, já faz uso do expediente de “melhores momentos”. Triste!

Ou seja, o espectador que está de férias e quer aproveitar a folga para assistir mais televisão, melhor desistir da ideia. Melhor recorrer ao cinema, ao streaming, ou ler um bom livro na praia mesmo. Porque assistir televisão é um teste de paciência.

André Santana

6 comentários:

  1. Olá, André, tudo bem? Muito boa observação sobre a reprise do Troca de Esposas aos sábados. Acredito que as emissoras teriam obrigação de gravar programas inéditos. ps: o quadro da Havan no Domingo Legal até semana passada foi inédito. Abs, Fabio www.blogfabiotv.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fabio, tudo bem? O Comprar é Bom é inédito ainda? Não sabia. Obrigado pelo toque. Mas os demais quadros são reprises, não? Troca de Esposas eu adoro, mas a Record, pra variar, abusa do formato. Abraço!

      Excluir
  2. O auto da conpadecida e um clássico ..podiam produzir minisséries desse autor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei rever O Auto da Compadecida! Achei a reprise oportuna.

      Excluir
  3. O sbt nem pra deixar gravado, vem com essa de melhores momentos está, vidtovwur seus programas na íntegra estão no YouTube, acho o sbt bem preguiçoso
    Vale elogiar a pequena tv Gazeta na primeira semana do ano seus principais programas femininos já estava ao vivo, sem reprise porém sem titulares do programa o que é normal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Caio! Substituições nem sempre são legais, mas ao menos mantém o conteúdo inédito.

      Excluir