sábado, 7 de dezembro de 2019

Emissoras abertas vivem má fase com seus reality shows

"Faltou 'tompêro'!"

O segundo semestre de 2019 não foi muito feliz para as emissoras abertas no segmento dos reality shows. Record, Globo, Band e SBT não conquistaram grandes índices de audiência com seus programas, que também não tiveram grande repercussão. A Fazenda, Mestre do Sabor, MasterChef e Famílias Frente a Frente são algumas das atrações que decepcionaram.

A atual temporada de A Fazenda frustrou os fãs. No ano passado, a chegada de Marcos Mion e o elenco bem escolhido deram um up na atração, que, anteriormente, quase foi cancelada definitivamente pela Record. Porém, a vitalidade vista em 2018 não se repetiu. Na reta final, A Fazenda 11 encara uma triste monotonia. Os poucos participantes que rendiam foram sendo eliminados, o que colaborou com o marasmo da casa.

Decepção semelhante aconteceu com o MasterChef – A Revanche. A ideia de se reunir ex-participantes pareceu à prova de erros, mas não funcionou na prática. O reality até resgatou bons ex-concorrentes, mas estreou num momento de extremo desgaste da fórmula. Assim, a atração da Band vem amargando baixos índices de pouquíssima repercussão.

Aliás, o segundo semestre de 2019 não foi bom no segmento dos talent shows de culinária. A Globo, tardiamente, entrou nesta seara com Mestre do Sabor, que se revelou um formato de pouco apelo. Apesar de algumas ideias interessantes, o programa de Claude Troisgros não conseguiu envolver o público com os participantes. Deste modo, não criou identificação e nem torcida. Assim, entra na reta final em brancas nuvens.

Outra novidade do segmento que não aconteceu foi o Famílias Frente a Frente, do SBT. A competição de Tiago Abravanel é divertida, mas parece sofrer com o desgaste evidente que impregna a maioria dos realities de culinária. Além disso, vem sendo exibida num péssimo horário, praticamente na madrugada de sexta para sábado. FFF não deixará boas lembranças.

É bem possível que o parco desempenho destes programas tenha a ver com o excesso de realities na programação da TV aberta. Porque o que se vê atualmente são variações dos mesmos formatos de sempre. Faltam novidades de fato neste segmento.

André Santana

5 comentários:

  1. Olá, tudo bem? Há uma diferença entre talent show e reality show... Sobre A Fazenda: no ano passado, o elenco foi explosivo e eufórico demais. Passou do ponto. Portanto, ñ foi bem escolhido. Farei meu balanço final sobre A Fazenda 11 no meu blog. Abs, Fabio www.blogfabiotv.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fabio! Na verdade, eu considero talent show um subgrupo dentro do reality show. Mas enfim... Eu digo que o elenco de A Fazenda do ano passado foi bem escolhido simplesmente porque funcionou, afinal o programa foi bem. Não gosto deste tipo de reality, como já disse aqui várias vezes, então meu critério não é lá muito criterioso neste sentido, rs! Mas achei A Fazenda 11 um horror! Abraço!

      Excluir
  2. Concordo, André. Mestre do Sabor tem suas qualidades e particularidades mas sofre com o desgaste dos talent shows culinários. FFF eu nunca vi, acho muito tarde, como você disse. MasterChef eu assisto pelo YouTube também em função do horário tardio. A Band erra em apresentar duas temporadas do programa no ano. A temporada de amadores se estende por todo o ano que, pouco tempo depois, emenda em outra. Se a Band fizesse uma versão mais enxuta, com média de três meses e menos participantes, talvez tivesse melhores resultados.

    Também concordo que a TV aberta possui muitos formatos de realities e talent shows no ar, todos muito parecidos, o que afugenta a audiência, visto que a sensação de mais do mesmo é constante. Será que o The Circle, reality da Netflix, vai mudar esse patamar? Vamos ver.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como e esse? Não conheço

      Excluir
    2. Pois é, Mister Ed, me parece que os formatos estão muito saturados. Acho que está na hora de a TV brasileira ir às compras novamente, porque os que estão aí já deram.

      Excluir