quinta-feira, 7 de novembro de 2019

História da TV: Relembre a história do "Namoro na TV e Etc", programa que nasceu do improviso

"Você canta, dança ou etc?"
Tem coisas que são mesmo a cara do SBT. O nascimento, apogeu e queda do Namoro na TV e Etc, programa de nome infame comandado por Celso Portiolli, aconteceu de maneira tão improvisada (praticamente por acaso), que acabou por se tornar um momento curioso da história da TV. Entre o final de 2006 e início de 2007, o apresentador deixou de ser mero apresentador de intervalo na Sessão Premiada para comandar um programa que chegou de surpresa à grade do SBT.

Tudo começou quando, do nada, Silvio Santos decidiu dar férias à Adriane Galisteu, que, na época, comandava o Charme nas tardes do SBT. E optou por entregar o vespertino nas mãos de Celso Portiolli, até então ocupado apenas com a Sessão Premiada, exibida nas tardes de sábado e manhãs de domingo. Com a chegada de Celso, o programa mudou. Adriane comandava uma revista eletrônica, com entrevistas, debates e reportagens (um dos trocentos formatos que o Charme teve). Com Celso, o programa priorizou games e o “quadro do namoro”. Era um quadro sem nome, chamado simplesmente de “quadro do namoro”, no qual Portiolli recebia jovens para flertar. Na atração, uma pessoa ficava de um lado de um biombo, enquanto outras três do outro lado. Celso fazia perguntas e propunha jogos, até que o solitário escolhia com quem ficar, sem ver. Em suma, uma versão simplificada do Xaveco, programa que Celso apresentou no final da década de 1990 e que, hoje, é um quadro do Domingo Legal.

Não se falou muito sobre isso na época, mas a impressão que passou foi que o SBT tentava ir no rastro da Record que, na mesma época, apostava no Jogo do Namoro, quadro do Programa da Tarde que era apresentado por Maria Cândida e tinha formato semelhante. Os dois programas eram exibidos mais ou menos no mesmo horário.

Pois muito que bem. Nos primeiros meses de 2007, Adriane Galisteu voltou das férias. Mas não retomou seu espaço nas tardes do SBT. Em vez disso, a apresentadora retomou seu Charme numa versão semanal, exibido nas noites de segunda-feira. Enquanto isso, Celso Portiolli seguiu nas tardes de segunda a sexta, e o Charme vespertino mudou de nome. Num dia, era Namoro na TV. No outro, era Namoro e Etc. Por fim, o programa chegou ao nome definitivo, Namoro na TV e Etc. Isso porque o quadro do namoro seguia como o carro-chefe da atração, mas o programa tinha outros quadros (por isso o “Etc”… coisas de Silvio Santos).

O mais louco disso tudo é que o Charme nas noites de segunda e o Namoro na TV e Etc nas tardes compartilhavam do mesmíssimo cenário. Só mudava o conteúdo. Charme era essencialmente um programa com musicais e entrevistas, enquanto o Namoro na TV e Etc apostava em games. Porém, essa situação ridícula durou pouco tempo. Logo o SBT optou por reformular o Charme, que, com novo cenário e formato, passou a ser um talk show diário nas madrugadas (foi sua melhor fase, diga-se, mas poucos se lembram disso).

Enquanto isso, Namoro na TV e Etc ficou mais um tempinho na grade diária. Foi uma fase em que Celso trabalhou muito, já que ele apresentava o Namoro de segunda a sexta, ao vivo, e a Sessão Premiada aos sábados e domingos, também ao vivo. Com isso, o apresentador era visto todos os dias da semana, sempre ao vivo, na tela do SBT. Situação um tanto louca para quem tinha acabado de enfrentar uma fria geladeira na emissora.

Essa situação ficou assim até o SBT apostar no pacote de novidades que ficou conhecido como “arrancada da vitória”, entre março e abril de 2007. Uma das novidades era uma linha de shows na faixa das 20 horas, e um dos programas recrutados para a empreitada era uma nova versão do Curtindo Uma Viagem. Rebatizado como Curtindo com Reais, o game passou a ser exibido nas noites de sexta. Assim, Namoro na TV e Etc deixou a grade diária e se tornou semanal, ocupando toda a tarde de sábado. Nesta fase, o programa mesclava vários quadros diferentes de namoro com games variados. Um deles era o Jogo das Três Pistas, atualmente apresentado por Silvio Santos em seu dominical. Uma personalidade que sempre era convidada para o jogo era nada menos que Dani Calabresa, que na época assinava Daniela Giusti. A comediante integrava o elenco do humorístico Sem Controle, onde interpretava a enfermeira Penicinilda. E ela costumava bater ponto no Namoro na TV interpretando a personagem. Pérolas da TV…

Alguns meses depois, Namoro na TV e Etc chegou ao fim e foi substituído pelo Curtindo com Crianças, uma espécie de Gente Inocente onde Celso Portiolli promovia jogos singelos com pequenos. A atração ficou no ar até o fim de 2007, chegando ao fim quando Silvio Santos resolveu exibir as lutas coreografadas do WWE – Luta Livre na TV nas tardes de sábado. Loucura, loucura, loucura…

Relembre vinheta e um trechinho do Namoro na TV e Etc:



André Santana

7 comentários:

  1. Meu Deus, quanta coisa!!! Sua memória de elefante me impressiona, André.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mister Ed, infelizmente minha memória já não anda tão boa quanto já foi! Lembro de muita coisa do passado distante, mas o passado recente já não fica tão claro na minha cabeça, hahaha! Mas a história do Namoro na TV e Etc eu me lembro bem, porque acompanhei tudo.

      Excluir
  2. O famigerado "programa tapa-buraco que vem pra ficar". Se você se lembrar do Festival de Desenhos, foi a mesma coisa. Começou como uma sessão aleatória de desenhos escalada para substituir o Fantasia, que estava de férias. Mas com a boa audiência que dava no horário batendo de frente com a macróbia Sessão da Tarde, acabou se efetivando. E para as crianças e pré adolescentes, como eu, que careciam de um programa cativo como tal, foi um acerto do SBT. O Festival de Desenhos - que nada tem a ver com o da Globo, que por sinal é um eterno tapa buraco - saiu do ar em 2000, quando o Passa ou Repassa (olha o Portiolli aí!) assumiu o horário. Em tempo: eu acho que o Celso seria um bom nome para substituir num futuro próximo o Homem do Baú, haja vista os recentes problemas de saúde do comunicador e o futuro incerto do Programa Silvio Santos, e o vasto currículo do apresentador, que começou como ator nas pegadinhas do Topa Tudo por Dinheiro e estreou à frente do Passa ou Repassa, em sua primeira passagem pela atração. Celso já segurou as pontas quando Gugu deixou a emissora, então é um nome plausível para dar conta do recado como substituto do SS. É triste, mas temos que ser realistas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lembro bem do Festival de Desenhos, João Paulo! Assistia todo dia, lembro que passava A Vida Moderna de Rocko, e eu amava esse desenho, hehe! Bons tempos de bons desenhos à tarde...

      Excluir
  3. Apesar dos muitos horários de de exibição do Charme, como semanal jamais foi levado ao ar apenas as segundas. As versões semanais teve uma versão as quartas e tempos depois aos sábados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Filippe, você está falando das versões semanais do Charme antes desta entrada do Celso no lugar da Adriane. Mas houve esta espécie de "fase de transição", sim, eu garanto pra você. O Charme às segundas durou poucas edições (umas duas ou três, no máximo). Mas aconteceu. No momento em que Silvio efetivou Celso nas tardes no lugar de Adriane, ela voltou de suas férias numa versão semanal às segundas. Mas não funcionou e foi cancelado logo em seguida. Aí começaram a pipocar informações dando conta de que Adriane assumiria o novo Viva a Noite. Mas depois o SBT optou pelo retorno do Charme nas madrugadas, e o Viva a Noite passou às mãos de Gilmelândia.

      Excluir
    2. Olha, o Paulo Almeida Prado, em texto ao TV História, também se lembrou desta curta passagem do Charme às noites de segunda-feira: http://tvhistoria.com.br/NoticiasTexto.aspx?idNoticia=3014

      Excluir