sábado, 9 de novembro de 2019

Clã Abravanel é esforçado, mas não está pronto para substituir Silvio Santos

"Chama o leiloeiro!"

Desde que a família Abravanel começou a se aventurar em frente às câmeras, seguindo os passos do apresentador Silvio Santos, o espectador foi levado a buscar, entre os herdeiros do “patrão”, qual deles seria o seu sucessor natural no vídeo. As filhas Patrícia Abravanel, Silvia Abravanel e Rebeca Abravanel, além do neto Tiago Abravanel, estão à frente de programas do SBT e dispostos a dar seguimento ao legado do pai (ou do avô). Enquanto isso, o próprio Silvio Santos insiste em fazer de suas filhas suas sucessoras, numa tentativa de fazer do SBT uma empresa familiar. Mas a coisa ainda parece longe de acontecer.

O maior exemplo da esperança depositada por Silvio Santos aos seus herdeiros é o final do Teleton. A campanha televisiva em prol da AACD sempre teve como principal atração o seu encerramento, quando o próprio Silvio dividia o palco com Hebe Camargo. O encontro dos dois veteranos era sempre regado a improviso, situações inusitadas, trocas de farpas e elogios mútuos, tentativas de “selinho”... enfim. Eram anos de experiência reunidos num único palco, para deleite dos espectadores aficionados pela TV. Era a história viva da TV fazendo mais história na TV.

Porém, desde a morte de Hebe Camargo, o Teleton passou a ser encerrado por Silvio Santos ao lado de sua família. Patrícia Abravanel, Rebeca Abravanel, Silvia Abravanel e Tiago Abravanel já dividiram o palco com o avô no desfecho em alguns momentos. Assim, o Teleton perdeu uma de suas graças. A família Abravanel no palco não rendia tão bons momentos como nos tempos de Hebe Camargo.

Há duas semanas, a coisa ficou pior. Silvio Santos, acometido por uma gripe, não pode comparecer ao encerramento do Teleton. Assim, as filhas Patrícia, Silvia e Rebeca tiveram que encerrar a campanha sozinhas. Aí, ficou bastante exposto que nenhuma delas ainda está pronta para serem consideradas sucessoras do pai. Completamente perdidas em cena, elas fizeram do encerramento do Teleton uma verdadeira bagunça. Tanto que Mauro Zukerman, leiloeiro que apresentou programas no SBT nos anos 1980 e 1990, surgiu em cena para tentar ajudá-las.

Nada contra nenhuma das filhas de Silvio Santos. À frente do Roda a Roda, Rebeca Abravanel mostra graça e espontaneidade. Já Patrícia, ainda lhe falta repertório, mas ela funciona bem como “mestre de cerimônias”. É correta. Quanto à Silvia, sua porção apresentadora vista no Bom Dia e Cia nunca foi lá muito adequada, mas não chega a ser uma atuação comprometedora. Porém, é isso. Claro que a experiência pode fazê-las evoluir, mas dificilmente uma delas vai repetir o magnetismo do pai.

Enquanto isso, Tiago Abravanel parece o mais preparado do clã. Os anos de teatro lhe deram desenvoltura e repertório, e ele caminha para se tornar um bom apresentador. Mas, até aqui, pouco foi visto dele como apresentador de fato. Seja como coadjuvante no PopStar, na Globo, ou seja agora à frente do Famílias Frente a Frente, no próprio SBT, seu espaço como comunicador ainda é limitado. É preciso esperar para vê-lo em voos mais ousados para uma conclusão mais efetiva. Mas ele é talentoso, isso é fato.

Mas todas estas experiências parecem deixar claro que Silvio Santos erra ao apostar suas fichas em seus parentes. No passado, ele via Gugu Liberato como seu sucessor nos domingos do SBT. Depois, Celso Portiolli foi apontado como sucessor. E a verdade é que o SBT possui em seu cast bons animadores. Além de Celso, a emissora tem em Ratinho e Eliana dois nomes que possuem uma desenvoltura acima da média como condutores de programas de auditório.

Em suma: sempre pareceu natural que o Teleton, na ausência de Hebe Camargo, deveria ser encerrado por Silvio ao lado de Celso e Eliana, seus companheiros nos domingos do SBT. Mais do que isso: o sucessor artístico de Silvio Santos não devia ser um parente seu, e sim algum artista que foi criado dentro dos domínios da Anhanguera. Claro, quando se fala em sucessor, não se fala em alguém que reúna as mesmas características, já que Silvio, neste contexto, não tem e nem terá sucessores. O que se fala é de algum artista que seja capaz de manter, com o mínimo de dignidade, a tradição dos auditórios dominicais do SBT, criada pelo próprio Silvio Santos.

Silvio é insubstituível. Porém, em sua ausência, o show não pode parar. E, como foi visto no Teleton, não serão as filhas dele que farão o show continuar.

André Santana

13 comentários:

  1. Olá, tudo bem? O sucessor de Silvio Santos é GUGU LIBERATO. Abs, Fabio www.blogfabiotv.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem longe mais e correto ..Pr a que deixou o sbt. ..cara nenhum apresentador do Brasil tem o traquejo de Silvio echebe .acho que os mais próximos seriam Faustão, xuxa Angekica ou Ana maria

      Excluir
    2. O nome Gugu Liberato vindo de um crítico de TV equiparar ao Silvio deve ser um piada mal contada.

      Excluir
    3. Silvio já viu em Gugu seu sucessor, tanto que foi buscá-lo na Globo quando ele quase mudou de casa. Mas Gugu tomou outro rumo na carreira. Será que um dia ele voltaria ao SBT para reassumir os domingos? Não consigo mais visualizar isso.

      Excluir
  2. Eae André, o TeleTon sem ele ficou sem graça. Suas filhas são apenas competentes!

    ResponderExcluir
  3. Em se tratando de sucessão do Homem do Baú e considerando a possibilidade dele nos deixar a qualquer momento - claro que não desejamos isso, mas temos que ser realistas -, a missão de substituí-lo vai ser um desafio a ser encarado tanto pelos herdeiros quanto pelos telespectadores. Há alguns dias falei exatamente o que vc mencionou no texto, que seria a possibilidade do Portiolli substituir Silvio. Mas não podemos nos esquecer do veterano Luís Ricardo, que durante muitos anos foi considerado o provável sucessor de tal. Além disso, ele tem um vasto currículo na emissora e substituiu Silvio em algumas ocasiões, e eu testemunhei uma delas, quando o SS não pode apresentar o Tentação e foi substituído por Luis Ricardo, bem como em alguns sorteios da Tele Sena. Portanto, ainda que a primeira opção do SBT sejam os herdeiros ou alguém do casting, na minha opinião o Luís Ricardo poderia fazê-lo muito bem. Quanto à Patrícia et al.,elas precisam amadurecer mais e adquirir experiência até obter um lugar ao sol. Seja quem for o sucessor do SS, o que esperamos é que esse sucessor mantenha a tradição dos programas de auditório e, sobretudo, o carisma que caracterizou Silvio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. João Paulo, eu gosto do Luís Ricardo. Mas ele passou anos na sombra do Silvio, substituindo-os nos programas do Baú, e adotando estilo semelhante a ele. Então não consigo enxergá-lo como um sucessor de fato, e sim como um substituto eficiente.

      Excluir
  4. Acho que na ausência do Silvio pra fazer um programa como o dele, com toda aquela interação com a platéia,com seu estilo próprio e carisma; no SBT arrisco dizer que só tem o Ratinho. Mas é aquela velha história de destapar um santo pra cobrir o outro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Filipe, Ratinho anda se inspirando em Silvio e feito um programa da plateia bem interessante. Mas não vejo Ratinho aos domingos...

      Excluir
  5. Não entendo às críticas ao Gugu, é um excelente comunicador, pena que perdeu o espaço que merece.

    Acredito que Eliana seja a grande estrela do SBT, com estofo de sobra pra ocupar o lugar do patrão futuramente. Minha sugestão para o encerramento do próximo Teleton é juntar Silvio e Maisa, dupla que já mostrou bastante entrosamento ao logo dos anos. Inclusive, acredito que Maisa será uma das maiores comunicadoras do país. Talento e carisma ela tem de sobra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rapaz, excelente ideia! Taí, talvez a Maísa seja a herdeira do trono do Sílvio. Ela é um fenômeno, natural, de popularidade, especialmente, entre os mais jovens, o que ajudaria a prolongar a história do SBT. No caso dos apresentadores citados, o público deles já está estabelecido e só tenderia a minguar com o tempo, sem perspectiva de renovação, ou seja, de escrever a página seguinte do SBT.

      Excluir
    2. Matou a pau, Mister Ed! Maisa, em estilo completamente oposto ao do "patrão", tem sua espontaneidade e magnetismo. O Teleton poderia apostar na dupla no encerramento, sim. E Maisa, quando estiver mais madura, poderia assumir uma fatia dos domingos do SBT, sim, por que não?

      Excluir