sexta-feira, 18 de outubro de 2019

Record aposta em realities dublados nas tardes de domingo

"Vamos reformar
o domingo da Record"
A direção da Record já definiu que Sabrina Sato assumirá o lugar de Geraldo Luís à frente do Domingo Show. Como não se trata de uma simples substituição, já que o atual Domingo Show é a cara de Geraldo Luís, a atração não vai escapar de uma grande reformulação. E isso inclui a perda de tempo de arte. Com Sabrina, o dominical deverá ser exibido das 13h45 às 15h45. Assim, haverá um grande buraco entre 11h e 13h45, que a emissora precisará tapar.

Segundo o site Notícias da TV, a Record já definiu as atrações que entrarão neste horário. A emissora adquiriu os reality shows importados Irmãos à Obra, A Pequena Grande Família, Os Pequenos Jhonstons e Honey Boo Boo, já exibidos por aqui em canais pagos, como Discovery e TLC. Vários deles são destaques da TV paga, como Irmãos à Obra, reality de reformas de casa que é sensação no Discovery Home & Health. Apresentado pelos irmãos gêmeos Drew e Jonathan Scott, a atração mostra famílias estadunidenses comprando e reformando casas.

O Notícias da TV informou ainda que a Record deve estrear os enlatados no mesmo dia que Sabrina Sato estrear à frente do Domingo Show. E, até aqui, a emissora trabalha com a possibilidade de esta estreia acontecer somente em janeiro. A direção do programa ainda busca formatos e atrações para que Sabrina possa apresentar em seu novo espaço, e não há nada definido a este respeito.

Os realities parecem uma aposta de risco da Record. A audiência da TV aberta aceita bem produtos de dramaturgia dublados, como novelas, filmes e séries. Afinal, são atores representando sendo dublados por atores que também estão representando. Já programas que se apresentam como “shows de realidade” ficam meio bizarros dublados. Sim, eles são exibidos dublados também na TV paga, mas na TV aberta a coisa ganha uma nova dimensão. Ouvir vozes em português simulando uma descontração ensaiada causa um certo incômodo. A própria Record exibiu recentemente Buddy x Duff, todo dublado, e o resultado não foi dos melhores. 

Assim, colocar programas como este aos domingos, numa faixa de forte concorrência, é um tanto quanto questionável. Menos arriscado seria o canal apostar, justamente, em enlatados mais clássicos, como filmes e séries. Mas, ao menos, é uma ideia melhor do que o retorno do Tudo a Ver e das pegadinhas velhas e combinadas, né?

André Santana

10 comentários:

  1. Lembro que a Record exibiu por muito tempo a série Murphy Brown, sobre uma jornalista e uma rede de TV nos anos 90. Seria melhor mesmo, mas ao menos é uma tentativa diferente de colocarem pegadinhas velhas ou programas sensacionalistas/assistencialistas.

    O problema de colocar filme é que, até agora, só temos 8 Velozes e Furiosos,rs...

    ResponderExcluir
  2. A Record perde a oportunidade de colocar seus realitys nesse horário, já pensou numa temporada do Dancing Brasil Júnior, do canta comigo e até mesmo o The Four antecedendo a Sabrina às 12h e sendo antecedido por uma revista eletrônica com a Carla Cecato comentando as notícias da semana?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei se os realities da Record teriam força aos domingos. Nem nas noites de quarta, um horário mais "fácil", eles se destacam... Mas seria um up na grade, sem dúvidas que sim!

      Excluir
  3. Quando o Geraldo Luís finalmente encontrou seu espaço nos domingos da Record em 2014, o Domingo Show foi bem sucedido, se comparado com o flopado Geraldo Brasil, embrião do dito cujo. Porém, com o passar dos anos foi vítima de sua própria mesmice e mordacidade, haja vista as pautas sensacionalistas e assistencialistas, o que contribuiu para o desgaste da atração, isso sem falar nos desentendimentos de Geraldo com a produção do programa e as duras concorrências com o SBT e a Globo no horário. Mesmo que não estivesse previsto, o adeus de Geraldo já era iminente. E a oportunidade da Record dar uma renovada nas tardes de domingo é agora. Gostei da ideia de colocar realities enlatados, apesar que um seriado também não decepcionaria. Já a Sabrina Sato no lugar do Geraldo foi uma escolha bem acertada, pois a apresentadora agora vai ter a oportunidade de conversar com o público que não teve nos sábados. Só espero que ela não caia na velha praga do assistencialismo e ponha tudo a perder. Abaixo o assistencialismo e mais entretenimento

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho a impressão de que o assistencialismo vem perdendo força. Vide a queda do próprio Geraldo e do Rodrigo Faro.

      Excluir
  4. Tirando Irmãos à Obra, acho que os outros realities não têm cacife para fazer barulho na concorrência. É por conta de escolhas assim que a Record fica cada vez mais distante da vice liderança isolada.

    André, se não me engano, Irmãos à Obra é uma produção canadense. Acho até que é da mesma produtora do Ame-a ou Deixe-a: Vancouver, minha atração predileta da TV paga no segmento reformas de casas rsrs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sabia que era canadense, Mister Ed! Vou corrigir, obrigado pelo toque! Sobre o programa, eu acho bem legal. Tenho até uma lembrança afetiva, já que minha mãe, que faleceu no ano passado, era grande fã do programa. Toda vez que eu ia visitá-la, ela estava assistindo ao programa, hehe! Eita saudades... Mas mesmo ele, não sei se tem apelo pra TV aberta, ainda mais neste horário que Celso Portiolli nada de braçadas.

      Excluir
  5. Porque a Record não coloca boas séries infanto juvenis e desenhos? Com quem estão os direitos da Nickelodeon...Seria interessante pois nenhum canal anda exibindo

    ResponderExcluir