terça-feira, 1 de outubro de 2019

Em tarde de muitas estreias, "Se Joga" não deixou boas impressões

"Fala mais baixo, moça!"

A última segunda-feira, 30, foi bastante movimentada na TV brasileira. Com a estreia do amplamente anunciado Se Joga, na Globo, a Record resolveu se armar para garantir a continuidade de sua boa fase nas tardes. Assim, a concorrência entre A Hora da Venenosa, do Balanço Geral, e do programa pós-Jornal Hoje ganha um novo contorno (ou talvez um velho contorno com verniz).

Quem debutou primeiro foi Geraldo Luís, que reassumiu o comando do Balanço Geral na vaga de Reinaldo Gottino. O jornalista, que foi o primeiro apresentador do noticioso, voltou à casa. Geraldo tem um estilo que, pessoalmente, não me agrada. Mas reconheço que ele é bom no comando de um jornal popular. Aliás, arrisco dizer que ele é melhor nesta função do que como animador de programa dominical. Assim, nas mãos de Geraldo, o Balanço Geral deve seguir sua vidinha e incomodar a concorrência em São Paulo.

Já na Globo, antes do Se Joga, aconteceu a estreia de Maju Coutinho à frente do Jornal Hoje. Com a nova apresentadora, o jornal mudou cenário, grafismos e trouxe novidades no formato. Maju surgiu em pé, conversando com comentaristas e repórteres por meio de telões. Esta nova apresentação mais conversada e informal funcionou muito bem. O único problema do Jornal Hoje foi o excesso de notícias policiais, numa tentativa da emissora de fazer frente à concorrência. Um noticiário leve bem-feito é uma arma tão poderosa quanto (ou mais que) um policialesco. Mas Maju está correta e deve se sair bem nesta nova missão.

E se Maju deixou uma boa impressão, o mesmo não se pode dizer do Se Joga. Como previsto, o programa não funcionou muito bem nestes dois primeiros dias. Fernanda Gentil, Érico Brás e Fabiana Karla surgiram afobados, e o programa contou com tantos ruídos na estreia que o fato virou até piada no programa dois. O ruído diminuiu, mas não o desconforto de ver em cena apresentadores que não parecem entrosados. Fernanda é boa, mas Fabiana e Érico ainda gritam demais e parecem meio perdidos.

Porém, o grande defeito do Se Joga é trazer de volta fórmulas que mataram o Vídeo Show. O grande motivo do fim do vespertino clássico foi que o Vídeo Show não soube se reinventar diante das novas tecnologias de comunicação. Bastidores e fofocas velhas e amenas já não são novidade em tempos de redes sociais. E o Se Joga veio com a mesmíssima proposta. Assuntos amenos, frios e chapa-branca dominaram a atração. Fernanda disse que o Se Joga tinha a vantagem de poder ouvir o lado do artista na fofoca, já que os artistas alvos de fofoca são, em sua maioria, da Globo. Até aqui, esta facilidade não foi aproveitada. Pelo contrário. Um exemplo: Reynaldo Gianecchinni foi o assunto do domingo ao assumir sua bissexualidade ao jornal O Globo. Se Joga comentou a notícia na estreia, mas não ouviu o ator a respeito. Ao invés disso, preferiram exibir hoje uma participação do ator, pré-gravada, sem menção ao episódio.

Não, não acho que o Se Joga deve ser um programa de fofoca. Ele não tem que ser um palco pro artista da Globo ir lá falar da sua vida. Porém, se a atração já vendeu a fofoca como uma de suas atrações, devia ao menos fazer direito. Mas o melhor seria não fazer. Se Joga acerta ao focar no entretenimento puro, com jogos e amenidades. Mas há muitos erros na concepção, e o mais grave deles é, como já foi dito, apostar justamente no que matou o Vídeo Show. A Globo, novamente, cai na armadilha de se pautar pela internet, ao invés de pautar a internet. Enquanto for assim, não vai dar certo. Pena.

André Santana

8 comentários:

  1. Assisti à estreia do Se Joga e também fiquei com as piores impressões. Todo mundo fala alto e ao mesmo tempo, logo o número de apresentadores para um programa tão curto se mostrou equivocada desde o início. Fabiana e Érico são meros figurantes, quem brilha mesmo é Fernanda Gentil. Aliás, Gentil mostrou jogo de cintura e esteve impecável na condução do programa, o que cabe a pergunta: por que não deram um talk show vespertino pra ela, ao estilo Ellen DeGeneres, com humor e brincadeiras? Fernanda mostrou uma capacidade imensa de tocar uma atração com sua marca própria. E a Globo usaria de seu vasto elenco para, inclusive, divulgar seus diversos produtos. Achei o programa uma mistura de Vídeo Game com Zorra. O quadro do Paulo Vieira é o mesmo do Programa do Porchat, na Record, só trocou de nome. Não comprei a atração.

    Sobre a estreia da Maju no JH, não me incomoda as notícias policiais desde que elas sejam dadas sem sensacionalismo, como ocorreu. Maju tem traquejo e elegância pra não deixar isso acontecer. Óbvio que causa estranheza e saudade não ver Sandra Annemberg ali, o jornal tinha a cara dela, mas creio que com o carisma e a competência de Maria Júlia Coutinho, logo ela conseguirá dar sua cara ao telejornal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pensei a mesma coisa, Mister Ed. A Globo deveria ter confiado à Fernanda Gentil um programa solo, e de formato mais agradável. Um talk show com brincadeiras, tipo Ellen, é um formato que eu sempre desejei para as tardes da TV aberta. Pena que os diretores das emissoras não pensam como a gente.

      Excluir
  2. Eae André, hoje vi 2 minutos do Se Joga e foi só o Adnet o programa inteiro (!) ...

    ResponderExcluir
  3. A grande pergunta que fica é: Porque não pensaram em estender os programas tradicionais da grade (Jornais locais, Globo Esporte e JH), ao invés de colocar um programa com tanta cara de fiasco no ar? Era tão simples de resolver...

    E outra, porque não deixaram o Vídeo Show pelo menos aos sábados? Colocaram uma pecha de fracasso no horário, que só dá uma sensação de que a Record tem uma super atração para concorrer. Sempre é bom lembrar que a Globo não perde no horário todo do tal Balanço Geral, e sim em um momento específico. Portanto, não era algo tão irreversível assim a meu ver.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, Alexandre! Como eu já disse antes, a Globo concorre com ela mesma. O público só mudou para a Hora da Venenosa porque o Vídeo Show estava insuportável.

      Excluir
  4. A Rede Globo deveria pelo menos no início evitar o confronto com os arrogantes do Balanço geral ,ou seja ,colocar o novato Se Joga na faixa das 16 horas ,até que o programa crie forma
    Agora esse novo diretor da Globo, começou mal hein ,tanta expectativa pra nada, me surpreendeu vindo da plantada que sempre testa seus produtos
    Dizem que o querido e competente Doniy vem com uma atração a tarde no sbt ,patrocinada pelo Bradesco $$,acredito que dará certo
    Infelizmente a toda poderosa não sabe o que fazer para enfrentar um programa tão hipócrita

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Caio, eu esperava mais do Se Joga também. Vamos ver se melhora...

      Excluir