terça-feira, 30 de abril de 2019

Troféu Imprensa segue completamente fora da realidade

"Mas só pode votar nestes três?"
Já nem dá mais pra comentar aqui o resultado do Troféu Imprensa. Com categorias desatualizadas e concorrentes que não representam o ano que passou, a premiação do SBT já não tem absolutamente nenhuma relevância. O que é uma pena, tendo em vista que o fato de ser um prêmio entregue pela imprensa e abranger todas as emissoras, o Troféu Imprensa tinha tudo para ser o mais importante prêmio da televisão brasileira.

Porém, os concorrentes definidos por fãs da internet derrubam a credibilidade da premiação. Olha o que aconteceu com o prêmio de Melhor Atriz, pulverizado entre Adriana Esteves, Marina Ruy Barbosa e Sophia Valverde. Adriana, que viveu Laureta em Segundo Sol, era a única que merecia estar ali. Marina e Sophia não são ruins, mas é evidente que não estão entre as melhores do ano passado. O que elas têm são muitos fãs, que se mobilizam para votar nas enquetes da internet. Enquanto isso... cadê Deborah Secco? Cadê Marieta Severo? E Letícia Colin? Ou Alinne Moraes, Bianca Bin... enfim! Ótimas atrizes ficaram de fora da disputa, enquanto Adriana Esteves concorreu com ela mesma.

E já faz tempo que o Troféu Imprensa não acerta com seu grupo de jurados também. Nada contra quem estava ali, mas faltou pluralidade na bancada. Um dos acertos foi os retornos de Daniel Castro e Cristina Padiglione, que há muito tempo não davam as caras por ali. Outro acerto foi a presença de Mauricio Stycer, um dos melhores na argumentação de seus votos. Porém, ficou evidente o predomínio da imprensa paulistana ali. Há excelentes colunistas no segmento, como Arthur Xexéo, Jorge Luiz Brasil, ou até mesmo Patrícia Kogut, nomes do Rio de Janeiro, e que poderiam estar ali. 

Enquanto bons profissionais ficam de fora, outros acumulam participações que já não fazem sentido. O maior expoente neste caso é Nelson Rubens. O apresentador do TV Fama parece completamente perdido. Além de não ter argumentos convincentes e nem comentários muito coerentes, ele ainda atrapalha os comentários alheios. 

Concluindo: o tempo não fez bem ao Troféu Imprensa. A premiação, hoje, é apenas um programa de televisão que tem seus momentos divertidos. Mas não premia de verdade. Falta abolir de vez os votos pela internet para definir finalistas, falta atualizar as categorias, e falta pluralizar o quadro de jornalistas votantes. Dá pra melhorar, mas é preciso boa vontade de quem organiza.

André Santana

13 comentários:

  1. O Troféu Imprensa é apenas um mero programa de televisão, agora pra que esse troféu internet? Esse troféu da internet só serve pra satisfazer os fãs, nada mais. Em relação à categoria de atriz quem deveria ter entrado na disputa era a Letícia Colin pelo que fez no ano passado quando a Rosa foi a melhor personagem de Segundo Sol na minha opinião. Acho que o Troféu Imprensa está ultrapassado e precisa urgentemente de uma renovação por inteiro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou além, Kleber: já que existe o Troféu Internet, o Troféu Imprensa não deveria, também, ter eleição de finalistas pela internet. A escolha deveria ser por amostragem, como era até uns quatro anos atrás.

      Excluir
  2. e Patricia Abravanel sem programa há dois anos e concorrendo como melhor apresentadora de 2018??? E como ainda não colocaram de vez o Silvio Santos como Hors concours? há muita, mas muita coisa pra mudar nessa premiação. e ainda o povo reclama do Melhores do Ano do Faustão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Alexandre, acabei não falando no texto, mas concordo totalmente com você. Patrícia Abravanel, sem programa, surge como finalista, enquanto várias outras boas apresentadoras, e com programa, ficam de fora. Não faz sentido.

      Excluir
  3. O pior é que o programa deu 10 pontos de audiência, ou seja, dificilmente vão mudar tão cedo. Mas concordo totalmente, é uma "premiação" totalmente sem critério, e alguns participantes constrangedores. Nem vou me estender em categorias, porque nem vi esse ano, mas pelo que li, o Silvio Santos ainda concorrer é algo bizarro ao meu ver

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A audiência vai bem porque ainda é divertido assistir ao programa. Mas é isso, uma edição especial do Programa Silvio Santos, e não uma premiação. Uma pena.

      Excluir
  4. Sua crítica ao Troféu Imprensa faz todo sentido, caro amigo blogueiro, e gostaria de aproveitar esse ensejo para salientar que um youtuber especializado em assuntos televisivos e memória da TV vem há tempos encampando uma luta para que a premiação ganhe mais autonomia e deixe de ser essa marmelada pronta, que faz do "Oscar da televisão brasileira" um motivo de chacota entre aqueles que admiram de verdade o veículo de massa. Pois bem, ele propôs em seu blog uma série de mudanças que poderiam dar mais credibilidade à premiação, entre outras sugestões que eu acho interessantes, porém esse cidadão é uma pessoa inacessível e aparenta sinais de desequilíbrio, e entre as vítimas que ele fez nas redes sociais estou eu, que já fui censurado inclusive do Youtube e ofendido várias vezes por motivos mesquinhos. Como eu dizia antes, ele tem ótimas ideias, mas deveria ter mais autocontrole primeiro, antes de vomitar impropérios para meio mundo, e por causa disso que não logra êxito nos seus objetivos com os quais sonha em transformar o veículo de massa. Se conhece o dito cujo, sabe do que eu estou falando. Quanto ao TI, não há dúvidas que precisa se reinventar o quanto antes, ou então vai ficar parado no tempo, com a mesma monotonia de sempre. Obrigado por me dar esse espaço e perdão pelo desabafo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi João Paulo! Não sei de quem está falando, mas lamento. Eu sou sempre a favor do diálogo sadio, como o que fazemos por aqui. Fique à vontade, sempre! E concordo com você, TI tem que se reinventar.

      Excluir
    2. Eu digo quem é, é o Egon Bonfim que vive dando patadas nos usuários do You Tube e eu fui vítima dele tudo porque eu falei num vídeo sobre o sucesso da Família Dinossauros e ele me ofendeu sem nenhuma explicação.

      Excluir
  5. O Troféu Imprensa virou o Melhores do Ano (Globo) do SBT: nada mais que uma festa da firma, com a diferença que, no Troféu Domingão, os funcionários da Globo sabem, ao menos, indicar os concorrentes ao prêmio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não sou crítico do Melhores do Ano. O Troféu nasceu como um prêmio da Globo para a própria Globo, então eu acho absurdo o pessoal achar que os outros canais devam entrar. O propósito sempre foi ser um prêmio interno. Claro, eles poderiam mudar este nome pretensioso e ambíguo e se assumir como Melhores da Globo. Mas o Melhores do Ano sempre foi assim. Já o Troféu Imprensa teve uma fase mais justa. Quando os finalistas eram definidos por questionários distribuídos em grupos de amostragem, os concorrentes eram mais coerentes. Agora não, virou um samba do crioulo doido.

      Excluir
    2. Acho que a crítica maior dos Melhores do Ano é de como o Faustão e a própria Globo divulgam a premiação: que premia os maiores astros e estrelas da TV. Mas eles não tem categoria como apresentador (a), programa, entre outros. E ainda tem categorias de música, o que abrange ainda mais a premiação. Por isso fica sem sentido. Se fosse Melhores da Globo, como você menciona, seria mais coerente.

      Quanto ao método utilizado pelo TI há anos atrás, eu me recordo dessa época. SS divulgava, inclusive, quantas pessoas responderam à enquete. Uma pena ter perdido a seriedade.

      Excluir
    3. Muitos achavam estranho o tal questionário que Silvio Santos anunciava. Mas o apresentador era bem transparente: ele falava quantos questionários eram distribuídos, e deixava claro que havia uma amostragem de idades e classes sociais. Com isso, é evidente que os finalistas eram mais justos. O voto pela internet matou o Troféu Imprensa.

      Excluir