sexta-feira, 23 de novembro de 2018

Otaviano Costa volta aos auditórios com "Tá Brincando"

A serenidade no olhar de quem conseguiu
se salvar da barca furada "Vídeo Show"

Nesta semana, a Globo promoveu uma coletiva de imprensa para anunciar a estreia de Tá Brincando, seu novo programa, que estreia em janeiro de 2019. A atração, que ocupará a faixa anterior ao Caldeirão do Huck nas tardes de sábado, terá uma primeira temporada com nove episódios, e será apresentado por Otaviano Costa, com direção de Adriano Ricco.

Tá Brincando é um game no qual dois participantes de 20 a 35 anos encaram três desafios contra um time de masters, pessoas acima de 60 anos especialistas nas suas áreas, que são as mais variadas possíveis, passando pelo esporte, pela música e por conhecimentos gerais. A cada prova vencida contra um master, a dupla de desafiantes ganha R$ 5 mil, podendo chegar a até R$ 15 mil por episódio. Além disso, o programa terá ainda outros quadros, como um grande show de talentos com atrações nacionais e internacionais de todas as idades. E mais: Otaviano vai oportunizar algumas pessoas de reviverem momentos especiais do passado em homenagens surpresas.

Com a estreia de Tá Brincando, Otaviano Costa volta ao posto no qual mais se destacou na TV: como animador de auditório. Embora tenha uma longa carreira na telinha, onde chegou a atuar na Escolinha do Golias e ser a voz misteriosa que conversava com Angélica no infantil Casa da Angélica, do SBT, além de ter sido repórter do Domingão do Faustão e até VJ da MTV, Otaviano ficou mais conhecido mesmo quando substituiu Luciano Huck no H, da Band, entre 1999 e 2001. Com seu novo apresentador, H manteve-se como um dos principais programas da emissora naquela época, e chegou a trocar de nome mais adiante: virou O+, depois O SuperPositivo, e mais adiante, apenas SuperPositivo.

Otaviano deixou a Band seduzido pela oferta da Record de ser um novo Serginho Groismann, no comando do Domínio Público. A atração, que inicialmente ocupava os fins de tarde da Record, seguia os moldes do Programa Livre, com música ao vivo e entrevistas com a participação dos adolescentes da plateia. Era bom, mas não emplacou e durou pouco. Otaviano, então, encarou a geladeira da emissora, de onde saía de vez em quando para tocar projetos esporádicos, como o especial de verão Bahia 50 Graus, os games Jogos de Família e No Vermelho e quadros do Domingo Espetacular. Chegou a retornar à Band para comandar o Clube do Fã, também de vida curta, e voltou à Record para participar da novela Amor e Intrigas. Depois chegou à Globo, como ator de novelas, no elenco de Caras & Bocas.

Mesmo participando de novelas, Otaviano Costa nunca escondeu que gostaria de voltar a ser apresentador. Teve sua chance quando Ricardo Waddington assumiu a direção de núcleo do Vídeo Show, em 2013, e o convidou para ser repórter da atração. Logo ele assumiu o comando do vespertino, onde ficou até poucos meses atrás. Mesmo com a má fase do vespertino, Otaviano sempre foi bem avaliado no comando do Vídeo Show. Assim, ganhou a chance de tocar um projeto só seu.

André Santana

6 comentários:

  1. Como diria a Marinete de A Diarista: Chaaaaato...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rsrs... eu acho ele meio mala, mas não o considero ruim, não. Se o programa for bom, tá valendo.

      Excluir
  2. Tomara que nesse programa ele não banque o tiozão sem graça que ele sempre faz ,com brincadeiras sem graças e forçadas
    Pra mim ,mais um programa que poderia ser comandado pela Angélica!embora ela vem com Boninho num projeto novo ,torcendo aqui ,a loira merece

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vi a notícia sobre Boninho à frente do novo projeto de Angélica. Achei uma boa, porque esta parceria sempre rendeu bons frutos. Vamos acompanhar.

      Excluir
  3. Otaviano era chato no Vídeo Show, fazia piadas sem graça para encher linguiça naquele programa tosco. Como animador, acho bacana, tenho boas lembranças da época do SuperPositivo, na Band.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não era muito fã do SuperPositivo, mas concordo que ele mandava bem.

      Excluir