quarta-feira, 12 de setembro de 2018

Próximas produções globais: "Éramos Seis" e volta de Walcyr Carrasco

"Adivinha quem está voltando?"
Nos últimos dias, duas notícias interessantes tomaram conta dos sites especializados. Uma delas é que a versão da Globo do clássico Éramos Seis vai mesmo acontecer. A outra é que Walcyr Carrasco, que mal terminou O Outro Lado do Paraíso, já tem data para voltar à faixa das nove da emissora, e será antes do que imaginávamos. Será dele a novela que substituirá O Sétimo Guardião, que entra na vaga de Segundo Sol. Com isso, a estreia de Manuela Dias no horário foi adiada.

Não é de hoje que Silvio de Abreu, atual mandachuva da dramaturgia da Globo, queria refazer Éramos Seis. Afinal, foi o novelista, ao lado de Rubens Ewald Filho, que assinou a mais famosa versão do livro de Maria José Dupré para a televisão. Silvio e Rubens escreveram Éramos Seis para a TV Tupi em 1977. O mesmo texto foi usado pelo SBT na versão de 1994, resultando na melhor novela da história do canal de Silvio Santos. Mas o romance teve outras versões: na Record, em 1958; na Tupi, em 1967 (escrita por Pola Civelli e e dirigida por Hélio Souto, e com Cleyde Yáconis como Dona Lola); e novamente na Tupi em 1977 (com Nicette Bruno liderando o elenco).

Agora, é a Globo quem se rende ao romance. Com os direitos do texto em mãos, Silvio de Abreu entregou o projeto à Angela Chaves, uma das autoras de Os Dias Eram Assim. E, assim, Éramos Seis entrou na fila das próximas produções do horário das seis na Globo, e tem estreia prevista para 2020. Resta saber agora quem será a antológica Dona Lola, papel pelo qual Irene Ravache é reverenciada até hoje. Como sabemos que Éramos Seis é um novelão da melhor qualidade, já estamos na expectativa para a estreia, ainda mais considerando o know-how da Globo para novelas de época às seis. Tem cheiro de sucesso.

Enquanto isso, o horário das nove da Globo passa por mudanças na fila das próximas produções. Troia, trama que marcaria a estreia de Manuela Dias na faixa, foi adiada. Em seu lugar, entrará uma nova história de Walcyr Carrasco. Segundo a jornalista Cristina Padiglione, do TelePadi, Troia foi remanejada para dar mais tempo de descansar a imagem de duas de suas protagonistas, Adriana Esteves e Taís Araújo. A primeira é destaque em Segundo Sol, como a vilã Laureta, enquanto a segunda vai apresentar o PopStar, além de integrar o elenco da série Aruanas, a ser gravada em breve. 

Até aí, tudo bem. A gestão Silvio de Abreu se caracteriza mesmo por mudanças na ordem da fila das novelas sempre que precisar. Até por isso elas são definidas com muita antecedência. No entanto, a volta de Walcyr ao horário tão cedo dá um medinho. A gente sabe que Carrasco é uma máquina de escrever novelas, mas é justamente esta falta de descanso que prejudica suas obras. Ele recicla ideias, tira entrechos inteiros de romances, filmes e seriados, mistura tudo, espera a reação do público e sai alterando tudo, sem pudor. Com isso, se torna extremamente repetitivo e, de quebra, joga a coerência de qualquer história para o espaço. Por outro lado, é bom de Ibope, e isso justifica tudo. Vamos ver como será a próxima salada do novelista.

PS: pelo menos adiaram a ideia de uma Verdades Secretas 2. Como disse anteriormente, acho uma péssima ideia!

André Santana

10 comentários:

  1. Essa overdose de Walcyr só me desperta um sentimento: RANÇO.

    ResponderExcluir
  2. Já pode mudar o nome da emissora porque tá triste essa overdose. Esse autor é uma enganação às nove e continuam insistindo por audiência. Tá difícil te defender Rede Globo.

    ResponderExcluir
  3. Nossa como uma coisa chama a outra, acabei de me debulhar em lágrimas lendo o final do livro e me vêm com essa notícia. Li quando criança na série vaga-lume e odiei o livro, criança não tem tempo para os problemas da vida adulta... Agora como adulto, vi cada uma das dificuldades e me identifiquei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Éramos Seis é uma obra belíssima! Eu me lembro com um carinho enorme da produção do SBT! Amava essa novela!

      Excluir
  4. Tem coisa aí gente. Manuela escreveu só uma minissérie com 10 e outra com 20 capítulos. De altíssima qualidade, mas não seria melhor testá-la às 18 ou às 23 horas antes de jogá-la no principal horário da emissora? Escrever séries curtas é uma coisa, novela é outra coisa. Vocês podem não gostar do texto do Walcyr, mas ele sabe conversar com o público. Eu acho que por isso foi escolhido. Penso que essa novela da Manuela nem saia do papel ou vire uma trama das onze. Mas mesmo reconhecendo a habilidade do Walcyr a Globo poderia ter dado chance a outros nomes da casa como a Maria Helena Nascimento, Gilberto Braga, dentre outros ou até mesmo nomes sem contrato como Lauro César Muniz e Carlos Lombardi. Não precisava ser o Walcyr de novo no lugar da Manuela. Quanto à Eramos Seis tenho paixão pela versão do SBT. Coisa linda a interpretação de Irene Ravache e tantos outros grandes nomes que participaram. Mas tenho a curiosidade de ver essa nova versão, embora ache que não superará a do SBT, mesmo com todo aparato da Globo. Ontem vendo Orgulho e Paixão pensei na Gabriela Duarte para Dona Lola. Ela está me surpreendendo com a cheia de nuances Julieta. Vamos aguardar.

    ResponderExcluir
  5. PS: Li por aí que Lilia Cabral está cotada para ser a nova Dona Lola. Seria uma ótima escolha porque ela é uma grande atriz.

    ResponderExcluir