quarta-feira, 26 de setembro de 2018

Marcos Mion em "A Fazenda" mostra que o apresentador certo faz a diferença

"O dono da bagaça sou eu!"
Muito já se falou sobre o ótimo desempenho de Marcos Mion à frente de A Fazenda. Há pouco mais de uma semana no ar, o reality da Record ganhou um frescor a mais com a presença de Mion, e este pequeno e humilde blog precisa fazer coro aos demais colegas. Mion parece feito para o programa, e vice-versa. Só o fato de ele ter jogo de cintura para driblar os intermináveis textos já o coloca como o melhor apresentador da história do reality.

Mas não é só o jogo de cintura ou o bom humor de Mion na interação com os “peões” que faz a diferença. O apresentador também tem o trunfo de saber se comunicar bem com os jovens, além da presença maciça nas redes sociais. Um dos pioneiros no Twitter do Brasil, Mion entende bem deste universo e sabe que uma boa interação entre as redes e a TV pode enriquecer a experiência de se acompanhar um reality. Com isso, envolve o espectador no andamento do jogo.

Não há dúvidas de que a Globo não escolheu Tiago Leifert para comandar o Big Brother por acaso. O jornalista reúne as mesmas características de Mion no quesito familiaridade com as redes sociais. Outro coisa em comum é que ambos adoram os programas que apresentam: Leifert já dava pitacos sobre os rumos do BBB antes de assumir a apresentação, e Mion fazia tiradas antológicas de A Fazenda em seu Vale a Pena Ver Direito no Legendários (“e nachos!”). O fato de ambos gostarem da brincadeira e estarem felizes por ali ajudam o espectador a embarcar na diversão.

Dito isso, a conclusão é que se chega é que a Record precisa de mais ousadia. Marcos Mion estava lá o tempo todo, mas não pensaram nele para A Fazenda. Isso porque o canal costuma seguir o que a Globo faz. E se na Globo havia Pedro Bial no comando do BBB, a Record pinçou em seu cast um jornalista com características semelhantes, e acabou apostando em Britto Jr. E Britto, divertido e espontâneo à frente do Hoje Em Dia, ficou engessado e nunca convenceu em A Fazenda. Aí, depois de sete temporadas, veio Roberto Justus, cuja presença ali se justificava apenas como uma tentativa desesperada de atrair anunciantes. Porque jogo de cintura e familiaridade com a temática passaram longe, numa experiência de triste lembrança.

Dá a impressão de que a Record só se encorajou a escalar Mion para a função depois de ver o bom desempenho e a boa repercussão de Tiago Leifert à frente do BBB. E antes tarde do que nunca. Mion é um baita apresentador e a principal atração desta temporada de A Fazenda.

André Santana

4 comentários:

  1. Demorou quase uma década pra escolher o apresentador certo da Fazenda. Marcos Mion se reinventou e por isso merece.

    ResponderExcluir
  2. E pensar que o Mion queria fazer o "humor do bem" no começo do Legendários,rsrsrs...(pra quem não se lembra, era aquela mistura tosca entre Pânico e CQC).

    Não sou fã desses programas estilo A Fazenda, mas para ser melhor que Brito Jr. e Justus não é preciso tanta coisa assim também né...E

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, a ideia do Legendários original era bem chata! O humor do bem se revelou sem graça, e Mion só sobreviveu porque conseguiu alterar o formato para algo mais de acordo com a noite de sábado. Ainda lamento o fim do Legendários, era um programa divertido!

      Excluir