quinta-feira, 3 de maio de 2018

Viva picota "Bebê a Bordo" e frustra fãs

"Me leva de volta pra 1988, pufavô!"
O canal Viva surpreendeu negativamente seu público ao usar de um expediente inédito em sua história de oito anos no ar: editar as reprises de novela. Bebê a Bordo, clássico de Carlos Lombardi, está sendo reeditada para sair do ar o mais breve possível. A baixa audiência e o texto ácido e cheio de conotações sexuais são apontados como os motivos para a solução drástica.

Bebê a Bordo, exibida originalmente em 1988, era bastante moderna para o seu tempo. E sua reprise reforçou a modernidade da trama pop de Carlos Lombardi. Bastante calcada na cultura oitentista, e surfando na tendência ágil do videoclipe, Bebê a Bordo tinha um ar arrojado, percebida nos cenários modernosos e surreais, nos diálogos rápidos, ferinos e repletos de insinuações sexuais, e no figurino baseado nas estrelas do pop da época. Além disso, ainda tinha o luxo de trazer a diva Dina Sfat em seu último papel na televisão, Tony Ramos num raro momento comédia, e a sempre ótima Isabela Garcia em plena forma. Por conta disso, os cortes promovidos pelo canal deixaram os fãs da obra bastante frustrados.

Não se pode supor que a baixa audiência tenha sido o motivo para a decisão inédita. Afinal, não seria a primeira vez que o Viva não emplaca uma reapresentação. O mais provável é que o canal tenha cedido aos apelos de parte do público, que considera a trama apelativa. E isso é triste. Triste constatar que, em pleno século 21, uma trama que já foi considerada transgressora, ser hoje enxergada como de baixo nível. Fica a péssima impressão de que estamos mais conservadores hoje do que há 30 anos.

Além disso, a decisão abre precedentes incômodos. O canal pode, a partir daí, escolher reprises de novelas que passem longe da polêmica, reduzindo as possibilidades de muitas outras tramas clássicas serem revistas. E pode, também, voltar a editar e retalhar capítulos de qualquer outra novela que venha a exibir, deixando os fãs saudosos ainda mais aborrecidos. É uma pena.

Ainda sobre o Viva, o canal voltou atrás na decisão de reapresentar Roda de Fogo. A trama de Lauro César Muniz, originalmente exibida em 1986, seria a substituta de Explode Coração na faixa das 23h30. Entretanto, a saga de Renato Villar (Tarcísio Meira) ficará para uma próxima oportunidade, e A Indomada, de 1997, foi a trama escolhida para suceder a história de Gloria Perez. Sinto por Roda de Fogo, que seria a primeira novela de Lauro César Muniz reprisada pelo canal. Por outro lado, A Indomada, escrita por Aguinaldo Silva e Ricardo Linhares, é bem divertida. A trama consagrou a vilã Maria Altiva (Eva Wilma) e seu bordão “o xente, mai gód!”. 

André Santana

4 comentários:

  1. O Viva pegou a mania de picotar a trama e pra quem não era nascido em 1988 não ter a chance de ver uma novela daquela época, é lamentável.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É triste porque foge do que o canal vinha fazendo até então, respeitando a exibição original.

      Excluir
  2. Mas sabe que da pra reclamar ne? O Viva, eh um canal pago. As pessoas pagam pra ver o Viva, entao, o canal nao esta sujeito apenas pela audiencia como uma tv aberta. E quem assina tem o direito de reclamar.
    Fora isso, eh triste saber que a mentalidade da sociedade regrediu a tal ponto de rejeitar ou nao entender uma novela que foi ao ar sete da noite. Nesses trinta anos, o noveleiro de hoje, me perdoem jovens, a audiencia de hoje, quer tudo mastigadinho com abordagens conservadoras e ate com um certo preconceito. Vide o maior sucesso de audiencia dos ultimos anos, O Outro Lado do Paraiso, que nem entro na questao de ser uma historia ultrapassada com excesso de didatismo, mas a forma como tratou temas importantes e embora sejam atuais, foram de uma grosseria que beira o preconceito e em muitos casos desinformou. Essa mesma audiencia que rejeita Bebe Bordo, nao so na audiencia mas reclamando do texto 'com linguagem sexual e temas muito adultos' faz parte do mesmo publico que reclama um ato , uma exposicao no MASP ou uma nudez em mostra de museus. Arte e inteligencia virou indecencia, uma boa historia tem que ser nos padroes morais e muito bem explicado como Walcyr Carrasco faz. Que triste isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem muita gente reclamando, mas o Viva se faz de surdo, o que é uma pena. E compartilho da sua tristeza, Daniel: estamos regredindo a passos largos. Confesso que isso me assusta.

      Excluir