quinta-feira, 12 de abril de 2018

Band devia investir mais no "Vídeo News"

"Eu tô na Band!"
Praticamente de surpresa, a Band relançou o programa Vídeo News, revista eletrônica de variedades exibida todas as noites, na faixa das 22 horas. A atração já foi usada pela emissora no passado, como uma espécie de “tapa-buracos” que servia como transição entre o Show da Fé e a linha de shows. Era apresentado inicialmente por Nadja Haddad e sobrevivia, basicamente, de vídeos da internet.

Na nova versão lançada há duas semanas, Vídeo News estreou com jeito de revista cultural e de entretenimento, com foco nos bastidores das artes e espetáculos. Com apresentação de Larissa Erthal e Rafael Baronesi, o novo programa mostra curiosidades da programação da Band, notícias de celebridades e agenda cultural.

Ou seja, um programa cheio de boas intenções. Na prática, a missão é a mesma da versão anterior do Vídeo News: servir como esquenta à linha de shows do canal. Mas agora, no entanto, há um cuidado ligeiramente maior com o conteúdo. A versão anterior tinha duração elástica, moldando-se de acordo com a programação, exibindo mais ou menos vídeos da internet, de acordo com a necessidade do dia. Desta vez, há a preocupação em exibir (poucas) matérias exclusivas e um conteúdo feito especificamente para o programa, o que é uma coisa boa.

Mesmo assim, Vídeo News carece de mais atenção do canal. O conteúdo, por mais que seja mais bem elaborado que o anterior, ainda não tem o apelo necessário para conseguir aumentar a parca plateia herdada do Show da Fé. A direção do programa devia aproveitar sua estrutura e o fato de ser ao vivo para fazer um programa mais recheado, com entrevistas, convidados e informações que fujam do lugar-comum. Do jeito que está, ainda tem jeito de atração improvisada, e dificilmente conseguirá atrair grande público.

É louvável que os investimentos atuais da Band também se apliquem à programação noturna. E é admirável que o canal não tenha nivelado por baixo, preferindo apostar num programa de boa informação. Mas é preciso concentrar esforços em busca de um conteúdo mais criativo, até para aproveitar a boa estrutura humana da qual o programa dispõe. Larissa Erthal e Rafael Baronesi são ótimos e estão muito bem no comando da atração. Falta apenas mais empenho para que o novo Vídeo News consiga aliar personalidade, qualidade, informação e diversão. É algo bastante possível.

André Santana

2 comentários:

  1. Conhecendo o histórico da emissora, convém esperar um tempo para ver se o programa primeiramente fica tempo suficiente no ar para criar público. A ideia de um programa no estilo Metropolis em uma emissora fora da TV Cultura é interessante, mas na Bandeirantes tudo é meio efêmero.

    Sobre as estreias de domingo: Acho que um programa de 6 (!!!) horas com o Datena é um exagero, mas como amam ele por lá vamos ver se vinga...E sobre o programa do Milton Neves que não seja uma atração para falar só do Corinthians com alguns merchans no meio (que era a base do Terceiro Tempo). E não deixa de ser interessante ver dois caras que não são lá os melhores amigos do mundo tendo de passar um programa para o outro...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você, Alexandre! Seis horas de programa é um exagero, seja que apresentador for. E com Datena o exagero é ainda maior, já que ele está meio que estreando na função de ter programa que é dele (as outras incursões dele no entretenimento foram em formatos prontos). Até Raul Gil, que já teve um programa imeeeenso, hoje ocupa quatro horas "apenas", mesma marca de Eliana, Rodrigo Faro e Silvio Santos. Já acho comprido. Imagina seis? Vamos ver o que acontece.

      Excluir