terça-feira, 1 de agosto de 2017

Nova programação derruba Ibope da Record, mas ajusta grade da emissora

Já era de se esperar: a Record, ao diminuir o Cidade Alerta e apostar na reprise de Os Dez Mandamentos, estava trocando o certo pelo duvidoso. E o duvidoso, no caso, mostrou-se realmente um mau negócio. A novela de Moisés (Guilherme Winter) derrubou os índices de audiência na faixa das 18 horas, prejudicando a estreia do SP Record e a novela Belaventura.

No final da tarde de ontem, 31, Os Dez Mandamentos registrou 6,3 pontos no Ibope, enquanto SP Record marcou 6,8, e Belaventura, 7,6. Na segunda-feira anterior, 24, o Cidade Alerta registrou cerca de 8 pontos na faixa das 18h, enquanto a reprise de A Escrava Isaura, exibida posteriormente, ficou com 12,4. Vale ressaltar que era o último capítulo do folhetim, mas, mesmo assim, a saga da escrava sempre se manteve acima dos dois dígitos no Ibope.

Há várias explicações para o fracasso inicial da nova grade. A Record passou a oferecer novelas num horário em que Globo e SBT também têm no ar suas tramas. Para azar da Record, a Globo exibe na faixa uma das novelas das seis mais bem-sucedidas dos últimos anos, Novo Mundo. Era evidente que o espectador de novela se encontra dividido entre Globo e SBT, e dificilmente daria uma chance ao repeteco de Os Dez Mandamentos. Fora o fato de a novela bíblica ser ainda muito recente, e ter tido sua marca explorada à exaustão pela emissora.

Mas se a mudança era uma tragédia anunciada, por que diabos a Record insistiu nela? Provavelmente, porque a emissora parece querer buscar uma grade mais coerente e com maior potencial de faturamento. Afinal, era evidente que Cidade Alerta, com mais de duas horas de duração e quase sem intervalos comerciais, não se pagava. O jornal policial é um excelente chamariz de audiência, mas seu faturamento devia deixar a desejar. Encurtá-lo seria a solução para torná-lo mais rentável, ao mesmo tempo em que apostar numa novela e num novo jornal local, de formato mais atraente ao mercado publicitário, seria a chance de aumentar os ganhos.

Não é a primeira vez que a Record toma essa atitude. Lá no ano de 2004, quando a emissora apostava fundo no projeto “rumo à liderança”, foi feito a mesma coisa com o Cidade Alerta. O policial, mesmo sendo uma das maiores audiências da Record, foi drasticamente diminuído com a estreia da revista eletrônica Tudo a Ver. Quando o programa de Paulo Henrique Amorim conseguiu conquistar o público, Cidade Alerta foi extinto de vez. Voltou ao ar em 2011, num momento em que a emissora não conseguia acertar sua grade vespertina, com a missão de elevar os índices novamente. Conseguiu e, agora, é novamente “sacrificado”.

Ou seja, a Record perdeu audiência com a mudança, mas tornou sua grade mais coerente e com maior potencial de venda. Atitude corajosa.

O TELE-VISÃO virou livro! Compre agora! CLIQUE AQUI: http://bit.ly/2aaDH4h


André Santana

4 comentários:

  1. O Cidade Alerta é um horror, mas ninguém merece reprise de Os Dez Mandamentos. Record trocou seis por meia dúzia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, creio que o canal não escolheu um bom momento para a reprise. Queimaram cartucho à toa. O que não é novidade.

      Excluir
  2. O problema é que não duvido nada que daqui uns 3, 4 anos, a Record faça o caminho inverso e coloque umas 5 horas de sangue e crime de novo na sua programação. Com concorrentes como Record e SBT, a Globo nem precisa fazer muito para se manter tranquila na liderança.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Talvez nem esperem 3 ou 4 anos... Vamos ver quanto tempo esta nova grade vai durar.

      Excluir