sábado, 1 de julho de 2017

Record termina seu melhor e estreia seu pior reality show na mesma semana

Com a consagração de Maytê Piragibe como a grande vencedora, a primeira temporada de Dancing Brasil terminou na noite da última segunda-feira, 26, na Record TV. Considerada um sucesso comercial, bom público e aprovação de boa parte da crítica, a atração mostrou-se como um bom entretenimento, um “respiro” de diversão na linha de shows da emissora, e, ainda, deu um novo rumo à carreira de Xuxa Meneghel, que há tempos não acertava num formato.

Mesmo chegando ao Brasil com atraso, a versão nacional de Dancing with The Stars veio somar na grade de programação da Record. Com uma linha de shows que vem apostando cada vez mais fundo em “histórias emocionantes”, fazia falta um programa de entretenimento puro. Dancing Brasil veio preencher esta lacuna. O programa divertiu e envolveu ao mostrar um grupo de famosos tentando se superar e aprender as cada vez mais complexas coreografias. Consegue emocionar, sem fazer chorar, e ainda provoca torcida. O programa teve uma ótima estrutura, uma edição muito bem armada e boa direção. Rodrigo Carelli, que assina a direção-geral, já é um especialista em reality.

O resultado foi feliz por todos os lados. Xuxa esteve ótima no comando da atração; os participantes foram todos bem escolhidos; os jurados Fernanda Chamma, Jayme Arocha e Paulo Goulart Filho fizeram excelentes comentários e julgamentos; e a produção foi caprichadíssima, do belo e amplo cenário aos takes de câmera que valorizavam o espetáculo. O elo mais fraco foi a presença de Sérgio Marone, robótico e com uma participação repetitiva e questionável. A direção da emissora devia ter considerado manter Nanny People ao lado de Xuxa, mas preferiu atender o desejo de seu contratado de ser apresentador.

Curiosamente, na mesma semana em que encerrava a primeira temporada de Dancing Brasil, seu melhor reality show e melhor estreia no ano, a Record tratou de lançar a atração que pretende ser seu pior reality e sua pior estreia do ano: A Casa. Versão nacional de Get the Fuck Out of My House, a atração, que estreou na terça-feira, 27, consiste em confinar 100 pessoas numa casa preparada para receber apenas quatro moradores. Ou seja, a ideia é colocar os participantes em situações-limite, numa espécie de exposição da degradação do ser humano diante da falta de recursos.

Não há comida nem água suficientes, não há cama para todos, apenas dois banheiros, e não há nem ao menos espaço. O que se viu nesta estreia foi uma casa de porte médio totalmente ocupada. Há pessoas por todos os lados, formando grupos que ocupam a tela o tempo inteiro. Marcos Mion, o apresentador que deve colocar alguma ordem naquela confusão toda, quase desaparece em meio a tanta gente. Aliás, o único ponto positivo da atração é a performance de Mion, bastante à vontade no formato.

A Casa é uma espécie de Big Brother hard, no qual os participantes se submeterão a praticamente uma tortura física e psicológica em busca de um prêmio em dinheiro e, talvez, uns minutinhos de fama. Sem dúvidas, será um prato cheio para o espectador que curte a boa e velha intriga dos realities de confinamento que, aqui, serão elevados à enésima potência. Tem um “quê” de Solitários, reality show exibido no SBT anos atrás, que confinava os participantes em cabines minúsculas e isoladas, e os fazia passar por diversos testes físicos e psicológicos. Os dois programas parecem fazer da tortura um show.

Na verdade, A Casa é deprimente. É feito para oferecer entretenimento fazendo uma espetacularização da condição humana em seu estado mais bruto, no pior sentido da palavra. Consegue ser pior do que os Big Brothers e Fazendas da vida. Saudades de O Aprendiz ou Troca de Família.

O TELE-VISÃO virou livro! Compre agora! CLIQUE AQUI: http://bit.ly/2aaDH4h


André Santana

4 comentários:

  1. Aaaaah, achei que voce fosse fazer analise de Vaderetro. Que pena😞😁

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fiz um comentário para o Observatório da Televisão. Não fiz aqui também porque acabei não conseguindo acompanhar a série com a regularidade que eu queria, infelizmente.

      Excluir
  2. Olá, tudo bem? Não é por nada não, mas A Casa é franca favorita a ganhar em uma determinada premiação que se aproxima... Rs... HORRÍVEL!!!! Comentei no meu blog. Abs, Fabio www.tvfabio.zip.net

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo contigo! Veremos em agosto! Abraços!

      Excluir