terça-feira, 6 de junho de 2017

"Vídeo Show" melhora ao voltar a valorizar a história da TV

Depois de um período de vacas magras, o Vídeo Show voltou a um patamar aceitável para os padrões da Globo. Atualmente, o vespertino se mantém na marca de dois dígitos no Ibope e garante a liderança na audiência, anteriormente perdida para a Record. Claro, o programa foi ajudado pelo quiprocó envolvendo a Simba. Desde que a Record deixou os canais pagos da grande São Paulo, a emissora viu os índices de vários de seus programas caírem, e o Balanço Geral foi um dos que perdeu força.

Mas é possível, também, creditar a atual fase do Vídeo Show ao seu conteúdo. A atração ainda não está perfeita, mas melhorou consideravelmente ao apostar em quadros que valorizam a história da televisão brasileira. Com isso, mexem com a emoção do público. Com esta proposta, dois quadros em especial chamam a atenção: Meu Vídeo É um Show e Memória Nacional.

Nesta terça-feira, 06, a atriz Taís Araújo foi a convidada do Meu Vídeo É um Show. No quadro, os apresentadores Otaviano Costa e Joaquim Lopes recebem convidados que assistem, ao vivo, vários de seus trabalhos anteriores, fazendo um retrospecto da carreira deles. E Taís se surpreendeu ao ver que a atração resgatou, além de seus trabalhos na Globo, cenas da novela Xica da Silva, trama da extinta Manchete que projetou Taís nacionalmente. “Amei a Globo passar Xica da Silva aqui, gente!”, exclamou.

Não foi a primeira vez que isso aconteceu. A própria Xica da Silva já teve outras cenas mostradas no Vídeo Show na ocasião em que a convidada era Drica Moraes, que vivia a vilã Violante na trama de 1996. Com este tipo de atitude, a Globo mostra que, com o Meu Vídeo É um Show, a ideia é, mesmo, valorizar a história da TV, independente de emissoras. Claro que o acervo da Globo domina, até pela facilidade da coisa, mas o grande barato do quadro é rever, junto com o artista, importantes momentos da televisão. É um quadro sempre agradável de se ver. Pra quem gosta de TV ou é fã de algum artista, é um prato cheio.

Vídeo Show também acerta com o quadro Memória Nacional, no qual resgata a trajetória de artistas já falecidos. O quadro inteiro é um acerto: a escolha dos homenageados, o texto sempre inspiradíssimo e a apresentação de Miguel Falabella, tudo leva o espectador numa viagem pelo tempo. Na última semana, o quadro homenageou a saudosa Betty Lago, amiga pessoal de Falabella, que se emocionou em cena. Foi lindo e de absoluto bom gosto. Bom observar que, aos poucos, o Vídeo Show tenha voltado a recuperar sua relevância.

O TELE-VISÃO virou livro! Compre agora! CLIQUE AQUI: http://bit.ly/2aaDH4h


André Santana

2 comentários:

  1. Realmente, são dois ótimos quadros!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São os únicos que valem a pena no atual Vídeo Show.

      Excluir