sábado, 15 de abril de 2017

Tom documental caracteriza nova fase do "Estrelas"

No ar há 11 anos, o Estrelas nunca teve grandes mudanças de formato. Desde o início, o programa de Angélica teve como objetivo principal ressaltar o convidado, seja levando-o para um passeio, colocando-o para aprender algo novo ou ensinando alguma receita. Praticamente uma “Revista Caras eletrônica”. Em 2017, porém, a atração trouxe uma nova proposta e apostará em temporadas temáticas.

A primeira delas, Estrelas Solidárias, estreou no último sábado, 08. E mostrou, realmente, uma grande mudança, comparado ao “velho” Estrelas. A proposta do Estrelas Solidárias é colocar as celebridades para conhecer e ajudar diversas ações sociais espalhadas pelo Brasil. Angélica, agora, não é mais apenas uma entrevistadora. Ela é, também, uma personagem do programa, e, assim como seus convidados, irá conhecer e ajudar nas ações sociais mostradas.

Na estreia, Estrelas Solidárias levou Débora Nascimento à Porto Alegre, onde visitou o Embelezamento Popular, iniciativa da cabeleireira Itanajara Almeida para ajudar mulheres desempregadas a recuperarem a autoestima. Também levou o ator Jesuíta Barbosa à Belém, no Pará, para atuar no Saúde e Alegria, projeto que constrói sistemas de água potável para comunidades que não têm acesso a esse bem básico. Enquanto isso, Angélica foi à São Paulo visitar o Instituto Flor Gentil, que reaproveita flores de eventos e lojas para montar arranjos e depois distribuí-los para casas de repouso e outras instituições assistenciais.

Já no segundo programa, exibido neste sábado, 15, Angélica visitou o projeto Banco de Alimentos que recolhe sobras de alimentos não comercializados que teriam o lixo como destino e distribui para entidades assistidas, levando comida para aqueles que não têm. Enquanto isso, o Padre Fabio de Melo conheceu o projeto Litros de Luz, que, a partir de uma tecnologia simples, econômica e ecologicamente sustentável, composta por garrafas plásticas, painéis solares e lâmpadas de LED, consegue iluminar comunidades que não tem acesso à rede elétrica. Já o ator Klebber Toledo foi a Garopaba, em Santa Catarina, para conhecer um projeto que, a partir de garrafas pets que se tornariam lixo, os voluntários fabricam pranchas de surf ecológicas.

Assim, Estrelas perdeu o tom de exaltação da fama alheia para ganhar um tom mais documental, com ares de reality show. A câmera acompanha de perto os artistas diante das ações sociais, mostra-os trabalhando e conversando com os demais voluntários das ações. O programa procurou mostrar o funcionamento de todas as ações, ressaltando a importância dos trabalhos desenvolvidos. Buscou, também, mostrar a pluralidade dos trabalhos pelo país, de Norte a Sul. Ficou bastante parecido com reportagens especiais que se vê no Fantástico, por exemplo.

Apenas no fim do programa que Angélica reassume seu posto de âncora e recebe seus dois convidados para conversar sobre o que viveram. A apresentadora e seus convidados conversam sobre as transformações que passaram ao viver o voluntariado, ressaltando a importância do trabalho do terceiro setor na construção de uma sociedade melhor.

Estrelas Solidárias, assim, finalmente deu um novo rumo ao programa de Angélica, que demonstrava claros sinais de cansaço. A atração manda bem ao passar uma mensagem positiva ao público, sem se apegar demais à pieguice ou histórias de excessiva emotividade. É um programa simpático, de tom otimista, e que joga luz às boas ideias que são desenvolvidas pelo Brasil. E, ainda, tem o trunfo de ser um programa de temporada, com episódios fechados, já que não escapará de uma repetição daqui alguns episódios. O programa ainda não explora todo o talento de Angélica, exímia animadora de auditório, mas a coloca numa nova e interessante situação. Foi uma boa mudança.

O TELE-VISÃO virou livro! Compre agora! CLIQUE AQUI: http://bit.ly/2aaDH4h


André Santana

6 comentários:

  1. Olá, tudo bem? É uma tremenda chatice a nova fase do Estrelas.... O programa tem que explorar os atores e atrizes da emissora. Aproximá-los sem ostentação do público... Mostrar trabalho de ONGs já é objetivo do Como Será? que vai ao ar mais cedo no sábado..Abs, Fabio www.tvfabio.zip.net

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  2. Nao sabia dessa nova fase. Irei assistir aos dois primeiros programas pra ver se gosto.

    ResponderExcluir
  3. No antigo estrelas já estava bem cansativo ,pois na maioria das vezes era uma conversa mais superficial !Estilo canal Gnt
    Acho essa fase louvável para a Angélica que nesses 11 anos só entrevistou famosos ,no solidários a aproxima mais do público que tb vê uma Angélica com a mão na massa ,muito bom!
    Porém essa mudança está longe de ser aquela que traz a Angélica como animadora com plateia já que a mesma sempre mandou muito bem e
    infelizmente nem há notícias que isso aconteça nesse ano

    ResponderExcluir
  4. A Angélica e sábado a tarde combina com algo mais animado ,essa fase Solidarios poderia ser apenas um quadro de 10 min e não o programa inteiro e esse ano há boatos que a cantora Ivete Sangalo e o ator Lázaro ramos terão programas de auditório na globo e a apresentadora Angélica que é competente nada ,uma pena e muito triste

    ResponderExcluir
  5. Uma pena que a Angélica esteja sendo desvalorizada pela TV globo ,seu programa Estrelas é exibido há 2 anos pela TV TEM afiliada em Bauru SP,porém não há nenhuma chamada para a atração e isso sempre aconteceu

    ResponderExcluir