terça-feira, 14 de março de 2017

"O Céu É o Limite" e o sumiço dos game shows

Enquanto reality shows proliferam-se aos baldes, game shows andam em baixa. Num passado não muito distante, toda emissora aberta tinha, ao menos, um game em sua grade. Hoje, os games até estão presentes como quadros de programas de auditório, mas uma atração totalmente voltada à competição virou artigo raro dentre as TVs brasileiras.

Silvio Santos, o rei da “jogatina televisiva”, sempre apostou em games, desde o início de sua história na TV. Só entre o final da década de 1990 e boa parte dos anos 2000, o dono do SBT promoveu um interessante rodízio de formatos, comandando atrações como Show do Milhão (que vai voltar com Patrícia Abravanel), Vinte e Um, Sete e Meio, Roda a Roda (um sobrevivente!), Eu Compro o Seu Televisor, Topa ou Não Topa, ou, mais recentemente, o Um Milhão na Mesa. Depois que voltou a comandar o programa com seu nome, Silvio passou o bastão para Roberto Justus, que emplacou o bacana Um Contra Cem e retomou o Topa ou Não Topa. Ainda no SBT, Celso Portiolli teve como principais sucessos de sua carreira o Passa ou Repassa e o Curtindo Uma Viagem, dois excelentes games.

Outros canais também investiram no filão. A Record fez barulho no início da década de 2000 com o Roleta Russa, divertido game apresentado por Milton Neves. Mais tarde, divertiu com O Jogador, apresentado por Britto Jr e Ana Hickmann. Já a Band teve programas interessantes no segmento, como Na Pressão, com Jacqueline Dalabona, ou o A Grande Chance, de Gilberto Barros, ou ainda Quem Fica em Pé?, com José Luiz Datena. Já a Globo manteve no ar por dez anos o Vídeo Game, competição sobre televisão apresentado por Angélica, no Vídeo Show.

E assim, se todos estes canais desistiram de grandes investimentos em game shows, foi a RedeTV que supriu esta ausência na telinha. O divertido Mega Senha, apresentado por Marcelo de Carvalho, conseguiu boa visibilidade e tornou-se uma das maiores audiências do canal. Tanto que conseguiu a proeza de ficar no ar por mais de seis anos, um bom feito para um programa cuja mecânica se repete toda semana, ou seja, a tendência é que o formato canse e se esgote. E foi exatamente para dar um descanso ao Mega Senha que a emissora buscou outro programa de fora e trouxe o atual formato, que estreou no último sábado, 11, com o título O Céu É o Limite, nome de um dos mais bem-sucedidos games da história da televisão brasileira.

O novo O Céu É o Limite não tem o mesmo formato do antigo. Mas traz, também, um formato clássico e bem divertido. São várias fases, compostas por jogos de perguntas e respostas nas mais variadas mecânicas. A cada rodada, um dos seis participantes é eliminado. Quem fica por último tem a chance de aumentar os ganhos, e, ainda, a chance de voltar no programa seguinte e continuar competindo, daí o nome. É um game redondo, com bom ritmo, e que entretém bastante. E Marcelo de Carvalho, por mais que eu tenha sérias ressalvas com relação às piadinhas infames que ele dispara a todo o momento, é realmente um bom comandante de games. Todos estes anos à frente do Mega Senha lhe renderam muito traquejo para a função. Está muito bem. Em suma, foi uma boa estreia da emissora. Que venham mais games!

O TELE-VISÃO virou livro! Compre agora! CLIQUE AQUI: http://bit.ly/2aaDH4h


André Santana

5 comentários:

  1. Saudades do vídeo game nas nossas tardes trazendo diversão e alegria bem comandado por Angélica !
    Tenho gostado muito do Marcelo Carvalho é uma grande e grata surpresa ,tem carisma ,não é forçado
    O céu é o limite tem tudo para ser um sucesso ,uma das poucas coisas que se salva na escondida Rede Tv !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vídeo game era um ótimo espaço pra angelica aonde ela fez a transição de apresentadora infantil.pra adulta...e mostrava uma intimidade dos artistas jogando....faz falta....show do milhão também

      Excluir
    2. Também achei o Marcelo uma surpresa! Quando ele começou não gostava muito, acho que a parceria com a Gimenez nos primeiros Mega Senha o deixava muito refém daquelas piadinhas de casal, e eu achava aquilo um porre. Sozinho, ele se soltou mais e se encontrou. Continua fazendo piada sem graça, mas tem estilo, presença e sabe deixar a apresentação dinâmica. Gosto dele! Sobre o Vídeo Game... saudades demais! Angélica é exímia apresentadora de games, tanto que vários sucessos de sua carreira eram game shows, como o Passa ou Repassa, o primeiro Angel Mix e o próprio Vídeo Game.

      Excluir
  2. Saudades do Curtindo Uma Viagem, Celso Portiolli mega à vontade no comando da atração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por mim, o SBT devia cancelar de vez o Domingo Legal e voltar com o Curtindo uma Viagem no horário! Seria bem melhor!

      Excluir