Ticker

6/recent/ticker-posts

Publicidade

As boas experiências na televisão "da pandemia"

 

A pandemia de covid-19 exercitou o lado criativo de muitos diretores de televisão. Não todos, já que há canais insistindo em reprises e culpam a crise sanitária pela apatia. Mas alguns deles conseguiram driblar as dificuldades impostas pela necessidade de distanciamento social e vem fazendo excelentes experiências, deixando a programação mais rica.

Canal que mais tem lenha para queimar, mesmo diante da crise, a Globo foi a que mais ideias novas trouxe à sua programação. Dentre várias experiências, as mais bem-sucedidas são, sem dúvidas, o Conversa com Bial e o Altas Horas. O programa de Pedro Bial ganhou viço com suas entrevistas remotas. O fato de o convidado estar em casa o coloca à vontade diante das perguntas do jornalista. Que, sem precisar dividir a atenção com a plateia e a banda, foca ainda mais no bate-papo. Conversa com Bial teve uma temporada 2020 memorável.

Já o Altas Horas precisou se reinventar totalmente. Único programa de auditório da TV brasileira no qual o auditório é peça fundamental, a atração de Serginho Groisman teve que alterar completamente seu formato para se adaptar às gravações realizadas na casa do próprio apresentador. E a reinvenção funcionou totalmente. De casa, Serginho promove grandes encontros virtuais, com convidados de grife. E, de quebra, usa e abusa de seu acervo, fazendo os convidados revisitarem seus momentos e compararem suas palavras. O resultado é uma grande conversa, sempre divertida e cheia de bons momentos.

Ana Maria Braga também vem conseguindo fazer seu Mais Você de casa. A apresentadora vem passando por um dos momentos mais complicados de sua carreira, já que precisa comandar um programa “caseiro”, sem toda a estrutura de um estúdio da Globo à disposição, e ainda lidar com a ausência de Louro José, cujo intérprete Tom Veiga faleceu recentemente. Pois, mesmo diante de tantas adversidades, a loira vem cumprindo tal missão com muita presteza. Assim como Serginho, Ana usa e abusa de seu rico acervo. Além disso, sua equipe tem se mostrado muito criativa ao criar novos quadros, que são gravados remotamente. É preciso reconhecer que o Mais Você atual não está tão bom quanto nos tempos de antes da pandemia, mas tem oferecido um conteúdo digno e respeitado o seu público.

Além de manter alguns de seus apresentadores em casa, a Globo colocou outros de volta aos estúdios, mas sob novas condições. O Caldeirão do Huck, sempre muito calcado em externas, teve que se virar e lançar novos quadros feitos no palco. E apostou fundo nos game shows, que têm ido muito bem. Tem ou Não Tem e Quem Quer Ser um Milionário? divertem.

Fátima Bernardes também adaptou bem seu Encontro ao novo momento. Com entrevistas remotas, mas com a apresentadora no estúdio, o programa conseguiu manter sua essência e respeitar o distanciamento. Por outro lado, o Domingão do Faustão foi menos feliz na volta ao estúdio. Mais curto e com poucos quadros, o programa de Fausto Silva se debruça sobre a Dança dos Famosos, um formato que parece pouco adequado para o momento. É estranho ver artistas dançando com seus professores de maneira tão próxima no atual contexto.

Entre erros e acertos, a Globo conseguiu mostrar que é possível, sim, produzir entretenimento de qualidade mesmo diante de tantas adversidades. As mudanças implantadas nos programas de variedades mostram é possível fazer uma boa televisão com poucos recursos e algum improviso. O público agradece o empenho dos profissionais envolvidos.

André Santana

Postar um comentário

4 Comentários

  1. Olá, tudo bem? Altas Horas foi o mais prejudicado por conta da ausência do auditório que tinha uma participação importante. Abs, Fabio www.blogfabiotv.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fabio! Concordo! Mas acho que eles se reinventaram bem. Tenho visto o programa com interesse. Abraço!

      Excluir
  2. Com a internet, é possível fazer programas com conteúdo, desde que se pense um pouco fora da caixa. Pena que, basicamente, só a Globo faça isso na TV aberta brasileira.

    ResponderExcluir