sábado, 18 de abril de 2020

"Fina Estampa" fica mais ágil em nova edição


No dia 24 de março de 2012, um dia após a exibição do último capítulo de Fina Estampa, este blog publicou uma análise sobre a obra de Aguinaldo Silva. Infelizmente, como o UOL excluiu da internet os arquivos dos antigos blogs Zip.Net, não é possível mais acessá-lo, mas relembro aqui alguns dos principais pontos abordados, procurando evitar “spoilers”. Segue:

“Na realidade, o último capítulo foi um resumão do que foi Fina Estampa em todos os seus capítulos: uma trama frouxa, carregada de clichês, sem propósito, com personagens desnecessários e enredo sem pé nem cabeça. Aguinaldo Silva tomou para si a missão de reerguer a faixa das nove, e fez uma novela à prova de erros. Apostou em duas protagonistas fortes e populares e em tramas paralelas que em nada acrescentaram à obra, criando uma salada de situações tragicômicas sem grandes pretensões. Fina Estampa apostou forte no non sense, no pior sentido da palavra, e foi sustentada mais por personagens do que situações”.

O texto seguiu analisando as trajetórias de Griselda (Lília Cabral) e Tereza Cristina (Christiane Torloni), reforçando que Pereirão foi um tipo bem construído pela atriz, mas que vai se tornando uma “chata de galochas” no decorrer da história. Já Tereza Cristina começa como uma boa vilã, mas logo cai num histerismo sem propósito, e começa a se dedicar a planos malucos que não fazem sentido. Depois, o texto analisa a trama de Danielle Fraser (Renata Sorrah), elogiando os desdobramentos deste núcleo, que tinha um drama mais sério, em contraponto ao non sense da história principal.

Em seguida, começa a análise sobre as outras tramas de Fina Estampa. Veja: “Outras tramas paralelas de Fina Estampa não tinham qualquer razão de ser. Pra que, afinal, servia a pousada de Álvaro (Wolf Maya) e Zambeze (Totia Meirelles), dois neohippies chatonildos que aplaudiam o por-do-sol? Alguém realmente ficou empolgado com o romance entre Letícia (Tania Khalil) e Juan Guilherme (Carlos Casagrande)? Daniel (Guilherme Boury) realmente precisava da ajuda de dona Vilma (Arlete Salles) para colocar um vídeo na internet? Por que raios Mandrake (Sandro Pedroso) precisava aparecer nos cantos das cenas fazendo truques bizarros? E Luana (Joana Lerner)? Ela realmente precisava nos contar o que ia acontecer na novela antes? Pra que?”.

Veja que várias destas tramas desnecessárias apontadas pela análise estão passando em brancas nuvens na atual versão de Fina Estampa, exibida pela Globo nesta “pausa” de Amor de Mãe. Até aqui, os personagens mais “picotados” são os habitantes do Recanto da Zambeze, que ocupavam muito espaço nos capítulos originais, em tramas que serviam apenas para encher linguiça. Repare que, na versão atual, o Recanto nem apareceu nos primeiros capítulos, virando um cenário mais presente apenas agora, quando Antenor (Caio Castro) passou a morar ali. Os personagens da rede de vôlei, ou a trama de Leandro (Rodrigo Simas) também foram esvaziadas nesta versão. Alguém se lembra que Gigante (Eri Johnson) tinha uma esposa e toda uma trama de traição? Pois é... Havia ainda muitas cenas de personagens tomando banho (Dagmar, de Cris Vianna, adorava um banho de mangueira), que foram enxugadas agora (sem trocadilhos).

Ou seja, um dos vários problemas da novela de Aguinaldo Silva era o excesso de núcleos decorativos, formado por personagens desnecessários que pouco acrescentavam ao enredo. E eles foram praticamente eliminados na “edição especial”, o que deixou a trama bem mais ágil. A edição tem sido feliz nesta remontagem, mantendo apenas as tramas que colaboram para o andamento do enredo. Agora “enxuta”, Fina Estampa parece até melhor do que foi realmente.

André Santana

15 comentários:

  1. Já ouvi falar na época, por meio de uma ex-namorada, que o último capítulo dessa novela foi o pior de todos os tempos, isso procede?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Basicamente a protagonista corre atrás da vila como uma chave de fenda ...sendo que ela tinha naufragado

      Excluir
    2. Procede, Alexandre! O Miguel resumiu bem a tosca cena final, mas o capítulo derradeiro todo é muito ruim.

      Excluir
  2. Olá, tudo bem? Ainda bem que tive a paciência de copiar e colar todos os textos publicados no meu blog hospedado no UOL. Fiz a pesquisa com o retorno de Fina Estampa e cadê o blog? Sumiu...Abs, Fabio www.blogfabiotv.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fabio! Pois é, fui surpreendido com esse sumiço! Eu também tenho quase tudo guardado, mas é "quase"... alguma coisa se perdeu nesta "brincadeira", infelizmente. Mas vamos em frente, né? Fazer o que? Abraço!

      Excluir
  3. Respostas
    1. Pior que eu estou acompanhando todas as reprises. Ossos do ofício, kkk!

      Excluir
  4. Foi uma novela ruim muito bem sucedida, desses sucessos inexplicáveis e sem sentido, como a própria trama. Se baseou em 3 personagens: Griselda, que virou uma chata, de fato; Tereza Cristina, que nunca justificou ser tão maldosa e igualmente chata; e Crô, que mesmo caricato, carregou a novel nas costas. O restante, totalmente esquecível e constrangedor. Assistindo a novela hoje e alguns cursos de roteiro depois, me admira como ela é teatralizada e fake em todos os sentidos.

    ResponderExcluir
  5. Ainda hoje eu não entendo porque a Globo escolheu essa novela para reprisar....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu entendo a escolha. A emissora optou por uma novela mais "antiga" na década, que teve poucos grandes sucessos no horário. Fina Estampa e Avenida Brasil foram os principais sucessos deste período. E como Avenida já estava em reprise, "sobrou" Fina Estampa. Creio que foi isso.

      Excluir
  6. GOSTARIA de saber o que achou da cnn Brasil
    Gostei dos cenários ,vinhetas, âncoras

    Percebi que a maioria dos âncoras tem boa aparência e o canal apostou em novos rostos do grande público ,alguns da madrugada do Sbt ,emissora que não investe nada por sinal , ( Cassius e Daniel) e o competente evandro cinni da TV tem ( Globo interior sp)
    Ponto negativo: achei os noticiários muito longos ..3 ,4 horas de duração
    Outro ponto negativo..não sei se e6 por causa da pandemia, mais os jornais do fala de política e doença, poderia trazer matérias leves de cotidiano, pelo menos algumas pra da uma respirada
    Por favor comente aqui fazendo sus análise, em um post aqui nesse blog
    Grande abraço, no aguardo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Caio! Faz tempo que estou ensaiando um texto sobre a CNN, mas acabei atropelado por outras demandas. Mas uma hora sai! Obrigado pela sugestão!

      Excluir
  7. Pôxa André, que pena ter perdido os arquivos do UOL. Eu assim como o Fábio copiei e passei todos os textos dos três primeiros anos do Blog de knunes no UOL em arquivos no Word até porque não sei como fazer para republicar achei melhor guardar no Word. Sobre a novela o último capítulo foi um porre e nem fiz o balanço que costumo fazer nas novelas das 9 que acabam no blog de knunes por puro esquecimento na época.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Kleber, eu tenho quase tudo guardado também, mas alguma coisa se perdeu, sobretudo dos primeiros anos do blog, quando eu não tinha o hábito de salvar os textos. Mas... fazer o que, né?

      Excluir